Como se preparar para uma recolocação pós-pandemia

Como se preparar para uma recolocação pós-pandemia

A crise gerada pelo novo coronavírus tem impactado bastante o mercado de trabalho. Em meio a este novo contexto, a situação dos profissionais também mudou: aqueles que estão em busca de recolocação profissional perceberam grandes mudanças nos processos seletivos, além da maior competitividade do mercado, que está com um número maior de pessoas disponíveis e disputando por essas oportunidades. A Adecco, empresa líder global em Recursos Humanos, traz dicas de como se preparar para esse momento de recolocação profissional.

Para começar, é preciso refletir sobre sua carreira e últimas experiências e pensar quais os próximos passos. Se o colaborador foi demitido, é importante se perguntar os motivos pelos quais você foi desligado. Após a reflexão, é importante começar a agir para que o mercado entenda que você está disponível. Atualizar o modelo do currículo junto ao perfil do candidato no LinkedIn é fundamental. O objetivo é ter um modelo organizado, com objetivo bem definido e com as palavras chaves da área de atuação para deixá-lo mais atrativo aos recrutadores.

Para Fernanda Baldívia, gerente nacional da Adecco Specialized, demonstrar como manteve-se atualizado e ativo – mesmo que em outra área – durante este período fora do mercado de trabalho é muito importante. “Participar de workshops, cursos, palestras online – ou presenciais, se possível – irão contribuir para que seu currículo se destaque”. A executiva também aconselha a manter o networking ativo. “Retomar o contato com as pessoas que você conhece e que podem te ajudar a se recolocar é um importante passo em direção a recolocação”.

Fernanda também cita o autoconhecimento como fator essencial na hora de pleitear vagas. “É preciso que o candidato entenda quais são seus diferenciais e tenha segurança em citar cada uma delas em horas estratégicas como a entrevista”. Inclusive, para a gerente, é na hora do bate-papo com o recrutador que o futuro colaborador deve investir todo o seu conhecimento.” O candidato deve agir com naturalidade, simpatia e firmeza. Deve-se responder todas as perguntas de forma calma sempre pensando em ser positivo ao expor suas ideias e mostrando o que aprendeu em cada desafio ao longo da carreira”. Vale lembrar que se a entrevista for por vídeo, o candidato deve se conectar antecipadamente e caso prefira usar fone de ouvido e microfone, faça testes antes da conversa para evitar falhas.

Porém, é preciso ter ciência de que o cenário atual está bem diferente. Para Fernanda, é necessário estar aberto as oportunidades e ter flexibilidade. “O mercado e trabalho está voltando a aquecer novamente, porém o candidato precisa ter consciência que dependendo da área talvez ele não consiga se recolocar com o mesmo pacote de remuneração e nem na mesma posição anterior, por isso encarar novas perspectivas e pensar sobre alternativas que antes não eram cogitadas, pode se tornar um grande diferencial”, finaliza.

Comments are closed