Boa remuneração não é fator decisivo para candidatos da área de tecnologia, aponta estudo

Boa remuneração não é fator decisivo para candidatos da área de tecnologia, aponta estudo

O fator mais importante para um candidato aceitar uma oportunidade de trabalho pode não ser apenas o valor do salário. A Revelo, startup líder de recrutamento para a área de tecnologia da América Latina, analisou 6 mil ofertas de emprego feitas por meio da plataforma e constatou que 83% das propostas aceitas não foram aquelas de maior salário.

De acordo com o CFO da Revelo, Fernando Kalil, há um grupo de “valores na mesa” que são chamados de Employee Value Proposition, ou Proposta de Valor ao Colaborador, em português, que são benefícios que o dinheiro não paga.

“Flexibilidade de horário, trabalho remoto e oportunidades de mudança de carreira dentro da própria empresa são alguns pontos que têm peso importante na decisão. Assim como os pacotes de benefícios como plano de saúde, de carreira, de parcerias com academias de ginástica e incentivo para capacitação”, reforça o executivo.

O cenário indica que a disputa no mercado de trabalho em tecnologia é entre as empresas. De acordo com o levantamento da Revelo que avaliou 45 mil postos de trabalho em aberto no último ano, existem duas vagas para cada profissional. Só no primeiro semestre de 2021, o segmento já preencheu 96% do total de vagas em 2019, período pré-pandemia. 

“Os candidatos que desejam iniciar uma carreira em tecnologia, precisam investir em tornar-se especialista em determinadas habilidades e competências, as chamadas soft skills. Além disso, os hard skills, como são denominados as técnicas de linguagens de programação e conhecimento de outros idiomas, também são diferenciais que aumentam as chances de contratação”, alerta Kalil.

Ao se candidatar a uma vaga, o profissional precisa se identificar com os valores da empresa. “Só assim saberá se o salário ofertado compensará o trabalho e o ambiente”, finaliza o executivo da Revelo.

Comments are closed