Pesquisa Ipsos/TecBan: interesse no Open Banking cresce conforme a renda

Pesquisa Ipsos/TecBan: interesse no Open Banking cresce conforme a renda

A TecBan, empresa de soluções tecnológicas e inovadoras que integram o físico e o digital e impulsionam o ecossistema econômico do Brasil, e a Ipsos apresentam novas informações da pesquisa Open Banking Brasil. O estudo investigou os hábitos, percepções e sentimentos dos brasileiros por temas relacionados ao Open Banking e os dados mostram a relação entre renda familiar e o interesse por novos produtos financeiros, que podem ser ofertados a partir do compartilhamento de dados e serviços previstos pelo Open Banking. Segundo a pesquisa, indivíduos com renda familiar correspondente a mais de cinco salários-mínimos se interessam mais pelas ofertas do sistema financeiro aberto.

Apenas 20% dos entrevistados com renda familiar até um salário-mínimo consideram extremamente relevantes as opções de serviços que podem surgir com o Open Banking. Este percentual salta para 39% entre aqueles que possuem renda familiar acima de cinco salários. No grupo de menor renda, apenas 31% concordam totalmente que estes serviços facilitariam a vida. O percentual vai para 48% dentre os indivíduos com orçamento maior.

Independentemente da faixa salarial, mais da metade das pessoas entrevistadas estão motivadas a compartilhar seus dados no sistema financeiro aberto para usar possíveis soluções. A pesquisa aponta que 52% dos participantes concordam que estariam mais propensos a utilizarem os serviços de Open Banking caso o banco em que já possuem conta os oferecessem.

De acordo com Tiago Aguiar, líder de Open Banking na TecBan, esses dados indicam oportunidades e desafios. “Os brasileiros estão cada vez mais confiantes sobre o impacto positivo do sistema financeiro aberto à medida que a implementação está ocorrendo no Brasil”, afirma. Para ele, por outro lado, ainda há uma necessidade de todos entenderem que o Open Banking tem potencial para transformar o sistema financeiro brasileiro como conhecemos hoje, além de ampliar a oferta de serviços personalizados para as necessidades e perfil das pessoas, incluindo os “desbancarizados” e pessoas com menor renda. “Os benefícios do Open Banking estão abertos para todos, independente da faixa de renda. Inclusive é uma grande oportunidade para trabalhadores informais conseguirem abrir seus históricos financeiros e conseguirem boas oportunidades de acesso a novos recursos, por exemplo. Mas para isso acontecer é necessário estar em um ambiente com robustez de segurança”, finaliza o executivo.

A pesquisa on-line foi realizada em junho de 2021 pela Ipsos a pedido da TecBan, com abrangência nacional. Foram entrevistados 1.000 homens e mulheres das classes A, B e C, com acesso à internet. A margem de erro é de 3,1 pontos percentuais.

No Brasil, o Open Banking está em processo de implementação, com a terceira fase se iniciando em 29 de outubro. A nova etapa marcará o compartilhamento das ferramentas para facilitar transferências de forma instantânea.

Comments are closed