Page

Author admin

Nível de automação no Brasil cresce 3% mesmo em ano difícil

Mesmo que 2020 tenha sido um ano bem incomum, empresas brasileiras buscaram a reação às adversidades e investiram em automatizar processos operacionais. Em sua quarta edição, o Índice de Automação do Mercado Brasileiro indica que empresas, indústrias e consumidores estão mais automatizados em 3% de 2019 para 2020. O estudo comprova ainda que na vertical comércio e serviços o crescimento também foi de 3%. Já na indústria, um setor que já é bastante automatizado, o crescimento foi de 2%.

O estudo, realizado pela Associação Brasileira de Automação-GS1 Brasil com apoio da empresa de pesquisas GfK, tem como objetivo mensurar o quanto a automação está presente nas empresas brasileiras e na vida do consumidor. O índice é mensurado em um intervalo de avaliação de 0 a 1, sendo 0 a ausência de automação e 1 a representação plena da automação.

Indústria – O método de estudo contempla seis dimensões para as indústrias (Sistemas, Logística, Atendimento, Relacionamento com o Colaborador, Relacionamento com o Cliente e Fábrica), avaliando em cada dimensão como é a adoção de tecnologias de automação. Com leituras por porte e categorias de uso, percebe-se que em um ano as indústrias aumentaram seu índice de automação de 0,275 para 0,305. Em média as indústrias possuem cinco linhas de produção, sendo 68% delas automatizadas. 74% das indústrias possuem um sistema de gestão que controla os setores financeiro, comercial, fiscal, distribuição, produção e RH. Na logística, 82% delas têm o código de barras como aliado para identificar seus produtos.

Comércio e serviços – A taxa de sistemas de gestão em comércio e serviços chega a 58%, sendo que as áreas comercial e financeiro as mais conectadas ao sistema de gestão, com 94% e 95%, respectivamente. A frente de caixa está conectada ao sistema de gestão em 73% dos casos. Entre os sistemas mais usados estão Warehouse Management Systems (WMS), Customer Relationship Management (CRM), Business Intelligence (BI) e intercâmbio de dados (EDI), além da URA Inteligente no atendimento. 22% das empresas do setor já identificam o perfil do cliente.

Consumidor – Com crescimento de 3% entre 2019 e 2020, o acesso à tecnologias pelos consumidores, mostra que 98% deles já possuem telefones móveis, dos quais 85% são smartphones. Nas residências, a cada seis eletrodomésticos um deles já está conectado por meio da internet. Em residências, os itens de automação mais comuns são portões eletrônicos, ar-condicionado, circuito interno de vigilância, alarmes e iluminação automática. O crescimento da adoção de tecnologias pelos consumidores também é impulsionado pelo uso dos relógios inteligentes e a adoção cada vez maior de aplicativos de celular.

Open Day[s]: Ambev, Engie, ArcelorMittal e outras grandes empresas apresentam desafios para startups

Um dos grandes desafios para as startups é conseguir oportunidades para apresentar seus produtos e serviços para grandes empresas. Para promover essa aproximação, o LinkLab, programa de inovação aberta da Associação Catarinense de Tecnologia (ACATE), promove nos dias 3, 4 e 5 de novembro a sétima edição do LinkLab Open Day[s], evento de conversas e negócios entre startups e corporates. Ambev, Engie, ArcelorMittal, Koerich, CTG Brasil e, Clamed Farmácias são algumas das empresas confirmadas. As inscrições são gratuitas e estão abertas para startups de todo o Brasil no site https://linklabopenday.com/

Durante os três dias de evento, os participantes terão a oportunidade de interagir com representantes das corporates em salas de bate-papo virtuais ao vivo, esclarecendo suas dúvidas sobre os desafios de inovação. As startups poderão encontrar previamente mais de 50 desafios mapeados pelas corporates no site do LinkLab,  e assim ver em qual deles sua solução pode ser mais adequada. Além disso, uma sala exclusiva ficará disponível para networking (entre startups, parceiros e corporates) e também um espaço da ACATE, no qual os participantes podem conhecer mais sobre a Associação e demais programas e benefícios.

“O LinkLab impulsiona o ecossistema de inovação e tecnologia, acelera o processo de inovação de empresas e facilita a entrada de startups em grandes mercados. Nessa relação, as corporates conseguem atingir seus desafios de inovação com maior rapidez, enquanto as startups têm a oportunidade de conhecer melhor seu mercado e gerar negócios. O Open Day muitas vezes é o primeiro passo de uma parceria de sucesso, um momento único de a startup mostrar que sua solução pode servir para um desafio da empresa”, destaca Silvio Kotujansky, head de Inovação e Novos Negócios da ACATE. 

Inscrições para solução de desafios vão até o dia 8 de novembro

O LinkLab conecta médias e grandes empresas a startups há mais de três anos com o objetivo de solucionar problemas e criar negócios inovadores. O programa está com chamadas abertas para startups se inscreverem na resolução de mais de 50 desafios até o dia 8 de novembro.  As empresas participantes buscam startups para promover inovação aberta e soluções para diversas áreas de negócios, como logística, marketing, data science, relacionamento com clientes, varejo, big data dentre outras.  Na página do LinkLab, é possível conhecer cada uma das corporates e seus os desafios

Para participar no LinkLab Open Day não é obrigatório se inscrever no LinkLab, porém para apresentar o seu pitch posteriormente caso haja interesse de alguma corporate, é preciso estar inscrito. As inscrições para o LinkLab são abertas o ano inteiro, mas é nesse momento que existem mais desafios rodando.

Corporates participantes da Rede LinkLab: AMBEV, ArcelorMittal, Bloco, Catarinense Pharma, CESUSC, CISA, CLAMED, Code7, CTG Brasil, Dimas, Engie, FCDL Santa Catarina, Fort Atacadista, Governo de Santa Catarina, Grupo ND, Koerich, Marisol, Orbenk, Porto Itapoá, Realize, Schulz, SETA Engenharia, Teltec Solutions, Tigre, Unimed Grande Florianópolis, UNIASSELVI, Univen, WEG e Whirpool

Siemens Gamesa tem novo Diretor Geral no Brasil

A Siemens Gamesa anuncia Felipe Ferrés como seu novo Diretor Geral no Brasil, cargo antes ocupado, durante três anos, por Roberto Prida, que, após a conclusão do processo de transição nas próximas semanas, assumirá novas responsabilidades na companhia.

Felipe possui larga experiência no setor de energia e infraestrutura e ingressou na Siemens Gamesa em maio deste ano como Vice Diretor Geral de Onshore no país. Antes, trabalhou na Siemens por cerca de 12 anos, onde ocupou cargos como Conselheiro Estratégico do board global da Siemens Energy, e Gerente Geral da área de geração termoelétrica para Brasil.

Eduardo Brito também passa a integrar o quadro de funcionários da Siemens Gamesa, como Head de Serviços no Brasil. Com 20 anos de experiência em estratégia e desenvolvimento de negócios, ele já ocupou uma série de funções-chave em bancos globais, startups e empresas multinacionais na América Latina.

Apesar dos desafios atuais, as perspectivas de longo prazo para a indústria e para a Siemens Gamesa, como líder global na indústria de energia eólica, continuam atraentes. O marco mais recente no Brasil é o terceiro pedido global da plataforma de última geração da empresa, a Siemens Gamesa 5.X. A turbina mais potente do mercado faz sua estreia na América Latina com um pedido para fornecer 52 turbinas SG 5.8-170 à empresa global de energia AES, totalizando 312 MW, na Bahia.

Vitrine interativa: Tecnologia para inovar na comunicação e conquistar consumidores

Solução da Avery Dennison pode transformar vitrines para oferecer experiências mais intensas e emocionantes, com um sistema de visualização dinâmica

Uma fina película translúcida que, aplicada sobre painéis de vidro, é capaz de transformar uma vitrine em um inovador display interativo, com promoções e conteúdos personalizados que engajam o consumidor. A tecnologia Vela™ tem sido uma grande aliada do varejo para revolucionar a comunicação e conquistar novos clientes, por meio de experiências mais intensas e emocionantes. Um recurso que permite ao lojista se destacar, em um mercado cada vez mais competitivo.

A solução retrofit é de fácil aplicação e pode ser utilizada em vitrines de diferentes tamanhos, criando telas para projeção de imagens, de forma altamente dinâmica. “A tecnologia Vela™ possibilita que qualquer vidro se transforme em um poderoso canal de comunicação. É uma forma diferente e criativa de transmitir conteúdo de mídia diferenciado, dentro do ponto de venda. Além disso, é uma solução para eventos, feiras ou qualquer espaço onde o objetivo é gerar uma experiência com o público”, destaca Adriana Pacífico, gerente de Vendas Graphics Brasil, Argentina e Chile da Avery Dennison.

A película tem a capacidade de ficar completamente transparente quando não está em uso, mantendo a visibilidade da vitrine e do interior da loja. É uma plataforma que, através de uma controladora, permite dar dinamismo às mensagens ao possibilitar o vídeo mapping, que combina projeção com transparência, de acordo com o conteúdo criado. Assim, os varejistas ganham a flexibilidade de aliar o merchandising tradicional com a publicidade digital, com um conteúdo verdadeiramente atraente para o consumidor.

Aplicação na Fast Shop


Em parceria com a Epson, a Avery Dennison criou um projeto especial no Brasil, que se tornou um caso de sucesso no varejo, representando um novo momento nas relações entre marcas e clientes. A loja da Fast Shop do Shopping Pátio Paulista, em São Paulo, recebeu uma vitrine interativa com o Vela™.

“A inovação faz parte do dia a dia da Fast Shop, com um objetivo muito claro de encantar os nossos clientes. Essa é uma vitrine extremamente inovadora, dinâmica e que chama a atenção exatamente por ser diferente do que o varejo tradicionalmente oferece. Com a tecnologia digital, as projeções mapeadas se apagam e podemos ver o produto exposto loja, enquanto na tela ao lado são apresentadas todas as informações desse item”, comenta Pedro Velado, gerente de Trade Marketing e CRM da Fast Shop.

Além da película, na montagem da vitrine foram utilizados três projetores LightScene EV-105 (Spotlight), que criaram os efeitos de videomapping nos produtos expostos, e três projetores profissionais PowerLite Pro com lentes de ultracurta distância, modelos L1405U, com 8.000 lumens, e L1755U, com 15.000 lumens. A empresa que viabilizou a instalação foi a On Projeções e o conteúdo foi criado pela produtora Proyección de Ideas. As projeções foram feitas em três planos diferentes, com destaque para a projeção inteligente no vidro externo.

“As tecnologias de projeção, aliadas aos projetos de comunicação visual, são capazes de transformar as lojas físicas e criar ambientes de experiências para os consumidores. Esta é uma tendência que cresce ano a ano e um diferencial competitivo para os lojistas”, reforça Rodrigo Machado, gerente de Negócios da Epson.

Conheça mais sobre o Vela™ e o incrível efeito proporcionado pela tecnologia na vitrine da Fast Shop, no canal da Avery Dennison no Youtube: http://www.youtube.com/watch?v=ui26hB9pSQQ

AliExpress Se Prepara Para 11.11

Mais de 1,3 bilhão de pedidos realizados em apenas 24 horas e um volume total de compras de US$ 38,4 bilhões. Estes números, que equivalem ao faturamento de três anos inteiros do e-commerce brasileiro e que são cinco vezes maiores que o faturamento registrado na Black Friday, nos Estados Unidos, referem-se ao “11.11”, nome do maior festival global de ofertas do mundo, criado originalmente na China pela multinacional de tecnologia Alibaba.

Além de descontos agressivos que incluem produtos de marcas e grifes famosas, o 11.11 tornou-se famoso em boa parte do mundo por criar uma atmosfera de diversão e entretenimento, em que shows e eventos artísticos acontecem em sintonia com o festival de ofertas. O sucesso da estratégia é refletido no crescimento exponencial do festival, criado justamente há 11 anos. Em sua última edição, por exemplo, apenas nos 85 primeiros segundos do evento, US$ 1 bilhão foi registrado em vendas.

Presente no Brasil há mais de uma década, o AliExpress assegura as ofertas do 11.11 para consumidores locais há vários anos. Esta será a primeira vez, no entanto, em que o festival ocorrerá no país acompanhado de ações culturais, exatamente como acontece em seu mercado de origem, a China. Os nomes dos artistas, shows e ações com personalidades brasileiras que participarão da ação do 11.11 brasileiro ainda são mantidos em sigilo, parte do esforço para criar um “efeito surpresa” para os consumidores locais.

Melhor experiência de compra – O 11.11 brasileiro consolidará, no país, uma série de melhorias recém-introduzidas no AliExpress, como a adoção de de três voos fretados semanais para o Brasil. A logística aérea reduz o tempo de entrega para os consumidores finais. Atualmente, compras feitas no exterior pelo AliExpress chegam até a casa do consumidor no prazo médio de 30 dias, o que permite, por exemplo, explorar os descontos do 11.11 para adquirir presentes para o Natal.

O serviço usará, ainda, a tecnologia de consolidação de pedidos chamada “AliExpress Direct”, com a qual o consumidor recebe em uma única encomenda produtos comprados de diferentes lojas do marketplace. O método reduz custos logísticos e permite, no caso de compras com valor acima de US$ 15, que o usuário possa em muitos casos receber sua encomenda com frete gratuito.

“A combinação entre diversas inovações tecnológicas que melhoram a experiência de compra do usuário e a mistura de elementos de diversão com as ofertas que compõem o 11.11, tornam o ano de 2020 o mais importante para a expansão do AliExpress no Brasil”, afirma Yan Di, country manager da empresa no país.

Neste ano, a empresa implementou no país um serviço de devolução de pacotes que pode ser feito para um endereço brasileiro, sem custos e com reembolso integral para os itens marcados com o selo “Free Return”, além de oferecer um serviço de atendimento ao consumidor operado por pessoas nativas em língua portuguesa, para esclarecer dúvidas dos compradores. Em uma adaptação às características de consumo locais, o AliExpress também permite o pagamento em até 6 parcelas, sem juros, método de compra popular entre consumidores do Brasil.

Elo seleciona mais 3 startups para o Programa de Aceleração 2020

Dando continuidade à estratégia de inovação e ao propósito de captar novas oportunidades no momento em que são concebidas, a Elo – empresa 100% brasileira de tecnologia de pagamentos – realiza em parceria com a Plug’n’Play, uma das maiores aceleradoras do vale do silício, a segunda rodada do Programa de Aceleração da Elo em 2020. As startups selecionadas para a segunda rodada são: Ironchip, Movva e Prometeo. Elas chegam com objetivo de desenvolver em conjunto com a Elo produtos e serviços que construam os modelos de negócios do futuro no setor de pagamentos.

O Programa de Aceleração ocorre em duas rodadas ao longo do ano e funciona da seguinte maneira: a Plug & Play seleciona startups por todo o mundo com base nos desafios estratégicos propostos pela Elo. Em seguida, é feito um Selection Day com as empresas listadas pela aceleradora, onde estas realizam um pitch aberto para a Elo inteira, contando um pouco sobre a empresa e solução. No caso da segunda rodada deste ano, participaram 10 startups com as soluções mais variadas como: big data, analytics, open banking, pagamentos digitais e educação financeira.

“O programa de aceleração com a Plug’n’Play é parte importante da nossa estratégia de construção do futuro dos pagamentos. Acreditamos na relação com as startups como um terreno fértil para a inovação”, comenta Duda Davidovic, Gerente Executiva de Inovação da Elo.

Considerando os dois ciclos de aceleração, a Elo já avaliou em torno de 250 startups. No primeiro ciclo, que ocorreu de maio até agosto, foram aceleradas as empresas Datarisk, Spinpay, FullFace e Kublau. Já o segundo ciclo, que também tem duração de 3 meses tem início em outubro. Confira abaixo mais detalhes sobre as startups selecionadas.

Sobre as Startups

A primeira Startup é a Ironchip (Espanha), que possui uma tecnologia que permite que você use um local seguro como uma identidade digital ou senha. A solução permite que você configure uma geolocalização considerada segura e limite ações como uso de um app ou início de transações a esse local, servindo como um fator de autenticação. Já tem casos aplicados em fintechs, indústrias e law enforcement.

Já a Movva (Brasil), possui soluções utilizando o conceito de nudges, que são reforços positivos que sugerem comportamentos e incentivam escolhas. A startup possui uma solução chamada Poupe+, onde são enviados nudges semanais com conteúdos financeiros e sugestões de atividades que possibilitam a mudança de comportamento do consumidor.

Por fim, a startup Prometeo (Uruguai), que é uma plataforma de Open Banking na América Latina, que oferece através de APIs acesso a informações bancárias de clientes, possibilitando a criação de soluções financeiras digitais. Atualmente, a startup está conectada com mais de 30 instituições financeiras em 9 países da América Latina (incluindo México e Brasil) e fornece acesso a mais de 45 APIs.

Coca-Cola FEMSA Brasil abre 1.400 vagas temporárias nas regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste

A Coca-Cola FEMSA Brasil, maior engarrafadora de produtos Coca-Cola no mundo em volume de vendas, abriu 1.400 postos de trabalho temporário nos estados de São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. As oportunidades fazem parte do Plano Verão que visa à contratação de colaboradores temporários para apoiar o aumento significativo na produção, distribuição e venda de produtos na alta temporada.

A abertura de um grande volume de vagas temporárias no verão já é uma tradição. A diferença para esse ano é que, por conta da pandemia, 100% do processo seletivo está sendo feito de forma remota para a maior parte dos cargos. As vagas disponíveis preveem contratação para o período até dezembro deste ano, sendo que em alguns casos poderá ser estendido até março de 2021.

Os cargos disponíveis são: ajudante operacional, arrumador de palete, assistente de manufatura, auxiliar de motorista entregador, auxiliar de remessa, conferente, motorista entregador, operador de empilhadeira, operador de enchedora, operador de máquina, promotor, técnico de manufatura e vendedor. A companhia oferece contratação com carteira assinada, benefícios e salários compatíveis com o mercado.

Os interessados devem cadastrar seus currículos no site http://www.contratando.com.br, onde também é possível obter informações como pré-requisitos referentes aos níveis de escolaridade e documentação necessária. O processo seletivo inclui avaliação de currículo, testes e entrevistas com a equipe da consultoria de RH Gi Group e gestores da Coca-Cola FEMSA Brasil.

Pix reduzirá uso de dinheiro em espécie e trará mais agilidade ao comércio, avalia FEBRABAN

O Pix, sistema de pagamento instantâneo, que entrará em funcionamento a partir de 16 de novembro, será uma importante oportunidade para o Brasil reduzir a necessidade do uso de dinheiro em espécie em transações comerciais, que somente de custo de logística totaliza cerca de R$ 10 bilhões ao ano. A FEBRABAN (Federação Brasileira de Bancos) avalia que a iniciativa deverá reduzir a necessidade de saques em espécie nas agências e nos caixas eletrônicos, o que também traz maior conveniência aos clientes bancários.

Para a entidade, o pagamento instantâneo, que permitirá transferências de dinheiro durante 24 horas por dia, 7 dias por semana, em até 10 segundos, também dará uma nova lógica para as atividades comerciais e trará mais agilidade para quem compra e vende.

“A economia tende a ganhar mais velocidade e ritmo, já que recursos entram e saem das contas de forma instantânea, podendo estimular mais investimentos e ganhos ao comércio. Há um grande potencial para auxiliar a economia num momento em que é importante a retomada do crescimento econômico”, avalia Isaac Sidney, presidente da FEBRABAN.

Além disso, o Pix poderá transformar-se em uma poderosa ferramenta para impulsionar a bancarização no país, trazendo novos clientes para o sistema financeiro. “O acesso a serviços financeiros constitui um passo crucial para a inclusão social e para o combate à desigualdade no país”, diz Isaac Sidney.

Segurança e conveniência nas transações

No próximo dia 03 de novembro, o Banco Central fará um soft opening do Pix – uma fase de operação restrita, com um número limitado de usuários finais, para que os participantes do sistema de pagamentos instantâneos possam executar todas as funcionalidades da ferramenta. Participarão desta etapa todas as 762 instituições que foram aprovadas nas etapas de cadastro e homologação do Pix. O sistema estará disponível para todos os clientes a partir de 16 de novembro.

Para Leandro Vilain, diretor executivo de Inovação, Produtos e Serviços Bancários da FEBRABAN, o Pix é uma inovação que trará mais segurança e conveniência ao consumidor em suas transações financeiras, como já ocorreram com outras ferramentas, como tokenização, mobile baking e internet banking. “Essa medida é condizente com os investimentos que o setor bancário vem fazendo em modernização tecnológica, que no ano passado foram de R$ 24,6 bilhões.”

Desde o último dia 05 de outubro, os clientes interessados em usar o Pix já podem começar a cadastrar suas informações para aderir à nova solução. Entretanto, o cadastramento das chaves poderá ser feito a qualquer momento, até mesmo após o início de funcionamento do sistema.

Para que as transações eletrônicas ocorram de forma simples e ágil, sem que o cliente tenha que passar todos os seus dados para o usuário que irá realizar a transferência, o PIX terá chaves de endereçamento para identificação de contas transacionais. Intitulada “chave Pix”, o cadastramento será feito através de um “apelido” que será usado pelo cliente para identificar sua conta no sistema.

O ícone do PIX estará dentro do aplicativo bancário e no internet banking do cliente, assim como já estão outras funcionalidades, como DOC e TED. A chave Pix vincula as informações básicas do usuário aos dados completos que identificam a conta transacional do cliente (identificação da instituição financeira ou de pagamento, número da agência, número da conta e tipo de conta).

Os quatro tipos de chaves Pix que poderão ser usadas e cadastradas são:

• Número de CPF/CNPJ;

• Endereço de e-mail;

• Número do telefone celular

• Chave aleatória – EVP (Uma sequência alfanumérica de 32 dígitos que, após solicitação do cliente ao seu banco, será enviada pelo Banco Central à instituição, e com ela será possível criar um QR Code)

Não é obrigatório cadastrar uma chave para fazer ou receber um Pix. Caso o usuário queira usar o sistema de pagamento instantâneo, sem a chave Pix, será preciso digitar todos os dados bancários do destinatário para realizar uma transação.

Além das chaves de endereçamento, o PIX também trará a experiência do QR Code que possuirá dois formatos:

– Estático: que poderá ser utilizado para transferências ou no comércio quando as informações para pagamentos não mudam, incluindo o valor do pagamento (exemplo: um sorveteiro, em que o preço do picolé é o mesmo sempre)

– Dinâmico: que poderá ser utilizado no comércio quando as informações para pagamentos mudam a cada momento (ex: em um supermercado, quando o valor de cada compra é diferente)

Segurança

A FEBRABAN alerta que o cadastramento das chaves Pix deve ser feito diretamente nos canais oficiais das instituições financeiras, como o aplicativo bancário, internet banking, agências ou através de contato feito pelo cliente à central de atendimento.

O consumidor não deve clicar em links recebidos por e-mails, pelo WhatsApp, redes sociais e por mensagens de SMS, que direcionam o usuário a um suposto cadastro da chave do Pix.

Tentativas de fraudes envolvendo o novo sistema de pagamento foram identificadas como ataques de phishing, ou pescaria digital, que usam técnicas de engenharia social e consistem na manipulação do usuário para que ele forneça informações confidenciais, como senhas e números de cartões. Os golpistas enviam links falsos que, quando acessados, direcionam o usuário a páginas falsas de bancos ou ainda levam à instalação de um arquivo malicioso que rouba dados pessoais e bancários.

Outro tipo de golpe, menos comum, são as centrais falsas oferecendo o cadastramento de chaves do Pix. O fraudador entra em contato com a vítima se passando por um falso funcionário do banco ou empresa com a qual o cliente tem um relacionamento ativo. O criminoso solicita os dados pessoais e financeiros da vítima.

“Os dados pessoais do cliente jamais são solicitados ativamente pelas instituições financeiras, muito menos podem ser usados indevidamente para o cadastramento do Pix sem o seu consentimento. Na dúvida, sempre procure o gerente, uma agência ou a central de atendimento oficial da instituição para obter esclarecimentos”, afirma Isaac Sidney, presidente da FEBRABAN.

IGP-M varia 3,23% em outubro

O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) variou 3,23% em outubro, percentual inferior ao apurado em setembro, quando havia apresentado taxa de 4,34%. Com este resultado, o índice acumula alta de 18,10% no ano e de 20,93% em 12 meses. Em outubro de 2019, o índice havia subido 0,68% e acumulava alta de 3,15% em 12 meses.

“Nesta edição, o IGP-M foi influenciado pela trégua oferecida pelo minério de ferro que contribuiu para a desaceleração da taxa do IPA (5,92% para 4,15%). A variação do preço da commodity passou de 10,81% para -0,71%, movimento que favoreceu o recuo da taxa do grupo matérias-primas brutas (10,23% para 5,55%). Os demais índices componentes do IGP, permaneceram em aceleração. O IPC subiu 0,77%, ante 0,64% em setembro, alta influenciada pelo grupo alimentação (1,30% para 1,90%). Já o INCC (1,15% para 1,69%) subiu graças à aceleração do grupo materiais e equipamentos, cuja taxa passou de 2,97% para 4,12%”, afirma André Braz, Coordenador dos Índices de Preços do FGV IBRE.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) variou 4,15% em outubro, ante 5,92% em setembro. Na análise por estágios de processamento, a taxa do grupo Bens Finais subiu 2,84% em outubro. No mês anterior, o índice havia registrado taxa de 2,83%. A principal contribuição para este resultado partiu do subgrupo alimentos in natura, cuja taxa passou de 0,34% para 9,28%, no mesmo período. O índice relativo a Bens Finais (ex), que exclui os subgrupos alimentos in natura e combustíveis para o consumo, variou 2,37% em outubro, ante 3,00% no mês anterior.

A taxa do grupo Bens Intermediários passou de 4,05% em setembro para 3,74% em outubro. O principal responsável por este movimento foi o subgrupo combustíveis e lubrificantes para a produção, cujo percentual passou de 4,13% para -2,79%. O índice de Bens Intermediários (ex), obtido após a exclusão do subgrupo combustíveis e lubrificantes para a produção, subiu 4,65% em outubro, contra 4,04% em setembro.

O estágio das Matérias-Primas Brutas variou 5,55% em outubro, ante 10,23% em setembro. Contribuíram para o recuo da taxa do grupo os seguintes itens: minério de ferro (10,81% para -0,71%), arroz em casca (38,93% para 9,20%) e leite in natura (9,52% para 3,29%). Em sentido oposto, destacam-se os itens soja em grão (14,32% para 14,96%), laranja (4,54% para 13,54%) e cana-de-açúcar (0,87% para 2,22%).

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) subiu 0,77% em outubro, ante 0,64% em setembro. Cinco das oito classes de despesa componentes do índice registraram avanço em suas taxas de variação. A principal contribuição partiu do grupo Educação, Leitura e Recreação (1,73% para 3,10%). Nesta classe de despesa, vale citar o comportamento do item passagem aérea, cuja taxa passou de 23,74% em setembro para 34,21% em outubro.

Também apresentaram acréscimo em suas taxas de variação os grupos Alimentação (1,30% para 1,90%), Saúde e Cuidados Pessoais (-0,52% para 0,04%), Vestuário (-0,48% para 0,29%) e Comunicação (0,03% para 0,08%). Nestas classes de despesa, vale mencionar os seguintes itens: hortaliças e legumes (-3,10% para 2,65%), plano e seguro de saúde (-2,40% para 0,00%), roupas (-0,64% para 0,37%) e tarifa de telefone residencial (0,19% para 1,34%).

Em contrapartida, os grupos Transportes (1,07% para 0,12%), Habitação (0,50% para 0,32%) e Despesas Diversas (0,28% para 0,12%) registraram decréscimo em suas taxas de variação. Nestas classes de despesa, destacam-se os seguintes itens: gasolina (3,36% para -0,34%), tarifa de eletricidade residencial (0,49% para 0,15%) e serviços bancários (0,23% para 0,10%).

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) subiu 1,69% em outubro, ante 1,15% no mês anterior. Os três grupos componentes do INCC registraram as seguintes variações na passagem de setembro para outubro: Materiais e Equipamentos (2,97% para 4,12%), Serviços (0,13% para 0,33%) e Mão de Obra (0,06% para 0,19%).

Startup vê demanda por digitalização de restaurantes quadruplicar e recebe aporte para expandir operação

A Styme, startup de serviços para restaurantes e consumidores, já sente o reaquecimento do mercado com a procura cada vez maior de restaurantes por serviços de tecnologia que auxiliem na digitalização dos processos operacionais e, consequentemente, na retomada das atividades devido à pandemia. Desde julho, a Styme conquistou 60 novos clientes e acaba de receber um aporte de R﹩ 400 mil para expandir sua operação em todo o país, com a expectativa de crescer cerca de 120% em relação aos clientes e 173% em faturamento até o fim deste ano.

A principal questão a ser solucionada é o distanciamento entre clientes e funcionários dos estabelecimentos de alimentação sem perder a qualidade e empatia no atendimento. Um dos principais serviços da startup nesse sentido é a plataforma de cardápios digitais, disponibilizados via tablets, que permitem uma experiência completa reduzindo em até 70% o contato com os garçons. Casa Graviola, Méz, Cachaçaria Água Doce, Habib´s, Ragazzo, Dasbrot, B de Burguer, Hot n Tender e Camarão Express são alguns dos clientes que utilizam a plataforma.

A qualidade visual do menu digital, desenvolvido com design e curadoria fotográfica de cada prato, além de informações detalhadas sobre sua composição, estimula o desejo pelo menu e melhora a experiência do cliente, que consegue ter uma perspectiva mais real do produto oferecido, diminuindo o volume de dúvidas a serem tiradas com os garçons e, portanto, o contato entre as partes.

Além disso, a Styme utiliza inteligência artificial para programar a venda sugestiva de acordo com as opções selecionadas pelo consumidor. Enquanto o cliente pede um simples prato como um hambúrguer, o cardápio sugere acompanhamentos que harmonizam com o item selecionado pelo cliente. O pedido feito pela interface é enviado diretamente à cozinha, sem intermédio de funcionários do local.

A tecnologia otimiza em 30% os custos com a mão de obra, além de contribuir com um aumento de até 20% do tíquete médio do restaurante. “O garçom para de fazer aquele trabalho operacional e foca em ser um consultor de vendas. Além disso, conseguimos captar informações dos clientes e o nível de satisfação do atendimento por meio de pesquisas impostas pelo cardápio”, explica Frederico Tonietto, CEO da Styme.

A plataforma também permite que o restaurante tenha processos mais ágeis, podendo ajustar promoções, formatos, combos e até mesmo o próprio menu, de acordo com os pratos que estão sendo mais vendidos e que indicam a preferência dos clientes. Até o fim deste ano, a Styme deve lançar a versão do cardápio digital com pagamento via QR CODE.

A Styme também é parceria da Linx, líder no segmento de softwares de gestão para o varejo, que permite conexão do cardápio digital com os sistemas operacionais de restaurantes de todo o país. Hoje, a solução atende em média 50 mil pedidos por mês e está presente em 12 estados do Brasil.

Tags, , ,

Segurança da informação: 8 cuidados para o trabalho remoto

Por Marcelo Furtado, CEO da Convenia

O isolamento social instituído no país para frear a disseminação do novo coronavírus fez com que diversas empresas tivessem que adaptar suas rotinas ao formato home office. Com isso, muitos gestores corporativos estão dando uma atenção a mais para a segurança da informação e dos dados da organização. Isso porque os colaboradores geralmente levam o computador do escritório para casa a fim de desenvolver as atividades remotamente. Por isso, é imprescindível que a gestão estabeleça estratégias para manter a integridade e o sigilo dos dados do negócio.

Qual a importância da segurança da informação nas empresas?

É fundamental ter uma política específica que apresente as diretrizes do trabalho remoto de forma transparente para os colaboradores, assim como tomar cuidados para garantir a segurança da informação e dos dados empresariais.

Nesse sentido, a tecnologia é uma ferramenta utilizada para manter a integridade dos documentos, armazenar e compartilhar arquivos de maneira eficiente, impedindo perdas, extravio ou violação de sigilo. Assim, o uso da tecnologia, aliado a uma mudança na cultura e conscientização, possibilita que as atividades sejam realizadas rapidamente e com a devida segurança.

A gestão corporativa deve verificar se as medidas estão sendo tomadas, entendendo se os profissionais estão realmente se precavendo de possíveis ataques cibernéticos. O ideal é que a companhia disponibilize dispositivos com sistemas e programas de proteção já instalados, como antivírus e firewall. Tomando as devidas providências, é possível dar continuidade ao trabalho tranquilamente e sem nenhum risco para o negócio.

Quais são os cuidados que devem ser tomados ao trabalhar remotamente?

Os perigos existentes no ambiente virtual são variados e podem surgir de inúmeras formas. Qualquer tipo de ameaça pode representar roubo de informações confidenciais ou de dados sigilosos da empresa. Por isso, diante de um cenário no qual o trabalho remoto é uma necessidade, é fundamental tomar determinados cuidados para manter a segurança dos arquivos corporativos de forma adequada.

8 ações que o colaborador deve executar ao levar o PC do escritório para exercer suas funções em casa.

1. Seguir diretrizes empresariais

Naturalmente, a gestão deve guiar a equipe e implementar algumas diretrizes e bons hábitos básicos de segurança. Assim, com a definição e a organização das questões internas, os colaboradores ficam informados sobre como será a rotina e quais práticas de proteção serão adotadas pela empresa. Isso também é importante para entender como se comportar no ambiente virtual de acordo com as expectativas dos gestores.

2. Só utilizar softwares e aplicativos instalados pelo TI da empresa

Mesmo antes do home office, softwares e aplicativos de TI já eram parte importante do cotidiano organizacional das empresas. Isso porque as ferramentas permitem realizar operações no departamento financeiro, de logística, de RH, e de clientes e fornecedores, de maneira totalmente segura e ágil. Para que as atividades continuem ocorrendo a distância, os colaboradores devem se adaptar, utilizando apenas os programas instalados pelo setor de tecnologia da corporação.

3. Atualizar sistemas e softwares

Outro cuidado imprescindível é instalar apenas sistemas e softwares originais no computador e mantê-los sempre atualizados. Com frequência, os programas são atualizados pelos desenvolvedores para evitar riscos de vazamentos de dados ou possíveis brechas para hackers invadirem as informações corporativas. No entanto, é necessário ter bastante atenção no momento da atualização, verificando se a fonte de notificação é, de fato, confiável.

4. Realizar backup regularmente

Fazer o backup regularmente mantém o negócio protegido contra imprevistos. Por isso, é fundamental que a equipe tenha uma rotina de armazenamento de cópias de segurança dos dados. O mais indicado é contar com sistemas em nuvem que mantém um backup a cada alteração, o que garante maior eficiência e proteção no processo de compartilhamento.

5. Usar senhas fortes

O mais indicado é utilizar sempre senhas fortes e mecanismos de autenticação, garantindo segurança e impedindo que hackers acessem as contas da empresa. Também é importante evitar salvar as senhas automaticamente no computador e no navegador. O ideal é que, a cada acesso, a senha seja digitada, fazendo disso um hábito de proteção a mais para a manutenção da integridade dos dados.

6. Controlar o acesso aos sistemas corporativos

Outra dica fundamental é controlar ao máximo o acesso aos sistemas corporativos, sempre fazendo a ação por meio de uma conexão de rede segura. Portanto, é importante verificar se o roteador da casa está com as configurações atualizadas e com uma senha forte. A gestão ainda pode incentivar os colaboradores a utilizarem uma rede privada virtual (VPN), que garante a criptografia no momento de trocar as informações relativas ao negócio.

7. Não acessar links suspeitos

Caso o colaborador se depare com links suspeitos, o mais indicado é excluir a mensagem quanto antes e reportar o problema ao departamento de TI da empresa. Ataques cibernéticos, e-mails, entre outros tipos de ameaças ocorrem diariamente e representam riscos reais para a integridade e o sigilo dos dados corporativos. Por isso, é preciso ficar atento. Caso haja qualquer tipo de notificação estranha, o melhor é não acessar os links recebidos.

8. Instalar um bom antivírus

Os antivírus são softwares específicos para verificar se os dispositivos estão ou não contaminados e, ainda, se o sistema operacional está atualizado. Além disso, os antivírus realizam atualizações que corrigem problemas técnicos – responsáveis, muitas vezes, por causar vulnerabilidade nos computadores e na rede de internet. Portanto, ter um bom antivírus instalado é essencial para exercer as atividades em formato home office.

É preciso ter em mente que as medidas citadas são de extrema importância para manter a segurança da informação, uma vez que todos os cuidados garantirão uma maior proteção para a empresa. Com isso, os gestores podem ficar mais tranquilos, tendo a certeza de que os colaboradores cuidarão da melhor forma da integridade dos dados do negócio .

Tags, ,

CIETEC abre processo para escolha de novo Diretor-Presidente

O Conselho Deliberativo do CIETEC, entidade gestora da Incubadora de Empresas de Base Tecnológica USP/IPEN, anuncia a abertura do processo de escolha de um novo Diretor-Presidente para integrar sua Diretoria Executiva. Com o auxílio de um Comitê de Busca, o Conselho fica responsável pela definição do perfil profissional dos candidatos, bem como pelo processo completo e prazos de inscrição e seleção.

O processo de seleção é composto por análise dos currículos, documentos e proposta dos interessados, assim como por uma entrevista individual com o Comitê de Busca. Todas as etapas do processo poderão ser realizadas por meio de ferramentas de comunicação eletrônica.

Para participar da seleção, os candidatos precisam ser membros qualificados de comunidades científica, tecnológica e empresarial, que se identifiquem com as diretrizes técnicas e político-administrativas estabelecidas no estatuto do Cietec.

Além disso, conhecimento e experiência profissional nas áreas de atuação do CIETEC, diploma de ensino superior, emitido por instituição de ensino superior credenciada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), ou revalidado no Brasil por instituição por ela credenciada, são outros requisitos para o cargo.

O Diretor-Presidente eleito pelo Conselho Deliberativo ocupará o cargo pelo período de três anos, com remuneração estabelecida nos termos do Artigo 22, item XVII, do Estatuto. As inscrições podem ser feitas até o dia 30 de novembro de 2020.

Para mais informações, acesse o edital completo: http://www.cietec.org.br/edital-de-chamamento/.

KLM lança treinamento em realidade virtual para pilotos

A partir de 5 de novembro, a KLM introduzirá ao mercado o treinamento em Realidade Virtual (RV, ou VR em inglês) para pilotos voando modelos Embraer 175 e 190 na KLM Cityhopper (KLC), divisão regional da companhia para voos dentro da Europa. Esses cursos foram desenvolvidos internamente e serão adicionais ao treinamento normal de pilotos. A KLM é a primeira companhia aérea a usar a realidade virtual dessa forma. 

A subsidiária da KLM, KLM Cityhopper, opera voos dentro da Europa com uma frota exclusiva de aeronaves Embraer. São 49 unidades no total, sendo 17 do modelo 175 e outras 32 do modelo 190, todas da primeira geração.

“A realidade virtual torna o treinamento facilmente acessível. É sob demanda e independente do local, pilotos não precisam estar em sala de aula ou simulador em um determinado momento. Além disso, convida-os a explorar, algo que podem fazer com segurança em um ambiente virtual”, afirma Sebastian Gerkens, Instrutor Sênior da Embraer na KLM Cityhopper. “A realidade virtual permite que pilotos se familiarizem com o cockpit com antecedência, para que façam um uso mais eficaz do tempo do simulador”, conclui.

A nova abordagem de treinamento também gerará economia de custos, entre outras coisas, porque reduz o número de fornecedores externos e torna a programação de voo de pilotos mais flexível.

Três aplicações


Os cursos de treinamento em realidade virtual para as aeronaves Embraer 175 e 190 foram desenvolvidos pelos próprios especialistas na tecnologia da KLM em cooperação com a KLM Cityhopper. O treinamento consiste em três aplicações, e são parte do curso de classificação de tipos, no qual pilotos aprendem as características específicas do tipo de aeronave que voarão.

• Cockpit virtual – o piloto está localizado no cockpit, que consiste em uma imagem interativa gerada por computador, e pode operar e ler os vários botões e medidores e testar a si mesmo.
• Vídeo instrutivo – o piloto pode assistir o que acontece na cabine durante um voo real em um filme de 360 graus.
• Reconhecimento e checagem da aeronave – o piloto pode andar pelo avião e ao redor do mesmo graças a imagens estáticas de 360 graus.

“Essas também são as três maneiras diferentes de capturar conteúdo usado para criar aplicativos de realidade virtual”, explica Werner Soeteman, gerente do Centro de Excelência em realidade virtual da KLM IT. “O cockpit virtual interativo foi criado inteiramente por nossa equipe de desenvolvedores de realidade virtual e designers 3D. Para produzir o vídeo e as fotos de 360 graus, um de nossos engenheiros sentou-se na cabine operando com uma câmera avançada de 360 graus durante o voo, em estreita cooperação com os pilotos KLM Cityhopper. Nossos desenvolvedores não têm a menor ideia de como funciona um Embraer, embora eles certamente tenham aprendido muito”, complementa.

Certificação EASA a longo prazo


A KLM vem pesquisando o que a realidade virtual pode significar para o treinamento de funcionários há algum tempo. A tecnologia já está, por exemplo, sendo usado pela KLM para o treinamento de engenheiros de manutenção e tripulantes de cabine da KLC. Agora, os pilotos dos Embraer 175 e 190 são adicionados a esta lista.

Os cursos de treinamento em RV são uma adição ao programa de treinamento existente. A KLM está investigando se é possível ter os cursos de treinamento certificados pela EASA, de modo que possam substituir algumas partes do currículo a longo prazo. A segurança e a qualidade do treinamento permanecerão primordiais.

CASE Startup Summit 2020 reuniu mais de 30 mil pessoas de todo o Brasil

Durante 19 e 23 de outubro, a Associação Brasileira de Startups (Abstartups), o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e a Associação Catarinense de Tecnologia (ACATE) promoveram o CASE Startup Summit 2020, maior evento de startups da América Latina, e que reuniu mais de 30 mil participantes de todo o país em sua primeira edição totalmente digital e gratuita.

Ao todo, empreendedores, investidores e envolvidos no universo das startups puderam conferir cinco trilhas de conteúdos em 24h de conteúdos distribuídos em quatro palcos, com mais de 200 palestrantes, além de mentorias gratuitas coletivas e individuais com a Inovativa Brasil, Darwin Startups e ACE Startups, totalizando quase 5 mil empresas atendidas, além de um espaço online exclusivo com 84 startups de todo o País na área de exposição.

Pelos palcos, passaram Brian Requarth (cofundador da Viva Real); Florian Hagenbuch (cofundador e CEO da LOFT); Eric Santos (cofundador e CEO da Resultados Digitais); Rafael Costa (partner da Vulcan); Thais Suzuki (head de customer experience da iFood), além de representantes do iFood, Stone, 99, Darwin Startups, Google for Startups, RD Station, Cubo, Nubank, entre outros.

Um dos destaques foi o painel sobre a Lei Geral de Proteção de Dados que contou com a presença da Maria Cecília Gomes, Privacy&Data Protection Researcher da FGV, Paula Zanona, advogada e Data Protection Counsel da Neoway e Fernando Bousso, Head of Privacy and Data Protection e sócio da Baptista Luz Advogados, que ressaltou a importância da legislação para empreendedores do ecossistema que desejam mostrar ao mercado que estão legalmente mais alinhados com algumas das exigências internacionais de tratamento de dados pessoais de forma flexível.

Outro tema de destaque durante o CASE Startup Summit 2020 foi o Marco Legal das Startups, assinado pelo presidente da República na última semana, e que seguiu para aprovação no Congresso. No evento, o relator do projeto e deputado Vinicius Poit comentou em palestra sobre o tema, realizada em 20 de outubro, que acredita que o documento será aprovado este ano ainda. “O plano é retomar as discussões na comissão especial que trata sobre o projeto, elaborar o relatório e entrar com um requerimento de urgência para enviar o Marco diretamente para votação pelos deputados federais”, lembra.

No dia 21, o especialista em cultura e Customer Experience Expert da Walt Disney Company Leader, Mike Donnelly, falou sobre a cultura de startups, destacando três pontos estratégicos que os empreendedores devem seguir para alcançar sucesso. “Independente do propósito definido da empresa, defina padrões e processos que garantindo que a proposta da empresa seja seguida por todos, independente do cargo e função da empesa, sem deixar perder nada no meio do caminho; sem perder a essência”, recomendou Donnely.

Em 23 de outubro, ocorreu a final do Startup Awards 2020, conhecido como o Oscar das Startups, que destacou personas e empresas em 15 categorias, incluindo Shawee como Startup do Ano e Transfeera, como Startup Revelação 2020, João Kepler como Investidor Anjo, Ambev em Corporate, Distrito como Hub de Inovação e Se Candidate, Mulher!, como startup de impacto social.

“Estamos muito gratos aos nossos patrocinadores, mentores e parceiros pelo apoio que nos deram para concluir um evento tão grande e inovador quanto o CASE Startup Summit, que levou conteúdo de qualidade em um formato totalmente disruptivo. Sem dúvidas, foi um trabalho colaborativo super importante para o ecossistema como um todo”, conclui Amure Pinho, presidente da Abstartups.

Tags, ,

Grupo Fleury abre inscrições para 6ª edição do Prêmio de Inovação

A 6ª edição do Prêmio de Inovação do Grupo Fleury (PIF) está com as inscrições abertas até 8 de novembro de 2020 para pesquisadores e empreendedores do setor de saúde. Em especial, neste ano em que o mundo todo vivenciou a disseminação da pandemia do novo coronavírus, o tema será “desafios e transformações criados pela COVID-19”. Dessa forma, o PIF tem a intenção de reconhecer e premiar os profissionais que não mediram esforços para conduzir iniciativas inovadoras, visando buscar soluções e caminhos para superação das dificuldades impostas pela pandemia.

No PIF serão três categorias premiadas com foco nas iniciativas relacionadas à COVID-19: detecção e diagnóstico, tratamento e prevenção e adaptação à pandemia. Os artigos submetidos, produtos e softwares desenvolvidos serão julgados por uma banca avaliadora sob os critérios de originalidade, aplicabilidade da solução, inovação e fator de impacto na sociedade.

Serão aceitos os trabalhos desenvolvidos no Brasil ou em colaboração com instituição nacional e que não tenham qualquer tipo de participação ou aporte do Grupo Fleury. Os finalistas serão convidados a fazer a apresentação de seus artigos ou produtos na data da cerimônia de premiação, em 4 de dezembro, por meio da plataforma virtual de eventos do inovabra habitat, cujo link será disponibilizado na página oficial da premiação e nas redes sociais do Fleury Lab.

Prêmios

Os vencedores nas três categorias (detecção e diagnóstico, tratamento e prevenção e adaptação à pandemia) receberão prêmios de R$ 6 mil, cada. Além do prêmio em dinheiro, ocorrerão outras premiações que envolverão experiências e parcerias ou mentorias para os vencedores.

Os interessados podem se inscrever até 8 de novembro e consultar o edital completo na plataforma Fleury Lab, por meio do endereço eletrônico: http://fleurylab.com.br/pif-2020/. A divulgação dos finalistas será disponibilizada no site e via e-mail até 20 de novembro.

Nvoip recebe aporte de R$ 3 milhões em rodada liderada pela BR Angels

A Nvoip , startup mineira do ramo de telecomunicações, anuncia ter recebido um investimento de R$ 3 milhões em uma rodada liderada pelo BR Angels Smart Network , associação nacional dedicada a investimento-anjo composta por executivos C-Level com atuação em grandes empresas de diferentes mercados. Os outros investidores participantes são a Cedro Capital e a Bossa Nova Investimentos.

Fundada em 2018, a empresa sediada em Juiz de Fora (MG) é voltada ao fornecimento de serviços de voz na nuvem para o setor corporativo.Atualmente, a Nvoip conta com mais de 2.700 clientes ativos, distribuídos por 26 estados brasileiros e outros 19 países. Deste total de usuários, a maior parte está concentrada em São Paulo (44%).

Embora tenha sido homologada como uma operadora de telecom pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), a Nvoip em pouco se assemelha às outras empresas do gênero no país. A startup é uma das únicas no mercado capaz de fornecer serviços 100% na nuvem, o que exclui a necessidade de qualquer tipo de instalação física, mesmo no caso de complexos sistemas de PABX.

Para utilizar os serviços da Nvoip, basta que o usuário acesse o site da empresa, realize um cadastro simples e escolha as funcionalidades que precisa para criar o sistema de telefonia de sua empresa. Não é preciso contratar pacotes ou aderir a planos com prazos mínimos de carência. O cliente opta pelo que quer e paga somente pelo que utiliza, o que inclui 0800 e 4003 ou a numeração equivalente aos dois serviços em 73 países diferentes.

“A Nvoip é capaz de fazer com que call centers ou centrais de atendimento completas sejam criadas em questão de minutos. E isso a preços bastante acessíveis. Portanto, não pensamos duas vezes antes de apoiar essa iniciativa. Modelos de negócio como esse não são ondas passageiras. Eles chegam para transformar o mercado tal como o conhecemos. Em outras palavras, é o futuro batendo à nossa porta”, avalia Orlando Cintra, CEO da BR Angels.

Ampla cobertura

Por meio de uma tecnologia bastante inovadora, a Nvoip oferece a maior cobertura do país no que diz respeito à telefonia em nuvem. A empresa também disponibiliza conexão em mais de 70 países a partir de uma mesma numeração. Além de proporcionar escalonamento e provisionamento ilimitados, a startup ainda entrega portabilidade numérica gratuita e painéis de gestão digitais com histórico e gravação sem custos adicionais para quem a contrata.

Já a URA (Unidade de Resposta Audível) utilizada pela Nvoip possui as principais funcionalidades presentes nos mais modernos sistemas de PABX do mundo e opções de áudio em 29 idiomas. O principal diferencial nesse quesito é permitir que negócios de pequeno e médio porte também tenham acesso a todos esses recursos, o que inclui interligação de filiais, integração de PABX com celulares, computadores ou tablets, relatórios diários por e-mail com BI das operações de voz e SMS, entre muitas outras funções. Para contribuir com as PMEs, a startup ainda fornece todas essas operações, gratuitamente para empresas com com até três atendentes.

“A Nvoip vem ao encontro das necessidades de um mercado que ainda possui muitos clientes insatisfeitos com questões que envolvem qualidade de serviço, burocracia, amarrações contratuais, entre outros entraves. Com um time bastante diversificado, mas que sempre atua de maneira ágil e coesa, a startuptambém possui um business model capaz de favorecer a busca por soluções de mobilidade que, como sabemos, são cada vez mais imprescindíveis no mundo pós-pandemia”, assinala Paulo Pontin, Board Advisor da BR Angles no Conselho da Nvoip.

“A chegada de novos drivers como o 5G só impulsionarão o crescimento de empresas como a Nvoip. Por isso, nosso objetivo é ajudar na execução do plano de negócios da startup. Isso não somente com o investimento financeiro, mas, principalmente, em questões de governança, estratégia, planejamento e crescimento sustentável. Para tanto, estamos constituindo, em conjunto com a Nvoip, um Conselho Consultivo que contará com um representante da BR Angels”, revela Pontin.

Tecnologia nacional

Outra vantagem da startup é a utilização de sistemas proprietários totalmente nacionais. Essa característica facilita a operação e a manutenção dos serviços, mesmo nos casos em que é preciso acessar comandos mais avançados. Todas as ferramentas disponibilizadas aos usuários possuem uma linguagem simples, didática e tipicamente brasileira. A empresa ainda oferece suporte por telefone ou via chat para casos de maior complexidade.

“Ao longo dos anos, temos visto ideias muito boas desaparecerem do mercado por não conseguirem suportar a concorrência com as grandes telecoms do país. Por isso, o apoio que conseguimos neste momento é fundamental para que possamos crescer e consolidar modelos inovadores de serviço no segmento em que atuamos. Além disso, é importante ressaltar que não estamos recebendo apenas recursos financeiros. Por meio da BR Angels, poderemos contar com a orientação contínua de CEOS de algumas das principais empresas do país. Uma vantagem como essa não tem preço”, afirma Leandro Campos, CEO da Nvoip.

Tags, , ,

Distrito é eleito o melhor hub de inovação do Brasil pela ABStartups

O Distrito, maior comunidade de inovação independente de startups do Brasil, foi eleito o melhor hub de inovação do Brasil pela Startup Awards 2020, mais importante premiação do setor, também conhecido como o Oscar das Startups. Organizada pela Associação Brasileira de Startups, a iniciativa tem como objetivo reconhecer os profissionais e empresas mais influentes deste universo. Atualmente, o Distrito possui cerca de 300 startups residentes, concentradas em 13 estados brasileiros.

As jovens empresas têm como apoio um programa digital para acelerar os negócios e, para aquelas que também precisam do espaço físico, o Distrito possui quatro hubs, dos quais três estão localizados em São Paulo e um em Curitiba.

“O principal valor dos hubs de inovação está nas conexões e nas oportunidades de negócios geradas entre as startups, as grandes empresas, os investidores e também a academia. Além da comunidade em si, o Distrito possui outras três frentes de negócio que complementam este pacote que oferecemos às startups e potencializam o seu alcance”, pontua Gustavo Araujo, cofundador e CEO do Distrito. “Sem dúvida alguma, este prêmio é o reconhecimento do sucesso deste formato e gostaríamos de agradecer as mais de 60 empresas que hoje investem em inovação aberta através do Distrito”, reforça Araujo, referindo-se aos braços de inovação corporativa, investimentos e inteligência de dados da companhia.

A migração para o universo digital era um projeto que já estava nos planos do Distrito, mas que acabou sendo acelerado pela pandemia. Atualmente, a empresa possui um time e uma estrutura que permite a qualquer startup, independentemente de sua localização, se conectar a seu ecossistema.

Recentemente, a companhia lançou o Distrito for Startups, um programa de desenvolvimento contínuo destas empresas, que tem como intuito auxiliar as novatas residentes, dos mais diversos estágios, a superar todos os seus desafios, ajudar em suas vendas e divulgação, atrair investimento, fazer a gestão de seus negócios, além de abrir as portas para novas parcerias, entre outros benefícios. Com um acompanhamento mais próximo, o empreendedor tem acesso a treinamentos de negócios e uma orientação com mentores reconhecidos pelo ecossistema.

“Apoiar estes empreendedores e ajudá-los a desenvolver a inovação é fomentar também a criação de novos empregos e a geração de renda e de conhecimentos, fatores que, juntos, podem trazer soluções para uma série de problemas de nossa sociedade. É nisto que acreditamos e é isto que nos impulsiona a chegarmos cada vez mais longe, atingindo e apoiando startups de todo o Brasil”, completa Lilian Natal, que coordena o programa do Distrito.

Tags, , , ,

IBM nomeia Tonny Martins como gerente geral para a IBM América Latina

 A IBM anunciou que Tonny Martins foi nomeado Gerente Geral da IBM América Latina.

Tonny será responsável pelo desenvolvimento da estratégia da companhia na região, ajudando a acelerar a transformação digital das empresas latino-americanas, com foco em duas áreas críticas: Open Hybrid Cloud e Inteligência Artificial.

O executivo trará sua experiência internacional em consultoria e transformação de negócios para apoiar o desenvolvimento do ecossistema de TI e encontrar novas oportunidades em toda a região na era da economia digital.

“Estou honrado e animado por ter a oportunidade de liderar uma organização tão perseverante, resiliente e comprometida”, disse Tonny Martins, recém-nomeado Gerente Geral para a IBM América Latina. “Vou manter o foco no desenvolvimento dos nossos talentos profissionais e nas melhores soluções que atenderão os clientes, o mercado e a sociedade como um todo, para que possamos construir juntos um futuro melhor.”

Tonny Martins começou sua carreira na IBM há 28 anos e, desde então, ocupou diversos cargos de liderança nos segmentos de Serviços, Soluções e Consultoria de Negócios. Nos últimos anos, Tonny foi gerente geral da IBM Brasil, responsável por projetos estratégicos que contribuíram para acelerar a transformação digital das empresas no país. O executivo brasileiro também foi presidente da IBM México, e passou por uma designação em Xangai, como vice-presidente de serviços de aplicativos para a unidade de mercados em crescimento da IBM.

O executivo sucede Ana Paula Assis, que permanece como alta executiva da IBM, em uma função global estratégica.

“Tonny é o executivo certo para guiar a IBM América Latina para a nova era. Com sua experiência liderando diferentes áreas e mercados na IBM, ele traz a combinação perfeita de um profundo conhecimento do mercado latino-americano e expertise no desenvolvimento de soluções e tecnologias transformacionais para ajudar no sucesso dos nossos clientes”, disse Ana Paula Assis, General Manager, Client Transition Leader e ex-Gerente Geral da IBM América Latina. “Pessoalmente, estou muito feliz em continuar trabalhando para atender os clientes da IBM globalmente e estou animada com o que o futuro trará para nossa empresa e nossos clientes.”

Tonny continuará apoiando a organização no Brasil para garantir uma transição tranquila e o melhor serviço para os clientes da IBM no país. O novo líder da IBM Brasil será anunciado em breve.