KPTL lança novo fundo para startups de mineração

KPTL lança novo fundo para startups de mineração

A KPTL , uma das principais gestoras de Venture Capital do País, com mais de 60 empresas investidas no portfólio, anuncia a criação de seu mais novo fundo de investimentos dedicado a atrair startups que resolvem dores do setor com soluções de base tecnológica. Com o apoio do Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM), o Fundo KPTL Mineração pretende captar R$ 500 milhões e já nasce sob a bandeira da inovação por ser o primeiro do tipo na América Latina e um dos primeiros no mundo. O anúncio marca a abertura do EXPOSIBRAM, o mais tradicional e relevante evento do setor, que começa hoje (5) e vai até quinta (7), online.

A ideia do Fundo KPTL Mineração é impulsionar o ecossistema de inovação dentro do setor. Oferecer às empresas cotistas que tenham acesso às soluções de startups já num estágio de maior maturidade. Com o fundo, as mineradoras alavancam suas iniciativas individuais de Corporate Venture e de Open Innovation. Elas ampliam sua capacidade de interação com o ecossistema, e contam com uma gestora especialista em investimento em inovação para fazer os melhores investimentos e principalmente para ajudar as investidas a entregar todo seu potencial, um grande desafio deste estágio de desenvolvimento da inovação.

A posição como cotista de um fundo especializado setorial também oferece aos investidores uma posição privilegiada para acompanhamento da vanguarda da inovação na área. Em um segundo momento pode, inclusive, criar condições para que essas startups possam ser alvo de investimentos ou aquisição, após terem recebido o investimento e a governança por parte do time de gestão da KPTL por alguns anos.Já para o empreendedor que recebe aporte de um fundo com vários cotistas do setor, abre-se um amplo mercado em potencial. O fundo proporciona um fator multiplicador e complementar do capital, que amplia a potência do investimento. Assim, tem-se a oportunidade de alavancar os resultados e ganhar escala. Além disso, oferece ao investidor transparência, governança, benefícios fiscais no ganho de capital, proteção patrimonial, pois é fiscalizada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), e tem portfólio auditado e avaliado no mercado.

Para Renato Ramalho, CEO da KPTL, o setor ainda está em fase inicial de desenvolvimento de seu ambiente de inovação. “Um fundo de Venture Capital fará o papel estratégico de fortalecer e retroalimentar esse ecossistema. Contribuirá para o desenvolvimento de soluções early-stage, sendo uma estratégia complementar para que os CVCs tenham um pipeline forte para ser analisado. Hoje muitos não conseguem investir por não ter startups com oportunidades maduras o suficiente no mercado”, esclarece Ramalho.

Fundado em 1976, o IBRAM é uma organização privada, sem fins lucrativos, com mais de 120 associados, responsáveis por 85% da produção mineral do Brasil. Estimula uma mineração alinhada à sustentabilidade e indutora das boas práticas de ESG (sigla em inglês para meio ambiente, responsabilidade social e governança). A entidade será uma das norteadoras da estratégia do Fundo KPTL Mineração, assessorando e aconselhando os gestores em seu compromisso com “uma profunda transformação da indústria da mineração, em nossos processos e técnicas”, conforme sua carta compromisso, publicada em 2019.

“O IBRAM entende que o fundo para mining techs é um componente crucial para podermos vislumbrar o desenvolvimento deste nicho de mercado. Promover a inovação e o consequente desenvolvimento de soluções para a indústria mineral são ações que demandam linhas de crédito, que, efetivamente, estimulem o empreendedorismo nesta área”, Flávio Ottoni Penido, diretor presidente do IBRAM.

Para Gustavo Roque, advisor e líder da estratégia do Fundo KPTL Mineração, um fundo de Venture Capital é o ponto de partida para que as mineradoras possam testar e aprender sobre estratégias de investimento em empresas de base tecnológica. “Será uma ferramenta complementar à estratégia dessas empresas para que tenham um pipeline forte para seus investimentos através de veículos de investimento próprios”, acredita Roque, idealizador e co-fundador do MiningHub, polo de inovação das mineradoras.

É sempre importante ressaltar que as preocupações com um futuro mais sustentável passam diretamente pela mineração. Todo o movimento de redução das emissões de carbono e energia renováveis precisam do setor, responsável direto pelos insumos para construir painéis solares, baterias para veículos elétricos e pás para geração de energia eólica. Por exemplo, para aumentarmos a frota de veículos elétricos será necessário mais cobalto, cobre, manganês e níquel. Ou seja, precisaremos produzir minério de forma mais inovadora para apoiar essa transição. E claro, aumentar a segurança do trabalho, além do uso e desenvolvimento de novas tecnologias para mitigação de riscos e acidentes.

Mais tradicional e relevante evento do setor mineral brasileiro, a Expo & Congresso Brasileiro de Mineração 2021 acontece de 5 a 7 de outubro. Reúne os mais importantes líderes do segmento da mineração que compartilharão, em ambiente virtual, seus projetos, casos de sucesso, novidades, novos negócios e perspectivas para as próximas décadas. Na programação, palestras e debates por especialistas internacionais em mineração e setores afins sobre o contexto político e socioeconômico global, além dos desafios do setor mineral. Saiba mais neste link .

Experiências anteriores

A expertise da KPTL na gestão de fundos de Venture Capital remonta a 2003. Já passaram pelo seu portfólio mais de 100 startups, entre quase 10 mil avaliadas. A gestora é responsável pelos fundos Criatec e Criatec 3, que têm o BNDES entre os principais cotistas e cases de sucesso como Magnamed, Agrotools e Rank My App.

No portfólio atual da KPTL, três empresas estão envolvidas diretamente com a mineração. Com a Vale entre suas principais clientes, a SVA Tech criou um sistema próprio de vídeo monitoramento baseado em Inteligência Artificial e recebeu uma nova rodada de R﹩ 6 milhões em setembro. Já a Fractal Engenharia estrutura, coordena e fiscaliza sistemas de alerta e salas de situação contra desastres naturais, além de fazer modelagem e mapeamento de áreas de risco. Por fim, a ATIVA Soluções oferece telemetria e gerenciamento remoto para informação em tempo real dos equipamentos do setor.

A KPTL também tem experiência em trazer grandes companhias para o Venture Capital. Desde setembro, a Multilaser, gigante do mercado de produtos eletrônicos, é cotista do Fundo GovTech, que investe em companhias que aportam tecnologia para ampliar e melhorar a oferta de serviços públicos. Já a Jacto, uma das líderes nacionais na produção de maquinário rural, investiu no Fundo Agro por meio de seu family office, a Tridon Participações. A Valid, uma das mais tradicionais certificadoras digitais do mercado, também é cotista do Fundo Criatec 3.

Comments are closed