GreenYellow anuncia emissão de R$160 milhões em debêntures verdes no Brasil

GreenYellow anuncia emissão de R$160 milhões em debêntures verdes no Brasil

Com forte atuação há sete anos no fornecimento de energia solar, de soluções em eficiência energética e, há quase dois anos, em comercialização e gestão de energia no Brasil, a GreenYellow acaba de anunciar uma captação de R$160 milhões em debêntures verdes. O valor obtido pela GreenYellow será utilizado para reembolsar os investimentos e aportes de capital realizados na implementação de projetos de eficiência energética e para futuros projetos com benefício ambiental, desta forma, reforçando o caixa da Companhia para suportar sua estratégia de crescimento orgânico e inorgânico no mercado brasileiro.

Para que essa operação pudesse acontecer, a SITAWI Finanças do Bem, consultoria em finanças sustentáveis e responsável pela avaliação independente, analisou os investimentos feitos pela GreenYellow desde 2018 até o momento, especificamente no segmento de soluções de inteligência no consumo de energia, e avaliou os impactos dessas ações, tendo como base os conceitos de ESG (sigla para meio ambiente, social e governança corporativa), que estão pautando o mercado atualmente. Nesse contexto, a subsidiária da multinacional francesa no Brasil se comprometeu também a divulgar os resultados do investimento anualmente. Uma nova verificação independente será realizada em dois anos.

Segundo Roberto Zerkowski, presidente da GreenYellow, a emissão de título verdes vinculados aos investimentos realizados pela empresa em contratos de eficiência energética nos quais a economia de energia é garantida em contrato reforça o DNA da companhia no compromisso da transição energética sustentável de seus clientes. “Essa foi o que esperamos ser a primeira emissão de muitas que virão, tornando nosso custo de capital ainda mais competitivo”, afirma Zerkowski.

Para Fernando Slade, CFO da GreenYellow, a efetivação dessa emissão reforça o pilar financeiro ESG da empresa. “Pretendemos pleitear novas emissões de títulos verdes no futuro, não somente com eficiência energética, mas também no segmento fotovoltaico”, diz Slade.

De acordo com Cristóvão Alves, gerente de Finanças Sustentáveis da SITAWI, trata-se da 8ª maior emissão no Brasil na categoria de eficiência energética e ecoeficiência desde 2015. “Registramos até o momento cerca de R$73 bilhões de emissões rotuladas e isso representa a relevância que essas operações vêm ganhando no mercado nos últimos anos. No caso da GreenYellow, a novidade é por se tratar de uma empresa pure play no segmento de eficiência energética. A emissão irá financiar novos projetos para redução no consumo de energia e, consequentemente, de gases de efeito estufa em seus clientes, grandes empresas no segmento de varejo e indústria. Vale dizer que os compromissos brasileiros no Acordo de Paris almejam um aumento de investimentos em eficiência energética. Logo, podemos dizer que a emissão da GreenYellow está alinhada com uma trajetória de descarbonização e com a NDC brasileira”, explica Cristóvão.

Comments are closed