Plataforma nstech quer contratar 500 profissionais de TI até o final de 2022

Plataforma nstech quer contratar 500 profissionais de TI até o final de 2022

O arrojado plano de expansão da nstech, maior plataforma de soluções tecnológicas de logística do Brasil, e das 11 empresas do grupo passa necessariamente pelo crescimento da equipe. O objetivo é contratar 500 profissionais de TI até o final de 2022. O processo já começou: há 70 vagas abertas para programadores de diferentes níveis – desde iniciantes até os mais experientes. Início imediato.

“Temos pressa”, informa Murilo Alencar, Chief Technology Officer (CTO) da nstech. “São posições para todos os perfis de programadores. A variedade de cargos também está alinhada à diversidade de maneira geral. Sem restrições de idade, maturidade, orientação sexual, raça ou gênero. É importante se sentir desafiado e ter brilho nos olhos pelo que faz. Ter vontade de aprender, estar empenhado em gerar impacto relevante e trilhar uma jornada de sucesso”.

Murilo Alencar entende que os especialistas em dados representam o cérebro da nstech, plataforma com soluções em big data e inteligência artificial, voltadas para a redução das mortes e acidentes nas estradas e a melhoria da qualidade da logística, com rapidez e redução de custos.

Outro ponto importante: o trabalho é 100% remoto. “Buscamos talentos com envolvimento total. Estejam onde estiverem, tendo competência e disposição nos interessa. De nossa parte, abrimos a oportunidade de construir a carreira em uma plataforma disruptiva. Além disso, utilizamos método de evolução contínua, com o respaldo de mentores no próprio ambiente de trabalho. Um contribui para fortalecer a trajetória do outro. Isso é inovação colaborativa, inclusive na equipe. Está no jeito de ser da nstech investir em capital humano, porque aqui as pessoas e as interações vêm antes da tecnologia”.

Criada em outubro de 2020, a plataforma de serviços tecnológicos para logística nstech integrou 11 empresas. São elas Buonny, Opentech, AT&M, Brasil Risk, LogRisk, Praxio, Hivecloud, Fusion, I Am Tech, Bsoft e e-Frete. O grupo já atende a 45 mil transportadoras, conta com 2,1 milhões de motoristas de caminhão no seu banco de dados e projeta faturamento anual de R$ 400 milhões.

O Brasil gasta cerca de 12% do PIB com logística contra 7% dos Estados Unidos e mais de 40% dos caminhões rodam vazios. Além disso, é o 3º no mundo em roubos de cargas e ocorrem nas rodovias federais mais de 18 mil acidentes/ano envolvendo caminhões.

Comments are closed