Page

Author admin

Ponto Fácil abre rodada seed de investimentos para levantar R$3 milhões

A Ponto Fácil – primeira franquia fintech do país – está abrindo uma rodada seed de fundraising para levantar R$ 3 milhões em investimento na empresa. Os recursos serão usados para ampliar a equipe de tecnologia, financiar o desenvolvimento de aplicativos e abrir posição para ao menos vinte novas vagas, além de investimentos em marketing e na equipe de atendimento e operações. 

A Ponto Fácil é uma startup de tecnologia focada em serviços digitais e financeiros, que oferece mais de 400 serviços e produtos digitais e financeiros, como emissão de certidões e documentos (CPF, RG, Título de Eleitor, CNH e outros) consulta a cadastros restritivos, negociação de dívidas e microcrédito, serviços do Poupatempo e Detran, benefícios sociais e INSS, consultas processuais e veiculares, entre outros. Ao optar por um modelo de negócios de franquia, a empresa se tornou a primeira franquia fintech do Brasil, a oferecer oportunidade para empreendedores de todo país.  

Com mais de quatro anos de existência, iniciou a venda de suas franquias em 2020 após a formatação e preparação da empresa para entrada no mercado, com a proposta de promover a inclusão digital e financeira para milhões de brasileiros. Mesmo em meio às restrições da pandemia, a Ponto Fácil cresceu de forma acelerada. Com apenas um ano de operação, a startup chegou a 30 unidades em quatro estados (São Paulo, Minas Gerais, Pernambuco e Rondônia), atendendo mais de 60 mil clientes por mês.  

“Vemos um horizonte de crescimento ainda mais agressivo, se considerarmos que cerca de 110 milhões de brasileiros* ainda sofrem com a falta de acesso adequado à internet e com a falta de conhecimento de como usar a tecnologia em um mundo cada vez mais digitalizado. Nós temos um propósito social e queremos chegar a todos os estados brasileiros e atender mais de 25 milhões de brasileiros em cinco anos.”, explica Felipe Caldas, CEO e fundador da Ponto Fácil. 

*Fontes: Pnad Contínua TIC (2018); FGV Social – Onde estão os idosos? (2020); Instituto Locomotiva (2019) 

ZAK, “Toast da América Latina”, anuncia aporte de R$ 80 milhões para se consolidar como plataforma de gestão All-in-One para restaurantes

A ZAK, plataforma de gestão All-in-One para digitalização e empoderamento financeiro de restaurantes, anuncia nesta quarta-feira, 10, o aporte Série A de R$ 80 milhões (USD 15MM), liderado pelo fundo Tiger Global, líder mundial em investimentos tecnológicos. A rodada contou também com a participação dos fundos Valor Capital, Monashees, Base 10 e Canary.

A Digital Restaurant Platform é a única empresa do mercado de Food Service que oferece soluções digitais e financeiras integradas em um sistema único, moderno, fluído e com custo fixo zero. Oferecendo tudo o que um restaurante precisa, desde registros de pedido de salão (PDV) e vendas online, até o back-office e pagamentos, além de ser diretamente integrada com agregadores, como iFood, Ubereats e Rappi. “Ela foi construída por um operador, para operadores”, diz David Grandes, cofundador e co-CEO da ZAK.

Este aporte permitirá à empresa expandir seus esforços de Go to Market, melhorando a eficiência e a escala de vendas e distribuição. A ZAK está atualmente estabelecida em centenas de restaurantes em São Paulo, e com o investimento, espera também crescer e expandir significativamente para outras cidades como Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Campinas, Brasília e Salvador. A meta da empresa é processar R$ 350 milhões por mês em volume total de pagamentos (TPV) até o final de 2022.

Além disso, a ZAK conta com um time com mais de 170 pessoas e espera dobrar seu número de funcionários até o final de 2022. E, principalmente, o investimento permitirá ainda que a empresa forneça uma plataforma All-in-One cada vez mais completa, incluindo serviços como Customer Relationship Management (CRM) e Marketing Automation (automatização de tarefas de marketing digital). Por meio de dados qualificados, os restaurantes serão capazes de aumentar sua presença no canal omnichannel.

Fundada em 2018, a ZAK se originou dentro de outra empresa, a Mimic, uma Dark Kitchen especializada em produzir comida em escala com vendas em canais online. Como empresa independente, chegou para resolver diversas dores do mercado, e otimizar a operação de entrega, tudo por meio de soluções inovadoras. “Utilizamos tecnologia de ponta para digitalizar e empoderar o setor de Food Service”, completa Grandes.

Por trás da ZAK estão dois equatorianos, apaixonados pela indústria de restaurantes. David Grandes e Andres Andrade são amigos de infância e, juntos, fundaram e comandam a startup como co-CEOs. Grandes possui larga experiência em tecnologia, com passagens por empresas de alto renome, entre elas Tripadvisor, OLX e Restorando. Já, Andrade, tem vivência global nas áreas financeira e estratégica. No Brasil, conheceram Marina Lima (ex-Printi e Pátria Investimentos), que ocupa o cargo de Chief Revenue Officer (CRO), na ZAK, e faz parte do time de fundadores desde a fundação da Mimic.

“Integrar sistemas por meio da tecnologia é o futuro de muitas indústrias. Além de oferecer um produto global pensado em empoderar restaurantes, a ZAK tem uma equipe diferenciada com uma visão única do mercado de restaurantes no Brasil e provaram que podem oferecer soluções inovadoras para os principais desafios do setor”, diz John Curtius, Sócio da Tiger Global.

Com o avanço da tecnologia, a transformação do setor de Food Service era inevitável. Diante do impacto do novo coronavírus, os restaurantes se viram forçados a ceder ao processo de modernização e digitalização e precisaram se reinventar para sobreviver. “Restaurantes exigem uma operação extremamente complexa e é preciso pensar em soluções que tragam mais receita e tornem essa operação mais eficiente, enquanto entregam uma experiência incrível aos consumidores”, explica Andrés Andrade, cofundador e co-CEO da ZAK. “Queremos empoderar os restaurantes, conectando toda a cadeia de gestão e agregar valor ao mesmo tempo. Isso inclui, por exemplo, possibilitar o fim de taxas fixas de PDV, SAAS (Software)”, completa.

Por meio de uma plataforma única e com base em dados sobre as vendas, custos operacionais e execução, a startup busca oferecer aos restaurantes as melhores soluções digitais com custo zero, unidos aos melhores serviços financeiros oferecidos pelo mercado. “A ZAK é o Toast da América Latina”, afirma Andres. As transformações recentes exigiram também uma comunicação direta com o consumidor. Pensando nisso, a ZAK criou uma solução que viabiliza aos restaurantes um canal direto e whitelabel, já com logística e pagamento integrados.

Faturamento do mercado de infraestrutura de TI cresce 13,5%, segundo a IDC Brasil

No segundo trimestre de 2021, o mercado de infraestrutura de TI registrou faturamento de mais de US$300 milhões, o que representa um crescimento de 13,5% em relação aos meses de abril, maio e junho do ano passado. Os dados fazem parte do IDC Brazil Enterprise Infrastructure Q2 2021, estudo realizado pela IDC Brasil – líder em inteligência de mercado, serviços de consultoria e de conferências para indústrias de Tecnologia de Informação e Comunicações.

Segundo Karina Silvestre, analista da IDC Brasil, os resultados refletem o movimento das organizações frente aos desafios trazidos pela pandemia. “Aumentar a produtividade tem sido o ponto de atenção das organizações. As empresas têm buscado consolidar suas infraestruturas de TI para torná-las mais eficientes e unir diferentes capacidades que cada modelo deinfraestrutura pode oferecer, sejam modelos tradicionais ou de nuvem”, afirma Karina.

Entre os setores estudados pela IDC Brasil, armazenamento cresceu 11,1%, graças a grandes projetos empenhados anteriormente e finalizados no segundo trimestre. Outro setor que cresceu dois dígitos- alta de 28,5% em relação ao 2º trimestre de 2020 – foi networking, sendo que o segmento de redes de acesso foi o que mais avançou, enfatizando a busca das empresas por soluções que ajudem a suportar uma densidade maior de dispositivos conectados dentro do modelo de trabalho híbrido e remoto.

Já a receita do setor de servidores sofreu uma retração de 5,2% no mesmo período. De acordo com o estudo da IDC Brasil, isso se deve principalmente à falta de suprimentos. “Na verdade, todos os segmentos do mercado de infraestrutura TI foram impactados pelo problema e sofreram com a falta de equipamentos e atrasos nas entregas. Não fosse isso, os números seriam mais positivos“, analisa Karina.

O estudo do mercado de infrastrutura do terceiro trimestre está sendo finalizado, mas para o período a expectativa da IDC Brasil é de um movimento tímido, resultado da variação do dólar e dos problemas com a cadeia de suprimentos. “As empresas continuam reportando atrasos nas suas entregas, e consequentemente afetando a produção local dos principais fornecedores de infraestrutura. Vemos que o mercado está aquecido, mas pela falta de equipamentos muitos fabricantes tiveram que continuar postergando seus negócios e deve haver backlog nos próximos meses”, adianta a analista da IDC Brasil.

Advogado lista principais desafios na hora de renegociar um contrato

Muitos acreditam que o pior da pandemia já passou. Contudo, ainda há muitas pessoas enfrentando problemas por conta de contratos que precisaram ser renegociados nos últimos meses. Isto pode ser dar tanto com pessoas físicas, como a mensalidade escolar dos filhos, seja jurídicas, como o aluguel de um espaço comercial, por exemplo, havendo, assim, diversos entraves que não foram solucionados. Por isto, o advogado Emanuel Pessoa, Mestre em Direito pela Universidade de Harvard, lista alguns desafios e técnicas para que as partes envolvidas entrem em um acordo e reduzam as perdas. 

“A Covid-19 afetou o equilíbrio econômico-financeiro de tratos firmados nas mais diversas áreas”, afirma Emanuel. De acordo com o especialista, tentar satisfazer os interesses dos envolvidos é fundamental para evitar mais problemas. “O locador que insiste em receber o aluguel completo sem levar em conta que tudo que vivemos pode impedir o inquilino de ter o fôlego necessário para se recuperar no pós-crise. Essa atitude pode fazer com que o locador perca aluguéis futuros, saindo ainda mais prejudicado. Então, é preciso mostrar ao locador que é interesse dele que o inquilino se recupere”, explica. Assim, é essencial saber se colocar no lugar da outra parte. Essa empatia, argumenta o advogado, facilita a compreensão dos interesses alheios. 

Para uma negociação de sucesso, quanto mais opções forem criadas, maiores as chances de se fazer um bom acordo. “A falta de opções parece um ultimato, é pegar ou largar. E, muitas vezes, mesmo que um acordo sem opções seja muito bom, o outro lado pode rejeitar a proposta simplesmente por se sentir acuado e coagido”, alerta. 

Como cada parte tem uma idéia do que seja justo, é preciso adotar um critério objetivo de decisão que impeça que a subjetividade prevaleça. Se o critério não depende de uma das partes, é mais fácil que a outra o aceite.

Um ambiente de confiança mútua pode facilitar a negociação presente e outras que possam ocorrer no futuro. A comunicação é primordial para isso, porque ela ajuda a superar um enorme desafio em qualquer negociação – compreender exatamente o que o outro uqer dizer. Saber conversar de forma clara, direta e precisa, para não haver mal entendido e nem deixar passar batido partes importantes do contrato, é uma das chaves para o sucesso.

Caso haja um acordo, a dica do advogado é não demorar para formalizar o que foi decidido, antes que alguém mude de ideia. É importante utilizar palavras conclusivas como “fechado”, “combinado” ou “temos acordado”, preferencialmente por escrito. É possível resolver a questão por WhatsApp ou e-mail, sendo que as duas partes devem manifestar se concordam ou não com os novos termos. Tudo isso vale como registro perante a Lei.

Vale lembrar que as negociações trabalhistas seguem regras próprias, que diminuem a margem de decisão das partes. Qualquer negociação relacionada ao trabalho formal que não siga o trâmite legal está sujeita a ser questionada.

Para Emanuel, a atenção deve ser redobrada especialmente em tempos de crise, já que muita gente está com os ânimos exaltados. Nesse caso, o ideal é deixar as emoções de lado e focar nos problemas a serem resolvidos. “A empatia é a melhor atitude neste momento. Fazer um esforço para se colocar no lugar do outro e entender que a situação está difícil para todo mundo é fundamental. Os interesses de todos estão alinhados: ninguém quer que o empreendedor quebre, que o trabalhador seja demitido ou que o fornecedor não seja pago. Quando há esse entendimento, as partes conseguem se acertar”, finaliza. 

MCom flexibiliza regras do programa Cidades Digitais

O programa Cidades Digitais, destinado à promoção da inclusão digital de órgãos públicos municipais, tem novas regras. O Ministério das Comunicações (MCom) publicou nesta terça (9/11) uma portaria que flexibiliza a gestão e manutenção da infraestrutura instalada pela Telebras, permitindo que ela seja transferida para as prefeituras. A mudança vai viabilizar a execução do projeto por parte da estatal.

Conforme o texto, a Telebras poderá firmar parcerias com empresas de telecomunicações e provedores de acesso à internet para garantir a prestação dos serviços. Poderá também, se for o caso, transferir a propriedade da infraestrutura ao município, juntamente com a gestão e a manutenção da rede. Para efetivar a transferência, é necessária a celebração de um instrumento específico, compatível com um estudo de viabilidade técnico-econômica.

Nos casos em que a infraestrutura não for transferida para a gestão municipal, o gerenciamento e a manutenção ficarão sob responsabilidade da Telebras. Será permitida assinatura de acordo para compartilhamento com as cidades. A medida ainda prevê que a estatal, no intuito de implantar redes metropolitanas, poderá celebrar acordo com prefeituras, garantindo que uma parcela dos recursos originais seja usada para a conexão ou a abertura de sinal em pontos de acesso público. As novas regras entram em vigor no dia primeiro de dezembro.

O PROGRAMA – Instituído em 2011, o Cidades Digitais tem o objetivo de modernizar a gestão, ampliar o acesso aos serviços públicos e promover o desenvolvimento dos municípios brasileiros por meio da tecnologia. Para isso, prevê a construção de redes de fibra óptica que interligam órgãos públicos locais; e a oferta de pontos de acesso público à internet em espaços de grande circulação, como praças, parques e rodoviárias.

As ações de implantação das Cidades Digitais são conduzidas pelo MCom e, atualmente, o programa já foi instalado em 192 cidades de 21 estados.

Brasileiras reavaliam carreiras na pandemia, aponta pesquisa da Pearson

Maior empresa de aprendizagem do mundo, a Pearson acaba de divulgar os resultados da Global Learner Survey 2021 – Parte 3. A pesquisa, que ouve populações de diversos países para identificar percepções e expectativas sobre a educação, está sendo realizada e publicada em vários capítulos temáticos ao longo do ano. A terceira parte ouviu mulheres empregadas ou procurando emprego em seis países (Brasil, China, Estados Unidos, Índia, Reino Unidos e México) para entender como o cenário de Covid-19 no mundo afetou a vida das mulheres tanto na carreira como na vida pessoal.

No Brasil, 84% das respondentes afirmaram que estão usando a pandemia como uma oportunidade para reavaliar suas vidas, principalmente as carreiras. Esse número passa para 86% entre as brasileiras da chamada Geração Z (entre 14 e 24 anos), 84% para as Millenials (25 a 40 anos), 79% para as Geração X (40 a 60 anos) e 89% para as Baby Boomers (nascidas entre as décadas de 60 e 70).

Quando questionadas sobre o que pretendem fazer, mulheres de diversas gerações e países responderam que planejam tomar as medidas necessárias para iniciar seus negócios próprios no próximo ano. No Brasil elas também apresentaram essa percepção, com 30% entre as mulheres da Geração Z, 33% para as Millenials, 37% na Geração X e 41% para as Baby Boomers.

Outro dado levantado pela Pearson foi o posicionamento em relação ao uso de máscaras nos escritórios físicos e ambientes educacionais. Cerca de 94% da base geral de entrevistadas brasileiras com e sem filhos concordam com o uso no meio corporativo. Já globalmente esse número é um pouco menor, mas significativo chegando a 85% que apoiam a utilização em seus locais de trabalho e 85% nas escolas.

A Pearson conduziu o estudo em parceria com a Morning Consult, empresa global de inteligência de dados sediada nos Estados Unidos. Ao todo, foram ouvidas mil mulheres a partir dos 18 anos, por meio de entrevistas online, entre os dias 17 de agosto e 5 de setembro. Os resultados são representativos da população com acesso à internet em cada país, com margem de erro de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

“Mesmo com os desafios de saúde mental, viés de gênero e uma pandemia que as deixou ainda mais multitarefas e potencializou todas as diferenças que já havia no mercado, as mulheres seguem buscando melhores oportunidades de trabalho. Além de desenvolverem novas habilidades, principalmente as com foco em empreendedorismo e em liderança”, afirma Heloisa Avilez Guerato, Diretora Comercial da Pearson.

Outras descobertas desta edição da Global Learner Survey incluem:

• Existe um impacto percebido desde o início da COVID-19 no México e no Brasil de acordo com mulheres de todas as gerações. No México, a confiança em suas carreiras entre as mulheres Baby Boomers está diminuindo (42%), além disso elas sentem também mudança nos salários (46%). Esse cenário vem sendo compartilhado também por China e Índia preocupadas com as consequências da pandemia, onde acreditam que o retrocesso econômico para as mulheres levará pelo menos 10 anos para ser recuperado.

• No Brasil (87%), China (70%) e México (79%), a maioria das mulheres acreditam têm menos oportunidades do que os homens no local de trabalho. Entre as mulheres da Geração X e também baby boomer que procuram trabalho em países como Brasil, China, Índia e México estão preocupadas com a idade e o gênero também serem uma barreira. Especialmente na Índia, elas ainda temem que sua raça e/ou etnia possa ser mais um empecilho.

• Habilidades de empreendedorismo estão entre as mais desejadas em mulheres da Geração X (31%) e Baby Boomer (29%) do Brasil. A pandemia aumentou o interesse global das mulheres em aprender novas habilidades, com 88% das que procuram trabalho buscando incrementar suas habilidades profissionais para se tornarem melhores candidatas a empregos.

• Mulheres no Brasil, Índia e México acreditam que a incerteza financeira resultante da pandemia as colocou em situação de violência doméstica. No Brasil, mais de 90% das mulheres ao longo das gerações acreditam que problemas financeiros colocaram as mulheres em situações de violência doméstica. Sobre a PearsonA aprendizagem é a força mais poderosa para mudar o mundo. Mais de 20 mil funcionários da Pearson levam nossos produtos e serviços a países ao redor de todo o planeta e trabalham por um mesmo propósito: ajudar todas as pessoas a atingirem seu potencial por meio do aprendizado. Fazemos isso oferecendo conteúdo digital e experiências de aprendizagem de alta qualidade, além de avaliações e certificações que ajudam as pessoas a desenvolverem suas habilidades e crescerem junto com o mundo ao seu redor. Nós somos a empresa líder em aprendizagem no mundo.

Natura aposta em startups para ampliar ecossistema de bem-estar

Com a chegada da pandemia e a imposição do distanciamento social, o cuidado com o bem-estar tornou-se cada vez mais importante. Pensando nisso, a Natura vem apostando no ecossistema de inovação para ampliar a oferta de soluções voltadas à promoção da saúde emocional de sua rede de relações. Uma delas é a Naomm, startup que conecta clientes a uma curadoria de terapeutas de Práticas Integrativas e Complementares (PICS). Desde o início de 2020, a plataforma online conta com mais de 40 tipos de práticas e já registrou mais de 2 mil usuários cadastrados, viabilizando diversos tipos de terapias, como yoga, meditação e terapia do som.

Para a Naomm, o diferencial do serviço está na certificação dos terapeutas que fazem parte da rede. “Garantimos profissionais altamente qualificados, com um número de horas relevantes na prática e com formação em escolas reconhecidas do mercado das PICs. Essa curadoria cuidadosa se reflete no NPS [Net Promoter Score] de 93% de satisfação do nosso público com as consultas”, afirma Laura Mariani, líder de Qualidade e Curadoria da Naomm.

O mercado de teleconsultas se mantém aquecido desde o início da pandemia. Segundo dados da Associação Brasileira de Plano de Saúde (Abramge), mais de 2,5 milhões de atendimentos online foram realizados no período de abril de 2020 a maio de 2021. Aulas e terapias realizadas online têm seguido a mesma tendência de crescimento.

“O atendimento remoto provou ser um formato muito efetivo, pois amplia a oportunidade de acesso às PICs. Qualquer pessoa com internet pode desfrutar de sessões remotas, independentemente de sua localidade, com resultados reais”, explica Laura. “Para os terapeutas da Naomm, o nosso serviço também é vantajoso, já que, além de terem acesso à nossa base de clientes, incluindo pessoas físicas e empresas, contam com apoio para gestão de agenda e suporte técnico, além de outros benefícios, como descontos para sessões com profissionais da própria rede”, acrescenta.

A Naomm é fruto do Programa CorageN, da Natura, realizado em 2018 para atrair talentos com DNA empreendedor. Por meio de um processo de seleção que dispensou currículos, pessoas de trajetórias e perfis diversos foram contratadas para participar de um programa imersivo com duração de 20 meses. Após um projeto piloto de sucesso, a Naomm foi incubada pelo programa Natura Startups, que desde 2016 atua como porta de entrada de inovação aberta na companhia, conectando empreendedores aos desafios de negócio e entregando métodos e facilidades para que as conexões sejam bem-sucedidas. Até hoje, o Natura Startups já analisou mais de 5 mil startups, interagiu com mais de mil, realizou testes com mais de cem e firmou parceria com mais de 40.

“Trabalhamos no modelo de inovação aberta há mais de 20 anos e temos no ecossistema inovador um grande aliado para criar soluções aos desafios de negócio e oferecer serviços e produtos disruptivos que gerem impacto positivo para as pessoas e o meio ambiente. Startups como a Naomm nos ajudam a disseminar o propósito da Natura de levar beleza e bem-estar por meio das relações”, afirma Luciano Abrantes, Chief Technology Officer (CTO) e Inovação Digital da Natura &Co América Latina.

Tags

Brasil pode perder competitividade com o aumento da carga tributária sobre os salários, aponta a ABES

Com o propósito de contribuir para a construção de um Brasil mais digital e menos desigual, no qual a tecnologia da informação desempenha um papel fundamental para a democratização do conhecimento e a criação de novas oportunidades para todos, além de assegurar um ambiente de negócios propício à inovação, ético, dinâmico e competitivo globalmente, a ABES – Associação Brasileira de Empresas de Software continua defendendo a desoneração da folha de pagamento e a manutenção de 8 milhões de empregos, defendendo por sua prorrogação até o final de 2026.

Atualmente, a desoneração da folha beneficia 17 setores estratégicos da economia brasileira necessitam intensamente de mão de obra – entre eles, o de tecnologia da informação. Muitas empresas utilizam esse benefício e, no atual cenário de recuperação econômica, a extinção dessa medida pode ser um obstáculo para a manutenção e geração de novos empregos. “O emprego formal, no Brasil, acarreta uma carga tributária altíssima. A desoneração da folha não só garante milhões de empregos, como também possibilita às empresas brasileiras reter talentos. Hoje, muitos profissionais estão sendo assediados por empresas estrangeiras com salários em dólares, devido aos altíssimos encargos trabalhistas, as empresas brasileiras não conseguem competir. A migração destes talentos, impactará diretamente na competitividade das empresas brasileiras, como também do próprio Brasil nos próximos 5 a 10 anos. Dificilmente uma empresa de alta tecnologia sobreviveria ao mercado brasileiro”, destaca Rodolfo Fücher, presidente da ABES.

A importância do setor de tecnologia para a competitividade é destacada em diversos estudos, como The AI Frontier: Modeling The Impact Of AI On The World Economy elaborado pela Mckinsey, a inteligência artificial deverá gerar um volume de negócios superior a US$ 13 trilhões no mundo até 2030. O mesmo estudo aponta que as empresas líderes em IA deverão ter um ganho competitivo na ordem de 25% referente às oportunidades de mercado no mesmo período. Por outro lado, as empresas que ainda não estão investindo em IA poderão perder significativamente competitividade e, consequentemente, mercado. O estudo também aponta que o mesmo gap de competitividade deverá ocorrer entre países. Nesse sentido, um estudo similar da PWC aponta que, em 2030, praticamente 45% das oportunidades em IA deverão ficar com a China, 25% com os Estados Unidos e 30% com o resto do mundo. No caso da América Latina, a participação deverá ficar em 3%.
Na prática, a desoneração permite às empresas dos setores beneficiados façam a opção pela Contribuição Previdenciária sobre a Receita Bruta (CPRB), com alíquotas que variam de 1% a 4,5%, ao invés de pagarem a Contribuição Previdenciária sobre a folha de pagamento, cuja alíquota é de 20%.

Diante da transformação digital acelerada nos últimos meses, por conta da pandemia de Covid-19, tornou-se mais evidente a importância dos serviços digitais, tanto para empresas e entidades governamentais, quanto para os cidadãos. “Não é o momento adequado para onerar o setor de TI. Uma carga tributária maior poderá dificultar a manutenção dos investimentos para a transformação digital e a competitividade nacional, por isso contamos com o empenho do relator Deputado Marcelo Freitas (PSL-MG) e da Presidente da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania, Deputada Bia Kicis (PSL/DF), para viabilizarem sua votação na CCJC, uma vez que oito milhões de empregos dependem disso”, explica Fücher.

Manifesto divulgado em outubro alertou parlamentares que tratam do tema


A coalizão formada por entidades representativas dos 17 setores econômicos que mais empregam no Brasil – entre elas, a ABES – publicou, em 1º de outubro, um manifesto que expressa a preocupação com o possível fim da política de desoneração da folha. O documento foi destinado aos parlamentares que integram a Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara dos Deputados, onde tramita o Projeto de Lei que trata da pauta.

Segundo o grupo, ao menos um milhão desses postos de trabalho podem ser fechados caso a Contribuição Previdenciária sobre a Receita Bruta (CPRB), conhecida como “desoneração da folha de pagamento”, prevista para encerrar ao fim de 2021, não seja prorrogada. No manifesto, as entidades setoriais destacaram a importância da manutenção da política de desoneração para que esses empregos também sejam conservados. São, apontou o documento, “imprescindíveis oportunidades de inclusão e distribuição de renda para trabalhadores de diversos extratos socioeconômicos, especialmente daqueles em situação de maior vulnerabilidade”.

Abertura do 3º Global Summit Telemedicine & Digital Health destaca que a transformação digital está a serviço da vida

A terceira edição do Global Summit Telemedicine & Digital Health 2021 foi iniciada hoje, 9 de novembro, em formato 100% online. Considerado o maior e mais relevante evento de saúde digital, telemedicina e telessaúde da América Latina, o evento é uma iniciativa da Associação Paulista de Medicina (APM) em parceria com o Transamerica Expo Center. Com o tema “Transformação digital a serviço da vida”, o encontro surge como um catalisador neste momento de transição pós-pandemia, envolvendo todo o ecossistema da saúde, e tem entre os objetivos desta edição alimentar uma visão mais humanista, criar e descobrir novos horizontes para a saúde.

A cerimônia de abertura contou com as presenças de José Luiz Gomes do Amaral, presidente da Associação Paulista de Medicina (APM); César Eduardo Fernandes, presidente da Associação Médica Brasileira (ABM); Antonio Carlos Endrigo, presidente da Comissão Organizadora; Renata Camargo, gerente de Desenvolvimento e Novos Negócios do Transamérica Expo Center; Flávia Queiroz, show manager do Transamerica Expo Center; e Jefferson Gomes Fernandes, presidente do Conselho Científico do Global Summit Telemedicine & Digital Health.

O presidente da APM, José Luiz Gomes do Amaral, salienta que a realização do Global Summit ajudou o setor a se recuperar do atraso que o Brasil vinha sofrendo no campo da saúde digital e telemedicina há mais de 20 anos: “O evento tem como grande mérito retomar a tendência da digitalização e em dois anos já está acompanhando simultaneamente o que acontece de mais avançado em diversos países”, explicou.

Para Amaral, o Global Summit pode ser definido como sendo o “presente com o futuro”. “Em cada edição  buscamos mostrar qual é a situação atual em que nos encontramos e quais são as perspectivas que se abrem”, disse. “Elas se apresentam com grande rapidez, portanto, lidamos com um horizonte amplo para explorar as oportunidades, da mesma forma em relação às tecnologias digitais, que exigem um domínio completo para nos levar ao sucesso esperado. Com muita cautela, mas também entusiasmo, procuraremos alargar os limites da segurança e da eficiência da saúde digital”, declarou.

Vanguarda na boa assistência

Na sequência César Eduardo Fernandes, presidente da AMB, destacou a importância do evento no formato digital e a busca em atender sua tradição para levar as informações aos profissionais que atuam no setor. “É de suma relevância o protagonismo da APM, que está sempre na vanguarda do interesse dos médicos e da boa assistência às pessoas. Ninguém atualmente pode ignorar a importância das ferramentas da telemedicina e telessaúde e toda a tecnologia que já temos e estão representadas neste evento pelos seus múltiplos parceiros e apoiadores. Vamos conhecer o que há de novo nesta área”, destacou.

Em suas palavras, Antonio Carlos Endrigo, presidente da Comissão Organizadora desta edição, destacou as mudanças que serão trazidas pela tecnologia 5G que permitirá o desenvolvimento de novas aplicações em vários setores e irá beneficiar principalmente a área da saúde. Segundo Endrigo, dados do governo brasileiro estimam que o 5G gerará em torno de US$ 1,2 trilhão em investimentos até 2035. Conforme ele, considerando o aumento da produtividade com a economia digital, o mercado obterá um impacto de US$ 3,08 trilhões no país.

“O enorme potencial da tecnologia 5G contrasta com algumas carências da governança, visão e competência de lideranças do congresso ou entidades médicas, que temem adotar as novas tecnologias, até mesmo aquelas que provaram ser muito úteis na pandemia. Certamente no Global Summit 2022 teremos experiências incríveis com o 5G, por meio do uso de ferramentas como a Inteligência Artificial, a robótica, a internet das coisas médicas, entre outras”, destacou Endrigo.

O presidente da Comissão Organizadora deu um panorama dos especialistas e temas que fazem parte da programação do dia 9, e destacou que a programação do congresso continuará disponível pós-evento. “Dessa forma ampliaremos a dimensão das experiências trazidas nesta edição”, observou.

Renata Camargo, do Transamerica Expo Center, ressaltou a programação de alto nível e rica em experiências bem-sucedidas compartilhadas nesta edição. “Aproveitem todo o conteúdo que geraremos ao longo desta semana. Em 2022 esperamos todos, já presencialmente, em nossa quarta edição”, convidou.

Democratização do acesso à saúde

Fazer da telemedicina, telessaúde e saúde digital um caminho promissor e sem volta foi a mensagem emitida por Flávia Queiroz, show manager do Global Summit. “Chegamos à terceira edição visando ampliar o conhecimento e trazer as melhores experiências deste setor”, salientou.

A executiva destacou que a programação 2021 é focada também em negócios e oferece oportunidades em um ambiente virtual para que  participantes façam  network e as empresas mostrem suas marcas e soluções B2B no mercado nacional e internacional. “É o momento de abrir portas para novos negócios e estreitar relacionamentos entre parceiros”, garantiu. “O Global Summit torna-se um evento difusor de tecnologias, novas práticas e democratização do acesso à saúde. Sairemos desse encontro com novas ideias para ampliar a qualidade de atendimento neste setor.”

Para Jefferson Gomes Fernandes, presidente do Comitê Científico,  a terceira edição do evento apresenta um crescimento que acompanha o desenvolvimento que a saúde digital, a telemedicina e a telessaúde vem apresentando em função da pandemia da covid-19.

“Preparamos para esses quatro dias de interação virtual uma programação que pudesse contemplar temas relevantes. A dimensão dessas áreas é enorme, portanto, apesar de termos uma programação extensa e rica, só podemos abordar apenas parte dessa dimensão que mostra o que o futuro nos reserva. Buscamos também envolver todos os atores do ecossistema da saúde digital, um dos propósitos do Global Summit desde a primeira edição”, frisou. “Desejamos que todos saiam desse evento mais enriquecidos de conhecimento e nos ajudem conjuntamente a contribuir com a transformação digital em saúde em nossas comunidades.

Com a programação focada em conteúdo, experiências e negócios, com temas em telemedicina e saúde digital, o Global Summit Telemedicine & Digital Health acontece entre os dias 9 e 12 de novembro. São mais de 100 horas com conteúdo exclusivo; 95 sessões com mais de 200 palestrantes entre internacionais e nacionais.

Locaweb lança primeiro programa de estágio

Ingressar no mercado de trabalho muitas vezes é um desafio, principalmente para quem está iniciando na carreira. Pensando em contribuir nesse momento difícil para os estudantes, durante o mês de novembro, a Locaweb lança o primeiro programa de estágio, voltado para universitários que estejam cursando o 5º semestre a partir de janeiro de 2022.

Simony Morais, diretora de Gente & Gestão da Locaweb fala sobre a primeira edição do programa ‘’Aqui no Grupo Locaweb desenvolver vai muito além da tecnologia. A primeira edição do Programa de Estágio vem para reforçar isso, assim como para ampliar nossos horizontes. Temos muitas vagas, para que o estudante possa atuar com uma equipe experiente, ágil, acolhedora e apaixonada por desenvolver carreiras. Tudo isso em um ambiente onde ele é livre para ser quem é’’.

Contemplando diversas áreas, as vagas são destinadas a qualquer curso de graduação no formato bacharel e para quem tem disponibilidade para uma jornada de 30h semanais. Além da própria Locaweb teremos oportunidades para as unidades de negócio: Bling, Etus, Octadesk, Ideris e Credisfera

As vagas são para os modelos presenciais, híbridos e 100% remotos, ou seja, não é preciso necessariamente residir em São Paulo para participar do processo seletivo, que será 100% online. Além disso, o programa oferece um contrato de 12 meses, sendo possível estender para mais um ano, e conta com alguns benefícios oferecidos especialmente para os estagiários:

• Plano de saúde e odontológico;

• Vale-Transporte ou Estacionamento gratuito;

• Serviço gratuito de vans do terminal João Dias para a Locaweb;

• Vale Refeição:

• Seguro de Vida;

• Máquinas de café a vontade;

• Gympass;

• Programa de Qualidade de Vida e bem-estar;

• Oferta de cortesias dos produtos LOCAWEB.

O pacote de benefícios será detalhado durante as etapas seletivas. As inscrições acontecem de 08 a 30 de novembro de 2021, e podem ser feitas através deste link .

Tags

“Waterlution BRK Acelera” abre inscrições para programa de apoio a startups na criação de negócios inovadores direcionados ao saneamento básico

A BRK Ambiental, concessionária privada de saneamento básico presente em mais de 100 municípios brasileiros, em parceria com a ONG canadense Waterlution e o centro de inovação CESAR, abrem inscrições para o Programa Waterlution BRK Acelera, iniciativa que apoia startups e empreendedores na criação de soluções direcionadas ao setor de saneamento básico.

As inscrições estão abertas até 14 de novembro pelo site. O objetivo do projeto é conectar startups e empreendedores a mentores e profissionais experientes do setor de saneamento. A proposta é estimular novas ideias para o desenvolvimento de soluções tecnológicas capazes de sanar os problemas relacionados aos serviços de água e esgoto no Brasil.

Para participar do projeto, as equipes devem ser compostas por pelo menos duas pessoas. No ato da inscrição, os interessados em participar do Waterlution BRK Acelera devem apresentar suas sugestões de projetos no formulário eletrônico disponibilizado no site do programa.

A partir das inscrições, os projetos serão avaliados de acordo com perfil e disponibilidade do time, aderência ao projeto, grau de viabilidade de aplicação, grau de impacto, modelo de negócio e gestão, maturidade da solução e alinhamento com as diretrizes Waterlution. Entre essas diretrizes estão facilitar e estimular a colaboração regional e global, ampliar a mobilização global do conhecimento sobre a água/saneamento e apoiar a comunidade global para avançar em direção aos ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU) relacionados a saneamento, segurança hídrica, clima e equidade.

No total, seis equipes serão selecionadas para participar do programa. Os projetos escolhidos serão apresentados em 24 de novembro. Após a seleção, ao longo de aproximadamente três meses, os participantes acompanharão uma série de atividades on-line, com transmissão ao vivo e focadas na aceleração dos projetos e validação das ideias e soluções. O objetivo dos encontros virtuais é estabelecer contatos com outros empreendedores e especialistas do setor, por meio de workshops e mentorias individuais e coletivas focadas em temas profissionais e técnicos.

Promoção da inovação

A partir dos encontros, de acordo com a viabilidade das ações, os projetos serão avaliados individualmente, e podem receber apoio financeiro dos organizadores do Waterlution BRK Acelera ou serem convidados para ações de parcerias.

“Valorizamos muito as parcerias com as startups no sentido de promover a inovação nas nossas operações, principalmente quando relacionadas às práticas de ESG, e destacamos a oportunidade de oferecer uma visão corporativa abrangente e prática aos empreendedores, a partir da nossa expertise como uma das empresas líderes em saneamento no país”, afirma Carlos Almiro de Magalhães Melo, head de Sustentabilidade e Gestão de Riscos da companhia.

“Durante os cinco anos de trabalho da Waterlution no Brasil, experimentamos diretamente o incrível conhecimento técnico, a capacidade de inovação e o compromisso dos jovens líderes da água e do clima do país na vanguarda das mudanças. Nossa parceria de longa data com a BRK Ambiental e o CESAR se aprofunda com este novo programa e aumenta nossa capacidade de colaborarmos juntos, o que aumentará nosso impacto coletivo e soluções com as startups incluídas no BRK Acelera”, afirma Karen Kun, Presidente e Fundadora da Waterlution.

“O programa trabalha inovação aberta na prática juntando BRK, Waterlution, CESAR e startups para acelerar oportunidades de inovação, baseadas em desafios reais da sociedade. Assim, ampliamos a oportunidade para quem empreende nessa área, que terão seus projetos apoiados por especialistas das mais diversas áreas de inovação, empreendedorismo e especialistas do Setor”, destaca Renata Sellaro, coordenadora de Projetos de Empreendedorismo do CESAR.

Tags

Rumo abre inscrições para programa de estágio

A Rumo, maior concessionária de ferrovias do País, abriu as inscrições para o programa de estágio 2022. São 25 vagas distribuídas entre Curitiba, no Paraná, e quatro cidades no estado de São Paulo. Os candidatos devem se inscrever pelo link até o dia 20 de novembro. O processo de seleção será 100% online. As oportunidades são para estudantes de Ensino Superior que tenham previsão de conclusão da graduação entre junho de 2023 e junho de 2024, com disponibilidade para estagiar 6 horas por dia.

As vagas são para universitários que cursam Administração, Ciências Contábeis, Direito, Economia, Engenharia Civil, Engenharia Elétrica, Engenharia Mecânica, Engenharia de Produção, Estatística e Logística. Das 25 vagas, 14 são para atuar em Curitiba, 6 em Santos (SP), 3 em Araraquara (SP), uma em Itu (SP) e uma em São Paulo (SP).

O processo seletivo é composto por seis etapas: cadastro via site; preenchimento de questionário; testes; vídeo apresentação; dinâmica e painel online com gestores. Essas etapas são eliminatórias e ao final desse caminho, os aprovados seguem para a etapa de admissão.

A Companhia busca candidatos que demonstrem proatividade, tenham senso de comprometimento e organização, e potencial para desenvolver o autogerenciamento de suas atividades.

Os futuros estagiários e estagiárias terão direito aos seguintes benefícios: bolsa auxílio com remuneração compatível com o mercado, vale-refeição, auxílio materno infantil para mães com filhos de até 7 anos, auxílio-farmácia, assistência médica, seguro de vida e assistência odontológica.

Tags

Adobe projeta que compras online alcancem US$ 910 bilhões globalmente nos dois últimos meses de 2021

A Adobe acaba de lançar o levantamento Adobe Holiday Shopping Forecast com projeções de compras online e tendências de consumo para a chamada temporada de férias de 2021, que vai de 1º de novembro a 31 de dezembro. O estudo projeta que as vendas online de fim de ano devem atingir US$ 910 bilhões globalmente no período – um crescimento de 11% ano a ano. 

O relatório indica que mais de US$ 4 trilhões serão gastos em todo o mundo em 2021 – trata-se de um novo marco para o comércio eletrônico. Só nos Estados Unidos, a expectativa é chegar a US$ 207 bilhões, o que representa um aumento de 10% em relação a 2020 e um novo recorde no mercado local.

O levantamento revela, no entanto, que, à medida que o e-commerce se torna mais onipresente, os principais dias de compras estão perdendo destaque. O estudo prevê, por exemplo, que a Cyber Week (do Dia de Ação de Graças até a Cyber Monday) gere US$ 36 bilhões em gastos online – 17% de toda a temporada de férias. Esse crescimento, porém, é de apenas 5% ano sobre ano para o período de cinco dias (menos do que a temporada geral, de 10%). 

A Adobe estima que a Cyber Monday gere US$ 11,3 bilhões (+4% a/a) e continue a ser a maior data da temporada, com a Black Friday chegando a US$ 9,5 bilhões (+5% a/a) e o Dia de Ação de Graças a US$ 5,4 bilhões (+6% a/a). A conclusão, contudo, é de que os três principais dias de compras estão crescendo menos do que a temporada em geral.

A general manager da Adobe Commerce, Stella Guillaumon, explica que esse levantamento é feito com base nos dados do Adobe Analytics. A análise abrange mais de 1 trilhão de visitas a sites de varejo nos Estados Unidos, 100 milhões de SKUs e 18 categorias de produtos, com visualizações globais baseadas em transações em mais de 100 países em três regiões. 

“Além das projeções de vendas, o relatório apresenta as tendências de consumo online que podem ajudar o varejo a definir melhor suas estratégias para atrair e fidelizar consumidores”, afirma Guillaumon. 

Confira abaixo os principais insights do estudo da Adobe: 

– Descontos menores: os níveis de promoção em eletrônicos, por exemplo, atingirão o pico de 22% na temporada – abaixo dos 27% em 2020. Outras subcategorias incluem computadores com 25% (vs 30% em 2020), eletrodomésticos com 16% (vs 20%) e televisores com 15% (vs 18%). A pesquisa também indica decréscimo em outros produtos, como brinquedos com 16% (vs 19%), artigos esportivos com 14% (vs 20%), vestuário com 15% (vs 20%), móveis com 7% (vs 9%) e ferramentas com 8% (vs 11%);

– Quando comprar: em uma pesquisa da Adobe com mais de 1 mil consumidores nos Estados Unidos, 67% estão preocupados com o fato de os presentes estarem mais caros neste ano. Embora os descontos sazonais iniciem em outubro, na faixa entre 5% e 15%, à medida que os varejistas procuram gerenciar os desafios, os maiores descontos (na faixa de 5% a 25%) ainda devem acontecer por volta do Dia de Ação de Graças e do Cyber Monday.

Espera-se que certas categorias, como os eletrônicos, tenham os maiores descontos antes mesmo da Cyber Monday. Os melhores dias para fazer compras incluem: Ação de Graças (25/11) para brinquedos; Black Friday (26/11) para móveis, roupas de cama e ferramentas; sábado (27/11) para eletrônicos e eletrodomésticos; domingo (28/11) para vestuário e artigos esportivos; Cyber Monday (29/11) para televisores; e quarta-feira (1º/12) para computadores;

– “Compre agora, pague depois” ganha força: os consumidores estão adotando novos métodos de pagamento, como o “Compre Agora, Pague Depois” (BNPL), para liberar dinheiro neste período de festas. Com base nos dados do Adobe Analytics, a receita online do BNPL neste ano foi 10% maior do que em 2020 e 45% superior ao registrado em 2019. Os consumidores também estão usando o BNPL para pedidos cada vez mais baratos, com o valor mínimo caindo 12% ano a ano para US$ 225. Na pesquisa da Adobe, 25% dos entrevistados disseram ter recorrido ao BNPL nos últimos três meses, com vestuário (citado por 43% das pessoas), eletrônicos (33%) e mantimentos (30%) como as categorias principais;

– Telas maiores: à medida que os consumidores passaram mais tempo em casa trabalhando de seus notebooks na pandemia, o crescimento das compras com smartphones atingiu o teto. A Adobe espera que os smartphones representem 42% da receita geral nesta temporada (US$ 86 bilhões) – um aumento modesto de 5% a partir de 2020;

– Frenesi de compras: em média, um consumidor nos Estados Unidos gastará 12 horas inteiras fazendo compras online nesta temporada de férias. Durante as “horas de ouro” do e-commerce (das 7h às 23h na Cyber Monday), os compradores gastarão US$ 2,9 bilhões online em apenas quatro horas – 50% a mais do que em um dia inteiro normal de agosto de 2021 (U$ 1,9 bilhão). No horário de pico da Cyber Monday (das 8h às 21h), os consumidores gastarão mais de US$ 12 milhões a cada minuto;

– Experiências como presente: por último, a pesquisa da Adobe indica que, enquanto mais da metade dos entrevistados (51%) planejam comprar bens físicos como presentes para outras pessoas nesta temporada de férias, quase um quinto (17%) planeja oferecer uma experiência. As principais categorias incluem tratamentos de spa (citados por 25%), ingressos para shows (25%), eventos esportivos (22%), passagens aéreas (21%) e aulas de culinária (16%).

O estudo completo pode ser acessado neste link.  

Liderança digital é a nova forma de gerenciar equipes junto à transformação tecnológica

Por Sandro Stanczyk,  diretor de Customer Experience da NTT DATA

Em tempos de transformação tecnológica, ser líder é um desafio que exige adotar novas formas de pensar e se relacionar com as equipes. A liderança digital ou 4.0 é o novo modelo de gerir pessoas, que busca o respeito mútuo entre diferentes cargos hierárquicos.

Líderes digitais investem tempo em orientar e engajar os colaboradores, que trabalham com autonomia e são conduzidos de acordo com suas competências e especificidades. Se, antes, a chefia gerenciava pela autoridade, atualmente é um espelho para os profissionais, que participam da tomada de decisão e enxergam, na liderança, um benchmark para a sua carreira.

Entre as competências das novas lideranças, estão a capacidade de engajamento, ou melhor, a habilidade de se relacionar com empatia e tornar os colaboradores ativos em projetos, a capacidade analítica para interpretar as informações e saber usá-las a seu favor a fim de tomar decisões assertivas, e orientar os profissionais a alcançarem seus objetivos graças à criação de equipes eficientes. A comunicação com mensagens claras e coerentes também faz parte das metas, com o uso dos canais digitais para manter a força das relações e atingir a todos.

Com a aceleração atual do mercado de trabalho, as empresas estão se reinventando para oferecer às pessoas diferentes meios de trabalho, sejam eles o home office, o teletrabalho, híbrido, com horários alternativos, entre outros formatos. Com isso, os líderes são desafiados a gerenciar equipes dentro desses modelos e oferecer oportunidades de desenvolvimento rápido e conciso aos liderados – principal meta da nova geração de colaboradores.

A liderança digital não beneficia apenas quem trabalha nas organizações, mas também a própria empresa, que cresce com o engajamento dos profissionais. Com a orientação individualizada e empatia, as atividades são desempenhadas com maestria e perfeição, além de haver a diminuição do turn over, uma vez que as pessoas se identificam e geram uma conexão com a empresa que vai além das questões financeiras.

FortBrasil está com quase 40 vagas disponíveis para diversos setores

A FortBrasil , fintech de serviços e soluções financeiras que se consolidou como especialista na administração de cartões Private Label co-branded, acaba de anunciar 36 novas vagas abertas em setores diversos. Entre as principais áreas para trabalhar estão disponíveis vagas para cargos de Especialista em Compliance, Riscos e Controles Internos, HR Business Partner e Auditor Sênior

Ao longo dos últimos meses, a FortBrasil alcançou novas parcerias e conquistou novos espaços. Atualmente, a fintech conta com mais de 400 varejistas parceiros, presentes em mais de 3.400 lojas por todo o Brasil. As novas posições estão disponíveis para Estados como Ceará, Minas Gerais, Rio de Janeiro e outros das regiões Centro-Oeste, Nordeste e Sudeste, de forma 100% remota, com exceção dos promotores comerciais. “Estamos felizes em promover novas oportunidades para profissionais de diversas partes do país. Seguimos com sucesso o nosso plano de expansão alcançando patamares sustentáveis e formando alianças significativas”, afirma José Pires Neto, co-fundador da FortBrasil.

Além da expansão, a FortBrasil segue se consolidando como marca empregadora, com foco na atração e retenção de talentos, para o co-fundador da empresa, isso é o que a diferencia de outros players do mercado. “Nós investimos no conhecimento de nossos colaboradores e promovemos novas oportunidades sempre que possível com foco em novos talentos,” afirma o executivo. A empresa já foi nove vezes vencedora da premiação GPTW (Great Place to Work), índice que classifica as melhores empresas para se trabalhar no mercado.

Já com relação aos benefícios, são comuns para todas as posições os vales refeição e alimentação, além de auxílio home office, planos de saúde e odontológico, convênios educacionais, Gympass, convênio com o SESC, cartão Vai Bem e diversos outros.

Os interessados podem se cadastrar nas vagas disponíveis acessando aqui .

Tags

Claro lança Programa de Estágio com mentoria e foco em inovação

A Claro está com inscrições abertas para o Programa de Estágio 2022, para estudantes que estejam em busca de aprendizado, experiência e desenvolvimento de carreira. As oportunidades abrangem diversas áreas da empresa e contam com um foco em comum: envolvem o processo de inovação. Serão 40 vagas, para as cidades de São Paulo e Rio de Janeiro, e os interessados em participar têm até o dia 3 de dezembro para se inscrever no site da Eureca, consultoria que ajuda a conectar os jovens às oportunidades de trabalho e será responsável pela seleção.

Com o objetivo de atrair e lapidar novos talentos, a Claro desenhou um programa de estágio voltado para o desenvolvimento de cada participante, que irá contar com acompanhamento especial durante toda sua jornada na empresa, aliando crescimento profissional e pessoal. O plano de desenvolvimento inclui diversas capacitações sobre o negócio e o aprimoramento de competências, além de contemplar a participação em um Programa de Mentoria, com duração de seis meses, especialmente formatado para atender às necessidades desses estudantes, que buscam experiência e construir carreira na companhia. Como apoio no processo de aprendizagem, a empresa ainda disponibiliza o acesso a mais de 11 mil cursos na Conecte-se, plataforma digital da Claro.

No dia a dia, os estagiários poderão aplicar o conhecimento técnico adquirido, atuando em projetos inovadores e de grande potencial social. Além de fazer parte de iniciativas promovidas pela empresa e pelo Instituto Claro, com foco em cidadania e no bem-estar dos colaboradores, como: o Conexão Voluntária, que engaja os profissionais da empresa em ações de voluntariado; e os programas Bem-Estar Social e ASUME, que contribuem para desenvolvimento pessoal dos participantes.

Não há limite de idade para a inscrição no programa. “Acreditamos que a diversidade nos complementa e fortalece. Por isso, apoiamos práticas de respeito aos talentos e às habilidades de todos e todas”, afirma Rodrigo André Fernandes, diretor de RH da Claro.

O processo de seleção seguirá o formato 100% virtual. O Programa de Estágio Claro 2022, é uma ótima oportunidade para estudantes de cursos nas áreas de humanas, exatas e tecnologia, com previsão de formação entre dezembro de 2022 e dezembro de 2023, que estão em busca de aprendizados e novos desafios, além da possibilidade de construir carreira em uma empresa inovadora como a Claro. No pacote de benefícios estão inclusos: bolsa auxílio compatível com o mercado, seguro saúde, seguro odontológico, seguro de vida, vale refeição, vale transporte e descontos em produtos e serviços da companhia.

Smart Break recebe aporte de 5,5 milhões de grupos de investimento anjo para alavancar o segmento de micromercados autônomos

Pioneira no país no ramo de micromercado autônomo – também chamado de honest micro market, a Smart Break, concluiu uma rodada de captação de 5,5 milhões de reais. Estão no aporte, as redes de investidores Anjos do Brasil e Columbia Alumni Angels, além de altos executivos com passagens pelos segmentos de logística, varejo e tecnologia.

Com o cheque, a retailtech pretende expandir sua atuação, com a abertura de 1.500 lojas nos próximas dois anos. Para se ter uma ideia, apenas em São Paulo, a startup pretende inaugurar até 50 micromercados por mês. Hoje, a Smart Break conta com mais de 200 lojas implementadas, que atendem a mais de 90 mil pessoas. O objetivo é chegar a 1.500 lojas, nos próximos dois anos.

“Em julho deste ano, iniciamos nosso plano de expansão para todo o Brasil, modelo que está acontecendo por meio de franquias e operação própria em outros estados. Nosso negócio é totalmente diferente dos modelos de franquias tradicionais, visando expansão rápida, exclusividade territorial e formato altamente lucrativo. Estamos sentindo um forte interesse do mercado e por isso apostamos cada vez mais no desenvolvimento de nossas tecnologias e soluções logísticas para alcançarmos todo o país em um curto período de tempo”, afirma o CEO da Smart Break, Rodrigo Colas de Freitas.

Desde sua abertura, em 2018, a Smart Break quadruplicou o número de colaboradores e agora aposta cada vez mais em tecnologia e processos logísticos para alcançar seus objetivos no menor tempo possível. O recebimento de um investimento externo também está nos planos de curto prazo da Smart Break.

“Fomos a primeira empresa a colocar uma loja de honest micro market em condomínio residencial no país, em 2019, e com a expertise conquistada com inovação, tecnologia e qualificação de nossos profissionais e processos, nos tornamos uma referência e desejamos ser a maior empresa do segmento, com crescimento sustentável, ampliação de oferta de produtos, oferecendo cada vez mais comodidade, conveniência e segurança às pessoas. Queremos revolucionar a forma de consumo das pessoas em seus condomínios residenciais e nas empresas onde trabalham”, diz o empreendedor Rodrigo Colas.

A startup acompanha uma tendência mundial que traz o consumo para espaços cada vez menores (como a migração de consumo de hipermercados para o conceito de mercado-minuto). O menu é totalmente personalizável, composto por mais de 900 artigos como bebidas (alcóolicas e não-alcóolicas), sucos naturais feitos no dia, frutas, refeições, saladas, sanduíches, sorvetes, doces em geral e muitos outros snacks – e uma das preocupações da empresa é sempre apresentar novidades.  A Smart Break toma conta de toda a dinâmica: instala e abastece por conta própria, controlando o estoque, necessidade de reposição e validade de produtos por meio de sistemas e auditorias. A empresa que contrata este serviço não tem custo e não é exigido faturamento mínimo, devendo apenas disponibilizar o ponto.

“Desde que a SmartBreak me foi apresentada, demonstrei interesse genuíno sobre o negócio de Honest Store, que claramente é um retrato da adaptação do setor varejista às grandes mudanças de comportamento de compra dos clientes, na medida em que estes se tornam cada vez mais exigentes. Fatores importantes como logística eficiente e tecnologia “user friendly” são diferenciais da Smart Break. Além disso, o dinamismo do Founder e seu entendimento sobre como gerir o negócio foram também fatores decisórios para o investimento anjo”, comentou Reynaldo Saad, um dos investidores da Anjos do Brasil.

BLACK FRIDAY: 6 dicas para as marcas alcançarem os consumidores no digital

Não há dúvidas de que o digital se consolidou como a principal fonte de compras para os consumidores. Pesquisas recentes mostram que subiu de 40% para 80% o número de pessoas que compram a maioria ou tudo online para a maior parte das categorias. Impulsionado em grande parte pela pandemia, o e-commerce no Brasil registrou um aumento de 74% nas vendas em 2020, no comparativo com 2019, e uma alta de 84% no faturamento do ano.

Neste contexto, a Black Friday, uma das principais datas para o comércio, bateu seu recorde de faturamento no ano passado: R$ 5,1 bilhão (com os segmentos de moda, acessórios, beleza e perfumaria liderando o número de pedidos) e ganho de mais de 344 mil novos compradores.

A expectativa é que a edição de 2021 seja mais digital e apresente um crescimento ainda mais expressivo. Em um cenário tão desafiador e competitivo, como as marcas podem se destacar e gerar uma conexão eficaz com os seus consumidores na data? Daniela Galego, Head of Industry no Yahoo, destaca que o segredo é colocar o público no centro de qualquer ativação.

Nesse sentido, a executiva elenca seis dicas que podem ajudar as empresas não apenas a alcançar os consumidores, mas também a personalizar suas mensagens e, mais importante, criar proximidade e incentivar a fidelização. Confira abaixo:

1.Trabalhe com inteligência de dados


Entender quem é o consumidor é o primeiro passo para as marcas realizarem uma comunicação eficiente. Nesse sentido, a análise de dados é, sem dúvidas, um dos caminhos mais eficazes para atingir este objetivo, especialmente em um mundo cada vez mais digital. A inteligência de dados permite não apenas a criação de campanhas ou ativações que atendam diretamente aos desejos das audiências, mas um incremento no trabalho de performance, por meio de modelagens exclusivas de acordo com objetivos e interesses de cada target.

2. Foque na amplificação multi-tela

Cada vez mais os consumidores interagem com múltiplas telas de forma simultânea. As novas rotinas, comportamentos e jornadas de compras, portanto, demandam uma atuação 360º. “As marcas precisam entender quais são os momentos de conteúdo vivenciados pelo consumidos durante sua jornada pelos mais diferentes canais”, destaca Daniela. Levantamento do Yahoo aponta que 3 em cada 4 telespectadores de CTV utilizam mobile para procurar conteúdo relacionado enquanto assistem TV e que 35% deles procuraram inspiração de compras em formatos como OOH, anúncios interativos ou mesmo podcasts – dado que mostra o potencial do conteúdo em áudio. Ao optarem por atuação integrada, as marcas criam para o consumidor uma visão única e ao mesmo tempo cross-channel da mensagem que desejam transmitir.

3. Invista na relevância contextual


Estratégias contextuais são essenciais, sobretudo em um universo cookieless Elas geram proximidade, estreitam o relacionamento com os usuários e mantém as marcas atualizadas com as novas tendências do mercado. Pesquisa do Yahoo revela que 69% dos usuários são mais propensos a olhar para anúncios que sejam relevantes aos conteúdos que estão consumindo, 67% sentem-se engajados com anúncios relevantes e 40% utilizaram recomendações de anúncios personalizados.

4. Transforme ativações em experiências


Investir em conteúdos customizados, como branded experiences ou entertainment commerce, ou em formatos imersivos, como WebAR, permite que as marcas transmitam as mensagens desejadas em também criem conexão com os usuários, transformando histórias em experiências marcantes em todas as etapas do funil de venda.

5. Entenda o poder da influência e saiba como usá-la a seu favor


O Brasil tem mais de 1 milhão de influenciadores digitais, que representam a segunda maior fonte de decisão de compra dos consumidores. Sabendo que 71% dos brasileiros seguem um influenciador digital, 86% já descobriram um produto por meio de influencers e 55% pesquisam a opinião de um influenciador antes de uma compra, é fundamental para as marcas fazerem uso da influência digital na hora de desenvolver campanhas e ativações.

6. Priorize ativações always on


Embora o foco seja a Black Friday, é importante, e estratégico, que as marcas comecem as ativações junto aos públicos de interesse semanas antes da data, de modo a gerar proximidade, e continuem após o evento, para não perder contato e fortalecer a confiança. “Para alcançarem bons resultados junto ao consumidor, as marcas precisam priorizar ações perenes e que o atinjam nos mais diversos pontos de contato utilizados por ele”, finaliza a executiva.