A importância da Diversidade Cognitiva nas empresas

A importância da Diversidade Cognitiva nas empresas

Por Claudio Tancredi, Country Manager da Hitachi Vantara Brasil

Equipes mais diversas pensam melhor. Esse aspecto já foi comprovado em relação à diversidade de gênero e raça. Pesquisas indicam que companhias mais diversas geram até 19%¹ a mais de lucros resultantes de inovações. Esse é um dado significativo em um mundo no qual a inovação é a palavra-chave para o desenvolvimento de empresas alinhadas às demandas tecnológicas e de sustentabilidade que cada vez exigem mais flexibilidade e equilíbrio das equipes. 

A Diversidade Cognitiva olha para um fator mais subjetivo no quesito diversidade, que é o modo de pensar e de criar processos mentais para lidar com situações complexas. De forma sintética, podemos considerar que um time cognitivamente diverso é aquele em que pessoas que pensam de maneiras diversas compõem as equipes. Trata-se de incorporar a divergência de olhares como um mecanismo criativo contínuo, que não deixa a empresa cair em posturas confortáveis mas pouco produtivas.

Como criar uma equipe com diversidade cognitiva?

A diversidade cognitiva não é tão simples de identificar como as questões de gênero e raça. Ela requer novas abordagens na contratação e enfrenta um ponto em comum de muitas empresas: a tendência a unir pessoas que pensam parecido ao redor de um objetivo em comum².

Existem muitos fatores em jogo para reconhecer pessoas que pensam diferente mas que ainda são compatíveis com a proposta da empresa. Entre eles, podemos considerar preferências culturais, círculo de amizades e o modo de reflexão a respeito da realidade. Além disso, algumas pessoas simplesmente abordam questões complexas a partir de pontos de vista que chegam a ser contrários aos de outras. 

Para Harvard Business Review³, o psiquiatra e consultor de negócios, Peter Robertson, propõe uma abordagem baseada em como as pessoas encaram a mudança. Os dois principais vetores são:

  • Modo de processar o conhecimento: ao enfrentar situações novas, o indivíduo prefere aplicar o conhecimento existente ou criar uma nova forma para solucioná-lo?
  • Perspectiva: a pessoa prefere aplicar sua própria expertise na resolução de um problema ou opta por orquestrar as ideias de outras pessoas?

Esse simples ponto de vista ajuda a discernir entre dois grupos de pessoas que podem ocupar lugares estratégicos em uma equipe multifacetada. Nenhum deles é superior ao outro, pois a maioria dos problemas complexos exige uma resposta balanceada entre o conhecimento consolidado e novas formas de lidar com a questão. 

Muitas vezes é possível identificar a diversidade significativa em conversas informais ou até mesmo em posturas aparentemente polêmicas  a respeito de como encarar determinado tópico. Criar equipes diversas significa, inclusive, trazer mais desses atritos para o centro dos embates criativos da empresa, ao invés de considerar traços divergentes como incompatíveis. 

Cultura empresarial preparada para a diversidade cognitiva

A diversidade cognitiva não é apenas importante no momento de recrutar novos profissionais, mas especialmente no dia-a-dia da empresa. 

Podemos considerar que um quadro de funcionários possui naturalmente certa diversidade cognitiva, especialmente em áreas que não são homogêneas e que já priorizam a inclusão social. No entanto, culturas empresariais enrijecidas podem minar essa variedade, forçando que as pessoas se enquadrem em uma forma de pensar. 

Uma boa perspectiva para líderes em busca de aproveitar as qualidades individuais de seus colaboradores é valorizar abertamente a divergência de opiniões, especialmente quando todo mundo parece concordar sobre um tema. 

É preciso criar um espaço seguro para que as pessoas apresentem livremente seus pontos de vista, encorajando que modos de pensar distintos sejam aplicados na criação de estratégias e na aplicação de conhecimento. Isso significa que uma opinião diferente não será vista como motivo de repreensão ou de desqualificação mas, pelo contrário, como uma postura desejável e que será considerada em suas potencialidades. 

A chave para o futuro da diversidade são espaços mais amplos para que a diferença possa trazer todos os seus benefícios para um mercado mais alinhado para o mundo em que queremos viver. 

Comments are closed