Frizata chega ao Brasil com investimento de R$25 milhões liderado pela SP Ventures

Frizata chega ao Brasil com investimento de R$25 milhões liderado pela SP Ventures

Frizata, foodtech  flexitariana com modelo vertical de negócio (DNVB) que surge para desafiar o status quo dos produtos congelados, anuncia o fechamento de uma rodada de investimento de R$25 milhões liderada pelo SP Ventures, fundo brasileiro de venture capital, líder em agri-foodtech na América Latina. Além disso, participam investidores como Marcos Galperin (co-fundador e atual CEO do Mercado Livre), Jaime Soler Bottinelli (ex CEO global da Cencosud), Gonzalo Ramirez Martiarena (ex CEO global Louis Dreyfus, CEO Swiss Pampa e investidor em alimentos sustentáveis), Glocal e Norte Ventures, primeiro clube de investidores formado por empreendedores brasileiros, composto por nomes atrás de startups como Gympass, Brex, iFood, Movile, Mercado Livre e MaxMilhas. No país, a operação inicia na Grande São Paulo, sob a liderança de Henrique Zanuzzo.

“Nascemos para hackear a cadeia de alimentos congelados, que se mantém igual nos últimos 50 anos. Essa é uma realidade não só no Brasil, mas no mundo. Existe uma dominância de empresas com modelos de distribuição que não se renovam e que, juntas aos supermercados, acabam ditando as opções de produtos disponíveis para o consumidor. Chegamos para mudar esse jogo e fazer os produtos que as pessoas querem comer, não os produtos que os mercados querem vender”, afirma Zanuzzo.

Além da Grande SP, a marca também está presente em três metrópoles da Argentina e em Santiago do Chile e em setembro desembarca em San Francisco, nos Estados Unidos. Com esse investimento, os fundadores, Adolfo Rouillon e José Robledo, que pertencem à comunidade Endeavor, dão o primeiro passo para materializar a visão de levar a Revolução Frizata para diferentes cidades do mundo.

“Estamos construindo a plataforma global para aproximar uma nova geração de alimentos inovadores a milhões de consumidores que estão repensando a forma em que se alimentam todos os dias,  com uma experiência simples, preços acessíveis e cuidados com o meio ambiente. Nosso propósito é criar melhores alimentos para mais pessoas, simples assim”,  ressalta Adolfo Rouillon, co-fundador & CEO da Frizata.

Na mesa dos consumidores, sem intermediários

Primeira foodtech flexitariana de alimentos congelados on demand da América Latina, a Frizata foi lançada em Rosário, Argentina, em 2019 e conta com mais de 200 colaboradores em todas as cidades em que está presente.

Empreendedores há mais de 20 anos, Adolfo Rouillon e José Robledo, que pertencem à rede Endeavor, extraíram da expertise empresarial e do profundo conhecimento sobre os desafios da indústria de alimentação em grandes cidades do mundo a resposta para a pergunta: “o que vamos comer hoje?” de maneira simples e única. “Frizata nasceu para mudar a experiência da comida de todos os dias, com um forte impacto na praticidade, qualidade e equilíbrio do que consumimos, preços acessíveis e cuidado com o meio ambiente”, comenta Rouillon. 

Toda essa proposta se materializa graças ao seu inovador modelo de negócios (conhecido como DNVB – digitally native vertical brand). A marca é responsável pelo desenvolvimento dos produtos, produção, comercialização (feita exclusivamente por sua plataforma) e entrega, garantindo ao consumidor uma experiência completa com a marca. Outra vantagem deste modelo é a desintermediação do varejo, o que permite um contato direto com o consumidor e a redução de alguns custos, que são direcionados para um upgrade na qualidade dos produtos e desenvolvimento de novos itens.

“Ficamos muito impressionados com a visão que os fundadores têm para a Frizata no longo prazo, assim como a proposta de valor aos consumidores finais. O fornecimento de alimentos congelados de alta qualidade, desafiando os canais de distribuição tradicionais com um modelo D2C, nos pareceu uma proposta de valor convincente. Porém, a adição do componente de acessibilidade de preços e diversidade de portfólio à equação foi o ingrediente final para chegarmos a essa conclusão”, afirma  Alexandre Stephan, sócio da SP Ventures.

Digitalizando o freezer dos brasileiros

Com cobertura inicial nas cidades de São Paulo, São Caetano do Sul, São Bernardo do Campo, Santo André, Barueri e Osasco, o público pode contar com mais de 50 produtos nas categorias de frutas, vegetais, veggies, aperitivos, batatas, pizzas e empanadas no portfólio, muito deles sem similares nos mercados. “Os produtos únicos são desenvolvidos em co-criação com os consumidores, estamos constantemente interagindo com nossos clientes para receber opiniões e sugestões em relação a novos produtos”,  comenta Zanuzzo. 

Complementando o portfólio, um dos destaques de inovação, e exclusividade da marca, foi o desenvolvimento da categoria meat free, que conta com um dos maiores portfólios flexitarianos da América Latina e é composta por sete produtos sem carnes que recriam a maneira de alimentação sem esse tipo de proteína, promovendo o equilíbrio nutricional e da saúde. Essas opções respondem ao crescimento do consumo flexitariano no país, composto por uma dieta com maior consumo de alimentos vegetais e menos proteína animal. 

Comments are closed