Pesquisa: 79% dos líderes brasileiros dizem que a pandemia tornou o uso de dados mais crítico para a tomada de decisão

Pesquisa: 79% dos líderes brasileiros dizem que a pandemia tornou o uso de dados mais crítico para a tomada de decisão

A pandemia tornou a análise de dados atividade prioritária para as tomadas de decisão, disseram 79% dos líderes brasileiros entrevistados pela YouGov a pedido da Tableau, empresa da Salesforce líder em análise de dados. Na média global da pesquisa, apenas 55% dos executivos atribuíram a mesma relevância para o papel dos dados.

Diante do cenário de incertezas impostas pela Covid-19, 67% deles afirmam que seus negócios passaram a utilizar dados com mais frequência desde que a pandemia começou.

A pesquisa Quality Conversations entrevistou 1.977 executivos C-Level de diversos países da Europa, Ásia e Oceania, além do Brasil. O recorte brasileiro do levantamento contou com a participação de 224 executivos do alto escalão para entender como o uso de dados pode auxiliar as lideranças nas conversas de negócio.

O levantamento mostrou que a grande maioria (89%) dos líderes brasileiros concorda que os dados ajudam as organizações a ter conversas de negócios de qualidade, pois reduz a incerteza, ajuda a tomar decisões mais precisas e constrói confiança (88%).

Para os líderes, a pandemia exigiu conversas e reuniões mais objetivas e eficientes

O cenário devastador de perdas humanas e crises econômicas, de fato, exigiu que mudanças e decisões fossem feitas de modo preciso e com celeridade – seja para acompanhar as taxas de contaminação, para aumentar a eficiência dos estoques e da logística das organizações, ou para mudar completamente o modelo de negócio.

Assim, 64% dos entrevistados brasileiros disseram que as conversas se tornaram melhores e mais eficientes neste período. Além disso, 70% dos líderes também afirmaram que foi mais fácil reunir as pessoas para conversas sobre negócios, ao passo que, na média global, apenas 61% responderam o mesmo.

Outro dado relevante é que 70% dos executivos brasileiros acreditam que o isolamento da pandemia ajudou a nivelar a participação de profissionais que anteriormente já trabalhavam de maneira remota com os demais.

A pesquisa também identificou que as lideranças brasileiras sofreram com a falta de momentos de descontração no escritório – como encontros informais, almoços e coffee breaks – 73% deles apontaram que este foi um fator negativo para as conversas sobre negócios.

Executivos brasileiros desejam a democratização dos dados

Considerando o recorte brasileiro da pesquisa, 96% afirmaram ser importante que os departamentos de toda a organização possam acessar os dados para a tomada de decisões. A nível global, a maioria (93%) dos líderes entrevistados deram a mesma resposta, o que indica uma tendência de mercado presente no mundo todo.

Aos brasileiros, quando questionados sobre as habilidades mais importantes para se ter uma conversa de negócios produtiva, 60% responderam que a capacidade de entender insights de dados é importante. A maioria (68%) também disse que possuir a mente aberta e não ter bias cognitivo são habilidades-chave.

Em uma análise comparativa, 70% dos líderes brasileiros disseram que uma conversa de negócios de qualidade leva a soluções práticas como decisões operacionais ou vendas – mas considerando a média global da pesquisa, apenas 47% dos executivos deram a mesma prioridade às conversas.

Sobre a Pesquisa

A pesquisa Quality Conversations foi conduzida pela YouGov a pedido da Tableau entre os dias 6 e 17 de agosto de 2021. Foram entrevistados 1.977 executivos C-Suite em diversos países: 217 do Reino Unido, 232 da França, 220 da Alemanha, 214 da Espanha, 215 da Suécia, 224 do Brasil, 224 de Singapura, 209 do Japão e 222 da Austrália.

Comments are closed