Page

Author admin

Cresce em 30% o número de brasileiros que preferem canais de compras digitais

 O ecossistema de comércio digital no Brasil avançou notavelmente no último ano e muito dessa evolução está refletida nos interesses dos estabelecimentos comerciais entrevistados pelo Índice Global de Compras Digitais – Edição Brasil. Elaborado pela Cybersource, solução da Visa especializada em gerenciamento de pagamentos digitais, junto à PYMNTS.com, o relatório indica que o percentual de consumidores brasileiros que preferem canais de compras digitais cresceu 33% desde o início da pandemia, de março a dezembro de 2020. A adoção digital também é liderada por consumidores mais jovens e de alta renda. Isso traz implicações significativas para os estabelecimentos comerciais, cada vez mais focados em oferecer melhores experiências de compra.

Investimentos em recursos digitais estavam previstos na agenda de inovação desses estabelecimentos comerciais para melhor atender aos seus clientes, acompanhando a rápida necessidade de atualização de seus negócios. Mais de 72% dos estabelecimentos comerciais (quase o dobro da porcentagem dos outros mercados analisados, como Reino Unido, Estados Unidos e Austrália) consideraram importante o uso de soluções como Inteligência Artificial (IA) para apoiá-los nesta jornada.

Ao considerar e implementar novos recursos digitais e integração de canais, os estabelecimentos comerciais tornam-se capazes de promover experiências e jornadas de compras mais completas e eficientes. Para 62% dos estabelecimentos comerciais pesquisados entre novembro e dezembro de 2020, a prioridade estava em melhorar os serviços de retirada de produtos nas lojas – dentro delas ou na porta. A opção de compras via mobile também foi bastante citada por 49% dos lojistas, que desejavam implementar essas mudanças em seus estabelecimentos comerciais. Isso é reflexo do aumento da adoção de dispositivos móveis por parte do consumidor brasileiro – 20% deles relataram que usaram dispositivos móveis para fazer suas compras mais recentes, o dobro do número de pessoas que disse ter usado computadores.

“A análise indica forte interesse dos estabelecimentos comerciais em implementar soluções como Inteligência Artificial como meio de acelerar o processamento de informações e proporcionar melhores entregas de serviços e produtos. Eles já entendem que essas soluções trazem benefícios aos negócios, uma vez que possibilita melhor compreensão dos hábitos e interesses de seus clientes. Passariam a ter acesso a análises mais consistentes sobre jornadas de compras, aprimorando seus sistemas. A baixa satisfação dos consumidores com as opções atuais de comércio entre canais, apontada no relatório, também acendeu um alerta para que inovações estejam em suas agendas, investindo no atendimento de pedidos via mobile e nas retiradas de pedidos nas lojas, canais considerados prioritários”, afirma Fernando Pantaleão, vice-presidente de Vendas e Soluções da Visa do Brasil.

Apesar da atenção para essas atualizações, quando questionados sobre os recursos mais importantes para os seus negócios, a maioria dos estabelecimentos comerciais indicou priorizar o armazenamento de informações sobre os perfis dos seus consumidores, sobre suas preferências de produto e meios de pagamentos, por exemplo. Enquanto os consumidores ouvidos pela mesma pesquisa, mostraram-se mais propensos a valorizar atributos relacionados a facilidades de compra. Eles indicaram, quase duas vezes mais que os comerciantes, preferências por acesso à benefícios como frete grátis (13% dos consumidores versus 7% dos estabelecimentos comerciais), códigos promocionais (11% versus 5%) e recompensas (10% versus 5%), elementos menos priorizados pelos estabelecimentos.

Essa desconexão entre o que é mais relevante para cada um deles, reforça a necessidade dos comerciantes em aproveitar recursos digitais e inovações, tanto para melhorar seus negócios, como para obter dados em tempo real e melhor atendê-los. “O relatório destaca que os consumidores têm optado por funcionalidades de compras em seus smartphones, querendo ter acesso direto a informações sobre os produtos, escolhendo como e quando querem suas entregas – daí a importância de fornecer serviços da maneira mais eficiente, tirar vantagens de tecnologias sofisticadas como a IA”, explica Pantaleão.

Quando analisamos os meios de pagamentos preferenciais dos consumidores, vemos que o cartão de crédito é líder absoluto na preferência em compras digitais, com mais de 62% dos consumidores brasileiros relatando usar esse meio de pagamento para pagar online. No varejo físico, vemos que a preferência por meios eletrônicos de pagamento (cartões de crédito e débito), somam quase 55% da preferência dos consumidores, versus pouco mais de 31% de preferência por dinheiro em espécie.

É visível que os hábitos e preferências de compra dos consumidores estão mudando em meio a mudanças sociais e econômicas. Com isso, os estabelecimentos comerciais precisam estar conectados às circunstâncias financeiras únicas do Brasil, sendo capazes de desenvolver estratégias digitais para navegar neste cenário em constante evolução e oferecer melhores experiências, cada vez mais digitais. “Vale ressaltar que o uso de sistemas de pagamentos em tempo real deverá ser acelerado neste ano, expandindo os métodos de pagamentos alternativos ou por aplicativos de mensagem”, conclui Pantaleão.

A pesquisa, conduzida no final do ano passado, reflete opiniões de estabelecimentos comerciais e consumidores sobre soluções importantes e adequações que deveriam ser feitas no início de 2021, que não necessariamente foram concretizadas, uma vez que a pandemia voltou a crescer no país, mas seus interesses por inovações continuam legítimos e deverão ser concretizados o quanto antes.

Metodologia


O Índice Global de Compras Digitais foi baseado em pesquisas com 2.105 consumidores no Brasil e 502 estabelecimentos comerciais locais. As amostras da pesquisa foram balanceadas para corresponder aproximadamente aos dados demográficos do Brasil. A pesquisa do consumidor consistia em 38 perguntas, e a pesquisa dos estabelecimentos comerciais era composta por 30 perguntas. Eles foram conduzidos online entre 25 de novembro de 2020 e 16 de dezembro de 2020 e 4 de novembro de 2020 e 18 de novembro de 2020, respectivamente.

Mais de metade dos brasileiros utiliza biometria para proteger suas informações, indica Mastercard

Um estudo realizado pela Mastercard, em parceria com o Instituto de Pesquisa Datafolha, apontou as principais preocupações dos brasileiros com relação a segurança nos ambientes digitais. Mais da metade dos entrevistados (56%) afirma utilizar alguma forma de biometria como proteção no seu cotidiano, enquanto 32% apontam o costume de salvar suas senhas em computadores pessoais ou smartphones. Enquanto isso, 24% dizem compartilhar suas senhas com pessoas próximas e familiares. Perguntados sobre quais informações seriam mais prejudiciais em vazamentos, o número de CPF foi o item mais lembrado, seguido pelo número de celular e o endereço de e-mail.

Sobre o uso de biometria, solução de proteção em constante crescimento entre os brasileiros, 32% dos entrevistados consideram de grande relevância para o ecossistema digital, enquanto 30% afirmam ter média relevância e 19% dizem ter pequena relevância para a sua segurança atualmente. Entretanto, 49% dos brasileiros apontam que a biometria será de grande importância para a segurança das contas digitais daqui a dois anos.

Tecnologia do futuro, no presente

Atualmente, é comum que muitos consumidores utilizem a biometria física, que utiliza a digital ou a face para reconhecer o usuário. Contudo, a Mastercard acredita que o futuro da autenticação está na biometria comportamental, uma das mais poderosas tecnologias de segurança de dados existentes. Esse tipo de solução utiliza uma gigantesca base de dados armazenados previamente com hábitos dos consumidores, como a velocidade em que digitam no teclado do computador e do celular, os horários em que acessam seus aplicativos dos bancos ou lojas online, e o nome de suas redes wi-fi. Esses dados são armazenados pelo NuDetect, sistema de Inteligência Artificial produzido pela NuData Security, uma empresa da Mastercard, que cria um perfil base do titular da conta para validar suas informações e garantir que a operação se encaixe no padrão esperado.

Além de proporcionar maior segurança, o NuDetect aprimora a experiência do consumidor, sem que haja a necessidade de realizar um processo longo e demorado para validar ou recuperar as senhas. A confiança do sistema traz tranquilidade aos clientes Mastercard sem gerar fricção, e atua na detecção de malwares, para que toda a experiência seja segura, prática e rápida.

Sobre a pesquisa:
O estudo foi realizado pelo Instituto de Pesquisa DataFolha, por solicitação da Mastercard, entre os dias 05 e 08 de janeiro de 2021. Por meio de entrevistas telefônicas, o estudo nacional conversou com 1.517 pessoas com idade entre 16 anos ou mais.

OLX Brasil lança o primeiro programa de estágio em tecnologia exclusivo para mulheres

A presença de mulheres dentro do mercado de tecnologia vem ganhando força nos últimos anos, mas ainda existe um longo caminho para a inclusão e aumento da participação delas no segmento, ainda mais para aquelas que estão no início de carreira. Nesse cenário, a OLX Brasil, uma das maiores plataformas de compra e venda online do país, lança o programa de estágio Geração Elas em Tech, exclusivo para mulheres, cis e trans, na área de tecnologia, com duração de até dois anos. As vagas são para os escritórios de São Paulo e Rio de Janeiro da empresa. Os profissionais admitidos começam seu trabalho em formato 100% remoto e recebem todos os equipamentos necessários para a função em casa, além de suporte técnico online.

O Geração Elas em Tech é o primeiro projeto de estágio da OLX Brasil focado no desenvolvimento profissional de mulheres em tecnologia. As candidatas selecionadas serão alocadas dentro da área de Engenharia da empresa, sendo 50% das vagas destinadas para estudantes de baixa renda ou em vulnerabilidade social.

“Somos uma empresa digital com tecnologia 100% brasileira. Cerca de 25% de nossos profissionais da área de Tecnologia são mulheres, e mesmo estando acima da média nacional que é de 20%, apostamos no aumento das oportunidades para as profissionais nesse setor”, avalia Sérgio Povoa, CHRO da OLX Brasil. “O Geração Elas em Tech tem como objetivo atrair, desenvolver e empoderar mulheres para revolucionar o mercado de tech e suportar a estratégia de sucessão de longo prazo na OLX Brasil”, destaca.

As candidatas selecionadas serão acompanhadas por mentores especialistas em suas áreas de atuação, com quem poderão contar tanto para o desenvolvimento técnico, como de soft skills, auxiliando em seu crescimento profissional. Neste formato, o programa visa acelerar a profissionalização e desenvolvimento das estagiárias, com possibilidade de contratação após os seis primeiros meses de estágio.

O processo seletivo, que será realizado em parceria com a Companhia de Estágios, HR Tech que oferece soluções de recrutamento e seleção de estagiários, trainees e aprendizes para algumas das maiores organizações do país, acontecerá remotamente, com entrevistas e testes online.

De acordo com Tiago Mavichian, CEO e fundador da Companhia de Estágios, de 2017 até 2020, houve um aumento de 57% nas contratações de estagiárias de engenharia e tecnologia, segmentos tradicionalmente “dominados” pelo sexo masculino. Os dados são de um levantamento realizado pela empresa no início deste ano e refletem os movimentos de equidade de gênero que vêm tornando o ambiente corporativo mais igualitário. “A equidade de gênero é um valor inegociável, que traz inovação e prosperidade aos negócios. Ter um quadro de funcionários que reflita efetivamente a sociedade brasileira deve se tornar meta para todas as empresas”, afirma Mavichian.

Para participar, as estudantes precisam estar cursando, em qualquer ano, ciências da computação, engenharia da computação, matemática e áreas correlacionadas. As inscrições já estão abertas e encerram no dia 9 de julho, através do link https://www.ciadeestagios.com.br/vagas/olxbrasil/

O estágio terá início em 19 de agosto com bolsa compatível com o mercado, além de vale refeição, auxílio home office e assistência médica.

QMC anuncia financiamento de R$500 milhões para crescer no Brasil

Líder em infraestrutura wireless, sistemas indoors e projetos especiais de rede celular, a QMC Telecom International (“QMC”) expandiu sua linha de crédito para novos investimentos em infraestrutura no Brasil. Em 2018, a QMC fechou seu primeiro financiamento de R$ 150 milhões com o ING e agora, em 2021 fechou mais um aporte no valor total de R$500 milhões, captados através da emissão de Debêntures com o Itaú BBA atuando como Coordenador Líder da Oferta, se solidificando como uma empresa de longo prazo para seus clientes e parceiros de negócio.

“A QMC vem crescendo no mercado e se destacando pela qualidade de serviços e soluções ao longo de seus anos de atuação no Brasil. O valor adquirido é o reflexo de um grande trabalho feito por todo o nosso time e equipe de gestão desde o início, sempre focados em melhorar a conectividade dos nossos clientes”, afirma Jose Stella QMC, Co-CEO e fundador. “Acompanhando nosso crescimento e solidez no mercado de telecom, conseguimos mais que triplicar a magnitude de nosso financiamento, provando a confiança perante nossa empresa e mantendo nosso crescimento acelerado”, acrescenta Rafael Somoza, também co-CEO e fundador da QMC.

André Machado, Presidente Latam da QMC, está otimista com o futuro da empresa: “Os clientes da QMC podem seguir contando com nosso senso de urgência, com a qualidade de nossas soluções, bem como nossa expertise em levar redes de telecom aos locais mais complexos e importantes do Brasil, assim como temos feito desde os nossos primeiros dias”.
A companhia segue se destacando pela sua qualidade e projetos cada vez mais personalizados e os R$500 milhões serão muito importantes para que a QMC fortaleça ainda mais a conexão de rede das operadoras brasileiras, por meio de investimento em infraestrutura focada em soluções wireless. As soluções da QMC incluem torres build-to-suit, DAS (Distributed Antenna System) e small cells. Além de diversos projetos especiais de infraestrutura neutra, que vem mais e mais ganhando destaque no cenário das telecomunicações.

Ricardo Zubieta, CFO da QMC Telecom, celebra o anúncio e diz: “Estamos muito felizes com esse relacionamento sólido com o Itaú BBA, além da constante parceria com o ING. Mantemos o compromisso da QMC em investir cada vez mais na América Latina, especialmente o Brasil, onde encontramos um mercado com enorme potencial e no qual já trabalhamos todas as nossas soluções, que já estão preparadas para o 5G”.

“Em um momento em que a conectividade se tornou imprescindível, especialmente nas relações de trabalho, essa operação é mais uma demonstração do nosso compromisso em prover as melhores soluções aos nossos clientes”, afirma Caio Viggiano, Managing Director de Renda Fixa Itaú BBA.

Mulheres em cibersegurança: María Pilar Torres Bruna, eleita uma das mulheres mais influentes da América Latina

Por seu trabalho como responsável pela área de cibersegurança na everis América Latina, María Pilar Torres Bruna foi eleita como uma das 50 mulheres mais influentes em cibersegurança na região, de acordo com a iniciativa “Top Women in Cybersecurity, Latin America 2021”.

O evento é organizado pela WOMCY, uma organização sem fins lucrativos formada por mulheres com foco no desenvolvimento da cibersegurança na América Latina, e pela WISECRA, Women in Security & Resilience Alliance. Ao premiar lideranças femininas na área de cibersegurança, a eleição tem como objetivo diminuir a desigualdade de gênero no setor, promovendo maior diversidade na indústria de tecnologia – além de destacar os melhores trabalhos das premiadas.

A pandemia de COVID-19 aumentou muito a necessidade de melhorar a cibersegurança, fruto do processo de digitalização que se tornou cada vez mais urgente. Como resultado, as organizações estão buscando ampliar o número de especialistas em cibersegurança no curto prazo, enquanto as desigualdades de gênero ainda prevalecem neste ambiente.

Por isso, a nomeação de María Pilar, da equipe everis América Latina, é celebrada pela consultoria por contar com uma das especialistas que mais evoluiu no setor, liderando o caminho para as futuras gerações de profissionais e iniciando importantes desenvolvimentos que beneficiam a cibernética como um todo.

O júri, composto por dez executivos da América Latina e dos Estados Unidos, escolheu as 50 candidatas mais destacadas pelo impacto social e profissional de suas contribuições para a melhoria da cibersegurança, entre as indicadas para o “Top Women in Cybersecurity, Latin America 2021”.

“Sinto-me muito honrada com este reconhecimento, não apenas por mim, mas por significar que a carreira em cibersegurança está ficando mais acessível para mais mulheres. A crescente entrada de profissionais neste setor contribui para reduzir a carência de talentos para esta prática e reduzir a desigualdade de gênero”, comemora María Pilar, diretora de Cibersegurança da everis Peru e responsável pela área em toda a América Latina.

SAP e Socialab anunciam nova edição de competição de empreendedorismo social e ambiental na América Latina

A SAP, em parceria com o Socialab, anuncia a nova edição da Social Innomarathon, competição regional que busca promover o empreendedorismo na América Latina com foco na solução de problemas sociais ou ambientais por meio de modelos de negócios sustentáveis ​​que utilizam tecnologias, ferramentas digitais ou gestão de dados de forma inovadora. 

Este ano o desafio é voltado para projetos latino-americanos que, por meio da inovação aberta, contribuam para o cumprimento de um dos seguintes Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), da ONU: Fim da pobreza; Fome Zero; Educação de Qualidade; Trabalho Decente e Crescimento econômico das comunidades. 

A iniciativa busca empreendimentos que tenham uma visão clara de crescimento e sustentabilidade de longo prazo em seus negócios. Alguns dos requisitos que os projetos inscritos devem atender são: ter um produto ou serviço no mercado que seja comercializado de forma recorrente há pelo menos seis meses; atuar em um país da América Latina; e contar com, pelo menos, uma pessoa dedicada em tempo integral aos projetos e que receba remuneração. 

“Mais do que sermos sustentáveis, a SAP atua para habilitar a sustentabilidade de empresas de variados segmentos do mercado. Entendemos que a tecnologia é uma ferramenta capaz de fazer o mundo funcionar melhor e de levar mais oportunidades à sociedade. Essa competição saudável entre startups visa justamente revelarmos o que há de mais inovador e transformador, e os impactos dessas soluções em termos ambientais e sociais”, afirma Matheus Souza, Chief Digital Transformation Officer do SAP Labs Latin America. 

As inscrições são gratuitas e estão abertas até 13 de julho. Posteriormente, os projetos serão avaliados, e 20 deles serão selecionados para a etapa de aprofundamento. Nessa fase, os trabalhos terão suas potencialidades analisadas em conjunto com mentores. Na sequência, 12 finalistas serão escolhidos para participar, em novembro, de um encontro de aceleração, treinamento e inspiração. 

A startup vencedora receberá um prêmio de US$ 6 mil para investir em seu projeto, além de acompanhamento personalizado de um consultor do SAP Labs por um ano. O objetivo da assessoria é fortalecer o projeto e ampliar as chances da vencedora de se tornar um dos parceiros da SAP, possibilitando conectar-se com mais de 400 mil clientes da empresa no mundo. A Socialab também oferecerá apoio para que o modelo de negócios da vencedora seja ‘Hippietalista’, ou seja, que a empresa possa gerar lucro financeiro e impacto socioambiental simultaneamente. 

Nas edições anteriores, os projetos vencedores foram: 

  • 2017 – Bikelite (Chile): solução para que ciclistas utilizando GPS criem rotas seguras para evitar acidentes e situações como roubo ou ruas em más condições. 
  • 2018 – Ecolones (Costa Rica): rede de pessoas que reciclam e trocam resíduos por criptomoedas para uso em lojas. 
  • 2019 – Nilus (Argentina): plataforma que conecta empresas de alimentos com produtos prestes a serem descartados com cozinhas populares. 
  • 2020 –  Safe Drinking Water For All – SDW (Brasil), startup concentrada em promover a democratização do acesso à água potável e ao saneamento básico nas comunidades mais carentes por meio de soluções inovadoras. 


As inscrições podem ser feitas em Social Innomarathon

70% dos brasileiros estão insatisfeitos com autoatendimentos de SAC, aponta pesquisa

Foco de atenção para muitas empresas, o serviço de autoatendimento ao consumidor ainda deixa a desejar no Brasil. De acordo com uma pesquisa inédita, 70,2% dos brasileiros não tiveram experiências satisfatórias com a utilização de canais de atendimento como FAQ e Chatbot no Brasil. O estudo foi realizado pela empresa de tecnologia NeoAssist, em parceria com a E-commerce Brasil.

Dos entrevistados, 59,5% afirmaram não ter seus problemas solucionados com os serviços de autoatendimento oferecidos pelas organizações, enquanto 35,1% acreditam que tenha sido regular. Porém, 20,7% consideram que essa experiência tenha sido ruim e para 14,4% tenha sido muito ruim. 

Segundo Anna Moreira Bianchi, CEO da NeoAssist, o objetivo do levantamento é entender se as soluções de autoatendimento estão cumprindo a sua função de solucionar questões dos clientes de forma ágil e descomplicada. “Acreditamos que o autoatendimento ou sistema de atendimento inteligente é uma solução moderna e eficaz para otimizar o relacionamento com o cliente. Entretanto, como uma tecnologia nova, que ainda está em desenvolvimento, existe uma série de melhorias que ainda podem e devem ser feitas. Além disso, um SAC inteligente eficiente não é só suprir a demanda do seu cliente, também é personalizar o atendimento para ele. É isso que as marcas e empresas  precisam ter em mente.”, afirma. 

A pesquisa ainda aponta que apenas 18% dos consumidores consideram o autoatendimento de instituições bom e 37% afirmaram ter total confiança. 50% responderam ainda que têm pouca confiança em canais de autoatendimento (como chatbot e FAQ) e acabam confirmando a informação em algum outro canal; 12% afirmaram que não confiam de jeito nenhum.

Nos resultados encontrados, 93,7% dos consumidores entrevistados já tiveram alguma experiência de atendimento com FAQ e Chatbot e 83,7% pertencem às regiões sul e sudeste. Para eles, os maiores desafios dos canais de atendimento estão atrelados ao fornecimento de respostas alinhadas à dúvida apresentada e a correta compreensão das dúvidas apresentadas. Entre os questionados, 30% acreditam que o desafio é a falta de interação com outras formas de atendimento, enquanto 33% acham ser a comunicação descomplicada. Já 20% apontam a limitação de integração com outros sistemas.

Para a pesquisa, foram entrevistadas 200 pessoas em todo o Brasil para entender se o autoatendimento é uma realidade na hora de resolver problemas ou tirar dúvidas. Os canais de atendimento mais utilizados pelos consumidores quando precisam resolver algum problema ou para sanar alguma dúvida são: WhatsApp (33,3%); Chat Online (29,7%) e por telefone (22,5%). Por fim, 90,1% dos consumidores que responderam ao questionário acreditam que os canais de atendimento ganharam espaço nas operações de atendimento.

Indigo anuncia Bernard Hennies como head do Marketplace Brasil

A Indigo, startup agro que desenvolve inovações digitais para o setor, anunciou Bernard Hennies como head do Marketplace Brasil. O executivo tem mais de 30 anos de experiência na cadeia global do agronegócio, incluindo produção, compras, manuseio, logística e comércio internacional, e já passou por empresas como ADM, Agspring e NovaAgri.  

“Estou animado em poder fazer parte dessa iniciativa da Indigo de trazer ao Brasil uma plataforma que permitirá que produtores rurais e compradores acessem um universo enorme de possibilidades para negociar”, afirma Hennies. 

Para o CEO LATAM da Indigo, Dario Maffei, a experiência de Hennies na implementação de modelos de negócios complexos relacionados à cadeia de abastecimento agrícola e relacionamento de longo prazo com os principais stakeholders no Brasil do mercado de grãos adicionará um novo conjunto de capacidades e visão diversa à startup no Brasil. “Com isso, expandiremos facilmente as sinergias com outras ofertas Indigo já existentes no país. Estamos muito entusiasmados em tê-lo em nosso time”, comenta. 

O Indigo Marketplace é uma solução já disponível nos Estados Unidos e que está em fase avançada de desenvolvimento para ser lançada no Brasil até o final de 2021. A plataforma permite conectar digitalmente produtores a compradores de commodities agrícolas para comercialização de grãos de forma ágil e segura. Um dos seus principais diferenciais é oferecer a realização de transações on-line e ferramentas de inteligência para o suporte de tomada de decisão no processo de compra e venda de grãos. 

Energy Pitch, da Rio Oil ﹠ Gas 2022, seleciona 26 empresas para Pitch Live

Pequenas e médias empresas apresentarão produtos e serviços para 15 demandantes de O&G em reuniões virtuais até a próxima sexta

O Pitch Live conta com a participação de 26 pequenas e médias empresas (PMEs) brasileiras, que estão apresentando suas soluções para 15 relevantes corporações da cadeia de petróleo e gás (O&G) até a próxima sexta (9 de julho).

As empresas foram escolhidas por um comitê do setor – formado pelo Instituto Brasileiro de Petróleo e Gás (IBP), Apex Brasil e demandantes -, que analisou 47 vídeos e selecionou serviços e produtos nas áreas com maior demanda na indústria de O&G: automação e controle de sistemas, engenharia & construção, responsabilidade social, entre outras.

Esta etapa do Energy Pitch, da Rio Oil & Gas 2022, tem como principal objetivo o fortalecimento do networking e o aquecimento do business entre diferentes elos do segmento, além de gerar proximidade na relação entre IOCs, NOCs e PMEs no país. A iniciativa é uma parceria do IBP e da Apex Brasil.

“Nossa expectativa é ter um Pitch próximo dos 90% de efetividade, o que demonstra a retomada do setor de petróleo e gás para novos deals, a abertura para troca de expertise do segmento e o contínuo aperfeiçoamento para excelência de gestão em todos os elos da cadeia”, comenta Cristina Pinho, Diretora Executiva Corporativa do IBP e Co-Chair da Rio Oil & Gas 2022.

A executiva reforça que a equipe do projeto ainda realizou um “match” entre expositores e corporações demandantes de O&G, de acordo com os segmentos de cada um, e ficou impressionada com a boa receptividade. “Selecionamos os vídeos, seguindo critérios técnicos de solicitações do setor, e direcionamos para lideranças das companhias de O&G avaliarem. Algumas corporações gostaram tanto que pediram para falar com todas as empresas desta etapa do Energy Pitch”, analisa Cristina.

Os inscritos da plataforma da Rio Oil & Gas também podem distribuir “likes” para as melhores soluções da cadeia de petróleo e gás ao visitarem a área destinada ao Energy Pitch – no hub exclusivo de informações do evento – até 30 de julho. A seleção será relevante para ampliar a visibilidade das soluções e das marcas das PMEs, bem como promover novos negócios entre expositores e empresas do setor de petróleo e gás (O&G).

Cada vídeo tem cerca de 2 a 3 minutos com os principais produtos e serviços setoriais – diferentes tipos de soldagem, sistemas de limpeza mecanizadas de tanques, plataforma automatizada para recuperação autossuficiente de óleo, cabos e interconectores elétricos – que poderão ser selecionados pela cadeia de O&G para desenvolvimento de novos projetos em sinergia com a formação de acordos e parcerias.

DHL é nomeada Líder no Quadrante Mágico de 2021 do Gartner em todo o mundo

A DHL Supply Chain, divisão de logística do Deutsche Post DHL Group, foi denominada Líder no Quadrante Mágico de junho de 2021 para logística terceirizada, mundialmente. O Gartner, líder em consultoria e pesquisa de mercado, avalia anualmente fornecedores de logística terceirizada em todo o mundo no que diz respeito às categorias “abrangência de visão” e “capacidade de execução”.

Oscar de Bok, CEO Global da DHL Supply Chain, destaca os pontos fortes da empresa: “Nossa agilidade e capacidade para se adaptar – visíveis durante a pandemia do coronavírus – são extremamente valorizadas por nossos clientes. Por meio da proximidade e do diálogo intensivo com nossos clientes, compreendemos suas verdadeiras necessidades e desafios e podemos encontrar as melhores soluções em cadeias de suprimentos para eles. Temos muito orgulho de que, mesmo durante a pandemia, fomos capazes de reagir com rapidez aos desafios que surgiram e de desenvolver as melhores soluções em cadeias de suprimentos para nossos clientes. Criar operações e soluções de transporte, literalmente da noite para o dia, só foi possível por meio de uma análise de dados avançada, equipes bem treinadas e uma cultura de fazer a coisa certa na primeira vez. Nosso progresso com a digitalização das cadeias de suprimentos contribuiu de maneira essencial para o nosso sucesso “.

“Estou muito satisfeito com a posição de Líder no Quadrante Mágico do Gartner para Logística Terceirizada”, disse Patrick Kelleher, Global Chief Development Officer da DHL Supply Chain. “Ter a DHL como um fornecedor global de serviços 3PL líder quando o assunto é sustentabilidade é particularmente gratificante tendo em vista nossos esforços em sustentabilidade, que temos implementado com tanto sucesso. É importante para nós não apenas encontrar as melhores soluções em cadeias de suprimentos para nossos clientes, mas também tornar essas soluções tão sustentáveis quanto possíveis. Com a nossa agenda ESG e nossos programas Go Green para todo o grupo, ajudamos nossos clientes a cumprir suas metas de sustentabilidade”.

Investo recebe aporte de R$ 15 milhões e mira expansão de ETFs no Brasil

A Investo, primeira gestora independente especializada em ETFs do Brasil, anuncia Seed Round no valor de R$ 15 milhões por investidores anjo do ecossistema de Harvard. Com o investimento, a empresa pretende impulsionar a infraestrutura da operação e aumentar a eficiência dos ETFs com previsão de lançamento ainda em 2021.

Além do montante financeiro, a captação traz maior expertise no desenvolvimento de tendências no mercado de capitais, uma vez que os investidores possuem ampla atuação no segmento. Entre os principais nomes está Rene Kern, ex-conselheiro da BM&FBovespa e Managing Director da General Atlantic.

Fundada por Cauê Mançanares, Silvio Junqueira e Gabriel Lansac, a Investo foi lançada em março de 2020 com o propósito de tornar o brasileiro um investidor global, por meio do acesso a produtos que facilitem a vida dos investidores que desejam investir em empresas internacionais.  O principal foco da fintech serão Exchange Traded Funds (ETFs), fundos de investimento que são negociados em bolsa, com qualquer corretora e valores de investimento a partir de  R$10. 

Para Cauê Mançanares, CEO e cofundador da Investo, captar um Seed Round com profissionais com ampla experiência em ETFs e no mercado de capitais internacional é de extrema importância para o desenvolvimento de produtos eficientes e estrutura operacional robusta. “O mercado financeiro é um setor com forte regulação e requer extrema solidez das empresas que decidem atuar no setor. Não é viável criar uma startup de “garagem” e acreditar que vai conseguir prover serviços financeiros inovadores e de qualidade, é preciso ter resiliência de processos, equipe e infraestrutura e isso requer investimentos e muito estudo”, explica Mançanares.

A escolha pelos investidores se deu, principalmente, pelo “match” de visão sobre o potencial do mercado de ETFs para democratizar o acesso a investimentos globais. Além disso, a empresa buscou profissionais que já tivessem experiência com a implementação do produto em outros países, possibilitando um aprendizado grande com essa experiência, e foco em setores promissores ao redor do mundo.  Nesse cenário, os investidores do Seed Round se concentram em profissionais e investidores do mercado financeiro americano, com vivência na democratização dos ETFs nos EUA, e dos mercados europeu e asiático, proporcionando uma visão global dos ETFs. 

Com expectativa de fechar o ano com doze ETFs listados na Bolsa de Valores brasileira, popularmente conhecida como [B]³, e mais de 200 mil investidores, a gestora já possui data para o primeiro lançamento, previsto para ser anunciado nas próximas semanas.

Inscrições abertas para o 2º Prêmio Fundação Grupo Volkswagen

Estão abertas as inscrições para a 2ª edição do Prêmio Fundação Grupo Volkswagen, realizado em parceria com a Yunus Corporate, unidade de inovação social corporativa da Yunus Negócios Sociais. A premiação irá reconhecer projetos de impacto social de todo o Brasil, alinhados à missão da Fundação e às suas três causas de atuação: mobilidade urbana, mobilidade social e inclusão de pessoas com deficiência.

Durante o processo, serão selecionadas seis organizações sem fins lucrativos para participar do Programa de Aceleração, com duração de doze semanas. Essa etapa inclui capacitação, mentorias com especialistas, consultoria customizada e incentivo à criação de redes, por meio de atividades e encontros on-line. Após essa fase inicial e a apresentação virtual dos projetos a uma banca julgadora, três organizações sociais serão escolhidas e premiadas com R﹩ 100 mil cada uma. Além disso, ao longo de 2022, elas terão suas ações acompanhadas pela Fundação e a Yunus, com foco em seu desenvolvimento institucional.

“Em sua segunda edição, o Prêmio Fundação Grupo Volkswagen vem se consolidando como um dos principais editais do Brasil voltados ao fortalecimento de organizações da sociedade civil, por meio de formações de ponta e de apoio financeiro. Mais do que isso, com a premiação e a parceria com a Yunus, queremos aproximar o terceiro setor de metodologias inovadoras e do universo dos chamados negócios sociais, sem descuidar das particularidades das organizações sem fins lucrativos. Assim, esperamos contribuir para a solução de desafios concretos nas causas abraçadas pela Fundação”, afirma Vitor Hugo Neia, Diretor de Administração e Relações Institucionais da FGVW.

Para a Yunus, o programa também é uma oportunidade de mostrar que os negócios sociais caminham de mãos dadas com as organizações sociais em termos de intencionalidade e propósito de existência e é de extrema importância manter essa finalidade de impacto positivo de transformação. “Além do impacto, a nossa aceleração pretende ajudar essas organizações a encontrarem modelos de sustentabilidade financeira, que vão para além dos formatos tradicionais de captação de recursos, e que permitam que a organização e o seu impacto se mantenha no tempo de forma sustentável”, explica Rui Lira, Head de Inovação Aberta da Yunus.

As linhas de atuação dos projetos elegíveis incluem, entre outros temas, geração de renda em territórios vulneráveis e periféricos, empreendedorismo feminino, educação inclusiva para pessoas com deficiência e tecnologias e inovação para a mobilidade urbana. As inscrições estarão disponíveis de 24 de junho a 21 de julho de 2021, às 18h, horário de Brasília. Para conhecer o edital e se inscrever, acesse https://bit.ly/3gSijWM .

Diversidade e inclusão: Em linha com os valores e a estratégia de investimento social da Fundação Grupo Volkswagen, os critérios de seleção dos finalistas para o Programa de Aceleração englobam o incentivo à diversidade, tanto da equipe responsável pela organização quanto do público-alvo dos projetos inscritos. Nesse sentido, serão levados em conta aspectos relacionados à raça, gênero, orientação sexual, idade e deficiência, além da região de origem da organização social.

Histórico: Realizado desde 2019, o Prêmio Fundação Grupo Volkswagen tem periodicidade bienal, uma vez que inclui não somente a formação e o patrocínio das organizações, mas também seu acompanhamento no ano seguinte ao lançamento do edital. Na 1ª edição, a premiação recebeu 406 inscrições de todos os estados e Distrito Federal. Foram vencedores o Instituto Aromeiazero (mobilidade urbana), a ONG Acreditar (mobilidade social) e o Instituto MeViro (inclusão de pessoas com deficiência).

Siemens tem novo Diretor de Inovação Corporativa

Há 30 anos na Siemens, o executivo José Borges Frias Jr. assume a posição de Diretor de Inovação Corporativa tendo como objetivo alavancar as oportunidades na área que é tida na companhia como base de crescimento sustentável tanto nos processos internos quanto nas soluções para clientes.

O executivo terá no novo cargo os seguintes desafios: estabelecer e zelar pela governança para a inovação na Siemens; assegurar alinhamento entre a estratégia de inovação e do business; promover iniciativas de inovação junto às unidades de negócios; coordenar a atuação da companhia nos ecossistemas de inovação; coordenar o melhor aproveitamento de leis de incentivo e fomentos à inovação; e representar a Siemens em entidades, associações e comitês brasileiros de inovação. 

Nesta função Borges já está à frente de projetos como a participação da Siemens no ecossistema Hub de Inovação do IPT Open Experience e no Centro de Pesquisa Aplicada (CPA) em Inteligência Artificial com o IPT, recentemente anunciado como resultado da chamada pública Fapesp – MCTI – CGI.BR.

Engenheiro Mecânico formado pela Universidade de São Paulo (USP) e bacharel em Administração de Empresas pela mesma instituição de ensino, Borges iniciou sua carreira na área de Engenharia Industrial, passou pelo headquarters da Siemens na Alemanha em um projeto de transferência de tecnologia, atuando ainda na Gestão da Qualidade e no Service. Nos últimos 15 anos, foi consultor de Marketing e Estratégia, tornando-se, em seguida, Gerente de Marketing Estratégico e Excelência de Negócios. Hoje, é também Diretor de Estratégia e Desenvolvimento de Negócios da Operating Company Digital Industries, cargo que acumula como Diretor de Inovação Corporativa. 

ACATE e SENAI abrem 90 vagas em programa de formação de desenvolvedores

Driblar a falta de mão de obra qualificada é um dos grandes desafios no setor de tecnologia, ainda mais diante das necessidades impostas pela pandemia, como a transformação digital das empresas. Para tentar minimizar esse deficit de profissionais, a Associação Catarinense de Tecnologia (ACATE) e o SENAI abriram duas novas turmas do DEVinHouse, programa de formação de desenvolvedores. São 90 vagas disponíveis, com inscrições até 27 de julho. 

A iniciativa conta com 15 bolsas de estudo integral, por turma, para pessoas em carência financeira. Os patrocinadores destas edições são Teltec Solutions, BRy Tecnologia, Involves e PariPassu. Cada empresa irá contratar, no mínimo, cinco alunos do programa.  As aulas online das duas turmas começam dia 23 de agosto.

Quer participar do processo seletivo?

Inscreva-se até o dia 27 de julho no site http://devinhouse.sesisenai.org.br/acate/  

“O setor de tecnologia não para de contratar. Em Santa Catarina, são milhares de vagas abertas. Por isso, o DEVInHouse é uma grande oportunidade para jovens talentos e para quem quer pivotar a sua carreira. Em seis meses de curso intensivo, os alunos já podem iniciar a carreira de programador. E, por meio da parceria entre instituição formadora (SENAI), ACATE e empresas patrocinadoras, quem se dedicar e tiver um bom desempenho terá emprego garantido”, destaca o vice-presidente de Talentos da ACATE, Moacir Marafon.

O programa DEVinHouse teve início em novembro de 2020, com uma turma patrocinada pela Softplan. Foram 800 inscritos na primeira edição e, dos 40 alunos, 12 já foram contratados pela empresa. Neste ano, a primeira turma, com patrocínio da fintech Conta Zap, começou as aulas em junho. Para 2021, estão previstas mais duas turmas do DEVinHouse e a expectativa é de iniciar a formação de 225 alunos neste ano, informa o gerente do Centro de Educação Digital do SENAI-SC, Fabiano Bachmann. 

Podem se inscrever pessoas com ensino médio completo e de qualquer lugar do Brasil. Além disso, é necessário ser aprovado no processo seletivo.

Bolsas integrais

Para cada turma do DEVinHouse estão previstas 15 bolsas de estudo integrais, sendo dez do SENAI e cinco proporcionadas pelo lucro da venda do livro “Ponte para a Inovação: como construir um ecossistema empreendedor”. O livro é um guia completo com uma visão prática para o desenvolvimento de ambientes que favoreçam e fomentem a inovação no Brasil, principalmente fora dos grandes centros econômicos. A construção da obra foi viabilizada a partir dos patrocínios da CTG Brasil, Engie, Únilos Cooperativa de Crédito, ArcelorMittal e Invisto, com o apoio da ACATE e do Sebrae Santa Catarina. Todo o lucro obtido com o livro, incluindo a venda de exemplares, será destinado a projetos de formação de talentos na área da tecnologia na Grande Florianópolis, principalmente para pessoas em situação de vulnerabilidade social. 


Mais informações sobre o DEVinHouse estão disponíveis neste link http://devinhouse.sesisenai.org.br.

Com visão otimista, brasileiros acreditam conseguir novas oportunidades de trabalho até o final do ano, aponta Randstad

Trabalhadores de todo o mundo estão mais otimistas com relação ao mercado de trabalho, revela pesquisa da Randstad, líder global de soluções de Recursos Humanos. Com o intuito de mapear tendências e ser instrumento para tomadas de decisões, a primeira edição de 2021 do Randstad Workmonitor, finalizada em março, mostra que, em média, 54% das pessoas tinham esse sentimento positivo. Já no Brasil, 63% dos entrevistados estavam otimistas e apostaram em conseguir novas oportunidades de trabalho até o fim deste ano. Muitos apontaram que conseguiriam melhores vagas após serem vacinados (77%). O estudo englobou 27 mil trabalhadores, e seus resultados coincidem com o início da vacinação no país, com indícios da consequente retomada da economia.

Instrumento que ajuda empregadores a traçar estratégias de contratações e negócios, o Workmonitor busca mapear tendências de comportamento e anseios da força de trabalho. Essa, que é a terceira edição desde o início da pandemia, traz insights importantes sobre quais são as necessidades, desafios e expectativas dessas pessoas, principalmente em um mundo que começa a se preparar para um pós-pandemia.

“Apesar desse otimismo, alertamos que ainda é preciso cautela, já que ainda estamos vivendo momentos delicados da pandemia no Brasil. De qualquer forma, entendemos que esses dados contribuem para o planejamento das empresas que querem entender o sentimento de sua força de trabalho, desenhando assim o futuro a ser construído. A pesquisa tem esse papel, ser uma aliada dos líderes executivos, apontando possíveis caminhos sobre o que pode ser feito agora. Afinal, levará tempo para acomodarmos tantas mudanças e precisamos nos adaptar constantemente”, afirma Fabio Battaglia, CEO da Randstad no Brasil.

O Workmonitor revelou ainda que 75% dos brasileiros já desejavam retornar ao local de trabalho assim que possível, seguindo o índice global de 78%. A maioria espera ter uma programação de trabalho híbrida, e esse parece ser o arranjo mais popular – Brasil 61% e Global 53% – já que muitos que conseguiram ficar remotos, adaptaram-se e tiraram o melhor proveito da situação. Esses, disseram que sua produtividade permaneceu a mesma ou até melhorou durante a pandemia, atribuindo vários motivos para essa evolução, como a eliminação do tempo perdido em deslocamentos e horários mais flexíveis.

No entanto, o cenário não é totalmente otimista. Para quem trabalha em casa, a sensação de isolamento, a incapacidade de encontrar um equilíbrio saudável entre vida profissional e pessoal, além do anseio por conexões pessoais com colegas continuam sendo preocupações de muitos. No Brasil, 58% sentem falta da interação social que os espaços de trabalho proporcionavam e 35% sentem dificuldade em equilibrar vida profissional e pessoal.

Já para aqueles que devem retornar ou se mantiveram trabalhando presencialmente – a maioria dos trabalhadores da economia global – ter que usar máscara o tempo todo, sentir-se em risco no local de trabalho e assumir uma carga maior devido a colegas em quarentena ou doentes, tornou seus trabalhos mais difíceis. No Brasil, por exemplo, o medo de ser contaminado no trabalho ainda tomava 60% dos entrevistados. Além disso, com o desemprego em alta no país, o medo de fazer parte dessa estatística é constante.

No estudo, os trabalhadores demonstraram apreciar empregadores que adotaram protocolos rígidos e claros para o trabalho presencial e remoto, além de políticas implantadas para manter um equilíbrio adequado entre vida pessoal e profissional. Dos profissionais brasileiros ouvidos, por exemplo, metade declarou que gostaria de continuar em seu trabalho, devido às medidas de segurança e de bem-estar que seus empregadores proporcionaram durante a pandemia.

De maneira geral, os resultados finais apontam para um desejo de retomar a vida como conhecíamos antes da pandemia, mas com melhorias como o trabalho híbrido e mais flexibilidade. “Para manter o otimismo do trabalhador em alta, as companhias precisam fortalecer suas políticas de gestão, não se esquecendo de focar em saúde e bem-estar, equilíbrio de vida profissional e pessoal, pontos mencionados pela maioria dos entrevistados. Na medida em que se cria um ambiente seguro e flexível, o otimismo aumenta e, consequentemente, a retenção e produtividade”, finaliza Fabio Battaglia.

CI&T abre 300 vagas para seu Programa de Estágio 2022

A CI&T, multinacional brasileira especialista digital para grandes marcas globais, anuncia a abertura das inscrições para a edição 2022 do seu programa de estágio, o CI&T Next Gen. Serão contempladas 300 novas vagas no novo processo de seleção, que nesta edição será novamente no formato 100% remoto – o que significa que candidatos de qualquer lugar do Brasil poderão participar. As inscrições vão até 30/07 e deverão ser feitas diretamente na página especial do programa no site da CI&T: https://ciandt.com/br/pt-br/carreiras/programa-de-estagio

Com 26 anos de atuação, a CI&T atua com projetos de transformação digital de grandes companhias globais, e é referência em gestão e formação de pessoas. Com mais de uma década presente consecutivamente no ranking das Melhores Empresas para Trabalhar (GPTW Brasil), figurando na 11ª posição em 2020, a CI&T tem sido reconhecida por oferecer um ambiente de trabalho multicultural, com equipes engajadas em inovar, colaborar e que respeitam a diversidade. Juntamente com o compromisso de alavancar o potencial de negócios de grandes marcas, a CI&T vai além para desenvolver o potencial das pessoas que compõem seu time de talentos. 

Para o programa CI&T Next Gen 2022, a CI&T irá aumentar em 50% o número de vagas oferecidas para estágio em relação ao processo realizado no ano passado, quando a companhia contratou 200 estudantes. Para a edição de 2022, serão 300 vagas destinadas a estudantes de cursos técnicos, tecnólogos, graduação ou pós-graduação ligados à tecnologia da informação, dados e design, com conclusão após dezembro de 2022, e que terão a oportunidade de desempenhar na prática todo o aprendizado até o término do seu curso. O tempo de estágio deverá ser de pelo menos 12 meses com até 30 horas semanais. O domínio do inglês pode ser um diferencial para os candidatos. 

O processo seletivo do Programa de Estágio da CI&T se destaca pela adoção de formatos inovadores, que unem o lúdico com atividades dinâmicas e muita “mão na massa”. Confira um pouco da última edição do programa neste vídeo.

“Nosso programa Next Gen vem se transformando ao longo dos anos e temos muita satisfação de fazer esse ano o maior deles, para 300 pessoas. Além disso, nos orgulhamos em dizer que todas as nossas vagas, incluindo as do Next Gen, são para todas as pessoas. No novo formato, trazemos agora a possibilidade de pessoas que tenham perfil para design e dados, além dos perfis que já trazíamos de Developer e Tester. Esperamos com isso, dar mais oportunidade para outras pessoas de se conectarem com o programa.” reforça Ivan Neves, Head of Talent Attracting.”

O CI&T Next Gen 2022 contemplará um programa de desenvolvimento composto por três pilares:

Treinamentos
Um mês de treinamentos com integração de áreas, nossa cultura e processos para capacitação técnica. 

Universidade Corporativa
A universidade corporativa da CI&T é pautada em e-learning com o objetivo de acelerar o desenvolvimento dos candidatos.

Certificações e Capacitação
A CI&T oferece materiais e ferramentas que possibilitam a busca pelo desenvolvimento técnico e de liderança.

Os interessados em saber mais sobre o programa CI&T Next Gen 2022 e informações sobre o cronograma de inscrições do processo seletivos podem acessar a página especial no site da CI&T clicando aqui.

Infobip anuncia contratação de Nestor Caratti como novo Diretor de Vendas para América Latina

Executivo definirá estratégia comercial da região com foco em Software as a Service

A Infobip, empresa global de comunicações em nuvem, anuncia a contratação de Nestor Caratti como novo diretor de vendas para a América Latina. O executivo definirá a estratégia comercial da região, com desenvolvimento de novos fluxos de receita focados em Software as a Service (SaaS). Nestor vai reportar diretamente a Vivian Jones, recém-contratado diretor de Revenue para América Latina, e ficará responsável também pela redução de ameaças operacionais e prevenção de riscos comerciais.

Com mais de 20 anos de experiência em vendas em organizações como SAP, SAS, Red Hat, Hewlett-Packard e Dell, Nestor já trabalhou com a região da América Latina e morou nos Estados Unidos, onde ganhou experiência em geração de receitas, negociação, alinhamento executivo, treinamento de equipes, construção de território, venda de quotas e expansão multiprodutos e construção de times de alta performance, tanto para vendas diretas como indiretas.

Nestor é formado em Administração de Empresas pela Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul), possui MBA com extensão em Economias Emergentes pela Harvard Business School e em Liderança Organizacional pela North Carolina State University. 

Brasil é o maior ecossistema de fintechs da AL, aponta ranking de Mambu e Findexable

De acordo com o relatório “2021 Global Fintech Rankings”, produzido pela Findexable em parceria com a Mambu, empresa líder mundial em soluções bancárias na nuvem, o ano de 2020 foi de grande expansão para as fintechs no mundo inteiro, mesmo com a pandemia da covid-19. Neste contexto, o Brasil se consolidou ainda mais como um dos grandes ecossistemas de fintechs mundialmente: o país alcançou a 1ª posição da América Latina, seguido por Uruguai, México, Colômbia, Chile, Argentina e Peru, e subiu cinco posições no ranking global, alcançando a 14ª colocação. O índice é liderado por Estados Unidos, Reino Unido, Israel, Singapura e Suíça.

A cidade de São Paulo foi uma das grandes responsáveis pelo resultado brasileiro, subindo uma posição e se tornando o 4º maior ecossistema de fintechs do mundo no comparativo com outras cidades, atrás apenas de São Francisco, Londres e Nova York, e ficando à frente de potências como Tel Aviv, Berlim, Boston e Los Angeles. No comparativo regional da América Latina, ficou à frente de Montevideo, Cidade do México, Bogotá, Buenos Aires e Santiago. Outras seis cidades brasileiras figuram no top 20 regional: Belo Horizonte (7ª colocada), Rio de Janeiro (10ª), Curitiba (11ª), Porto Alegre (12ª), Florianópolis (16ª) e Brasília (17ª).

Fintechs estão se expandindo e recebendo mais investimentos


O relatório deste ano mostra que, embora os principais centros de tecnologia e finanças permaneçam sendo Londres, Nova York e São Francisco, as fintechs estão geograficamente mais diversificadas. Vários países africanos estrearam na lista, como Seychelles, Ruanda, Tunísia, Zimbábue e Somália, e cidades como Riad e Tel Aviv subiram no ranking, com esta última figurando entre as dez principais cidades do mundo para crescimento de fintechs. Mais de 20% dos 83 países presentes listados estão ali pela primeira vez.

O relatório também mostra que o setor recebeu investimentos significativos em 2020. O número de fintechs que são unicórnios (startups privadas com uma avaliação de mais de US$ 1 bilhão) aumentou drasticamente, de 61 em abril de 2020 para 108 em abril de 2021. No mesmo período, o montante investido nessas empresas subiu de US$ 199 bilhões para US$ 440 bilhões, valor que corresponde a 20% dos investimentos em unicórnios do setor de tecnologia.

De acordo com Sergio Costantini, diretor geral da Mambu no Brasil, “as fintechs são empresas de tomada de decisão ágil, que atendem necessidades muito variadas de clientes do setor financeiro e estão revolucionando esses serviços, que se tornam cada vez mais fáceis, rápidos e simples”.

Acesse o ranking completo neste link.