Iniciativa global DeFi foca no Brasil e promove hackathon com mais de R$ 14 milhões reais em prêmios

Iniciativa global DeFi foca no Brasil e promove hackathon com mais de R$ 14 milhões reais em prêmios

Neste mês se encerram as inscrições para o hackathon DeFi para o Brasil. O desafio é parte da iniciativa global, o DeFi For the People, encabeçada por algumas das principais organizações de DeFi e cripto do mundo – como Celo, Aave, SushiSwap, Curve, 0x, PoolTogether, entre outros – e que, agora, trazem um hackathon exclusivo para os brasileiros. O interesse pela vertente blockchain é crescente e relevante no Brasil, e o hackathon serve como forma também de impulsionar criações nacionais e dar alcance global à tecnologia local. O projeto é resultado do fundo de R$500 milhões para iniciativas educacionais e culturais para trazer o DeFi para mais pessoas. 

O evento brasileiro deve distribuir mais de R$ 100 mil em prêmios para os participantes que trouxeram projetos e soluções inovadoras sobre como democratizar o acesso a aplicações em DeFi, NFTs e economia criativa, entre outros, somando ao ecossistema da Celo cujo foco é soluções inclusivas e mobile. Além disso, o principal intuito do DeFi para o Brasil é de educar, impulsionar e dar tutoria para que os brasileiros também submetam seus projetos ao hackathon global do DeFi for the People, que reúne até $2.5 milhões – cerca de 14 milhões de reais – em prêmios e investimentos. 

O hackathon é aberto a participantes de diferentes áreas do conhecimento, incluindo: Marketing; UX/Design; Negócios; Desenvolvimento de Blockchain, Front-End, ou Full Stack, Empreendedorismo Social;  Advocacia e Arte. As inscrições encerram no dia 14/11 e devem ser realizadas pelo site do DeFi Para o Brasil.

A partir de então, os inscritos no desafio do Brasil começarão a preparar seus projetos e receberão tutoria do time local, através do Discord, para submetê-los para a competição nacional. Na segunda semana do desafio, a partir do dia 22/11, os participantes recebem um segundo nível de tutoria qualificada para submeter os projetos para a competição global, a qual as inscrições se encerram dia 28/11. 

As organizações parte do DeFi for the People também realizaram uma live nesta quinta-feira, 4/11, para conversar sobre a iniciativa, os desafios global e nacional e tirar possíveis dúvidas sobre os hackathons. A transmissão ficará salva no Youtube da Celo.  

Criando um sistema financeiro em que todos possam prosperar

DeFi é uma abreviação do termo finanças descentralizadas – Decentralized Finances –  um conceito amplo que traz a tecnologia com uma ferramenta disruptiva e que pode eliminar intermediários nas aplicações financeiras, reduzir custos e oferecer o acesso a mais pessoas.

O DeFi permite descentralizar empréstimos, ativos e criar novas formas de pensar e executar questões relacionadas a finanças. A Celo está promovendo o hackathon com o objetivo tornar as finanças descentralizadas acessível, mobile-first  e para todos.

O hackathon irá usar a plataforma blockchain de código aberto da Celo com foco no uso de smartphones. O dispositivo é utilizado por bilhões de pessoas em todo o mundo e é uma das principais formas de acesso à internet para muitos deles, em especial em países pouco desenvolvidos, como a região da América Latina, e pode contribuir para o acesso às novas soluções financeiras. 

“Queremos trazer uma oportunidade para que a comunidade local possa fazer parte da mudança do sistema financeiro. A realidade é que a tecnologia possibilita repensar questões em escala global de forma criativa e inovadora. Com relação ao Brasil, sinto que temos uma conjuntura única – desde o avanço das start ups até o cenário legislativo e a atual conjuntura do país – que de certo farão com que a adoção do DEFI  se dê tanto de forma institucional como através da movimentação da comunidade local”, comenta Camila Rioja, Head da cLabs no Brasil.

O ecossistema da Celo conta com diversas empresas a iniciativas que desenvolvem soluções para lidar com casos e questões do mundo real, como exemplo um programa-piloto realizado na Colômbia, no início da pandemia, que forneceu a pessoas desempregadas microcréditos sub-garantidos de até cUSD 500 – $500 dólares na Celo, o que permitiu com que os usuários comprassem bicicletas motorizadas para que pudessem trabalhar fazendo entregas para a Rappi. Com acesso ao equipamento certo, alguns membros do piloto conseguiram dobrar – e em alguns casos quadruplicar – seus ganhos. Esse é apenas um exemplo de como o DeFi pode fornecer acesso instantâneo ao capital para milhões de pessoas, especialmente para aqueles em mercados emergentes onde o acesso aos serviços financeiros tradicionais é limitado.

Comments are closed