Pesquisa indica que 52% dos recrutadores têm dificuldades na contratação e retenção de profissionais de TI

Pesquisa indica que 52% dos recrutadores têm dificuldades na contratação e retenção de profissionais de TI

Enquanto algumas profissões deixaram de existir nos últimos anos, as chamadas “carreiras do futuro” estão aquecendo o mercado de trabalho – é o caso da tecnologia, que já se tornou uma das áreas mais estratégicas nas empresas. No entanto, a escassez de mão de obra qualificada neste setor tem impactado o Brasil e vários países do mundo. Segundo levantamento realizado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Anísio Teixeira (INEP), o mercado de trabalho precisa de 70 mil profissionais de tecnologia anualmente, porém, apenas 46 mil se formam nesta área. Como as contas entre oferta e procura não fecham, atrair e reter estes profissionais tornou-se um desafio para as empresas, que estão tentando ser relevantes como empregadoras em meio a inúmeras propostas e oportunidades apresentadas com frequência. De acordo com estudo do Manpowergroup, consultoria de gestão de pessoas, 52% dos recrutadores brasileiros afirmam que encontram dificuldades para realizar contratações na área de tecnologia.

O GPTW (Great Place to Work), em parceria com a IT Mídia, realizou um ranking entre as 140 melhores empresas para trabalhar no setor de tecnologia em 2021, que está em sua 16ª edição. O Mercado Eletrônico, empresa líder em e-commerce B2B na América Latina, foi destaque na categoria de médias empresas, na premiação que aconteceu nesta segunda-feira (25/11). Esta é a quarta vez consecutiva que a empresa aparece no ranking. 

A diretora de recursos humanos da companhia, Adriana Oliveira, comenta que, atualmente, 66% do quadro de colaboradores são da área de Tecnologia, sendo que 24% desses profissionais foram contratados em 2021. Nesse período, houve ainda a efetivação de 11 estagiários de TI. Adriana explica que, para se tornar uma empresa atrativa para os profissionais de TI, o Mercado Eletrônico investe na colaboração entre o time e em promover autonomia e flexibilidade dentro do ambiente de trabalho. “Nossa cultura de inovação nos faz ser atrativos e inspiradores para o público de tecnologia. Outra estratégia em nosso modelo de trabalho é a formação de pequenos times, multidisciplinares e autogerenciáveis, a fim de promover ciclos curtos de desenvolvimento que ofereçam qualidade e alto valor agregado ao cliente”. 

Versatilidade e flexibilidade são, também, alguns dos pontos observados pelos profissionais de tecnologia ao selecionar uma empresa. Adriana explica que, ao oferecer um formato de trabalho híbrido, a companhia conseguiu formar um time de tecnologia diversificado, com colaboradores espalhados por todo o Brasil. “Temos profissionais em Curitiba, Mato Grosso do Sul, Interior de São Paulo, Recife, entre outros locais. Por conta do home office, não existem mais barreiras e nem a obrigatoriedade de contratar somente em São Paulo”, completa.

Comments are closed