"A saúde na América Latina vai passar por uma revolução e nós vamos liderá-la", diz presidente da Bayer

“A saúde na América Latina vai passar por uma revolução e nós vamos liderá-la”, diz presidente da Bayer

Crescimento contínuo e sustentável, essa é a principal estratégia de negócios da divisão farmacêutica da Bayer em todo o mundo. A América Latina será um mercado muito importante para viabilizar essa estratégia e, por isso, a região conta com um plano robusto que inclui mais de 60 lançamentos até 2023 – além de investimentos em tecnologia, transformação digital e terapias que vão revolucionar o cuidado com a saúde no futuro. A região pretende crescer acima de dois dígitos nos próximos anos. No Brasil, o movimento foi impulsionado por lançamentos importantes nas áreas de oncologia e saúde feminina.

“Temos uma meta de manter crescimento acima dos dois dígitos na América Latina. A região se transformou, nos últimos anos, em um motor de crescimento para o negócio global da Bayer e, para manter o ritmo, será fundamental trazermos cada vez mais inovação aos pacientes latinos, com foco em nossas áreas prioritárias de cardiologia, oncologia, hemofilia, oftalmologia e saúde feminina”, explica Adib Jacob, Head Regional da Divisão Farmacêutica da Bayer na América Latina e Brasil. “A Bayer é a 4ª maior farmacêutica da região e está entre as mais inovadoras, segundo ranking da IQVIA. Não apenas na América Latina, mas, globalmente, apostamos em inovação e tecnologia para transformar nosso negócio. Neste sentido, temos duas estratégias: inovação própria e parcerias estratégicas”, complementa o executivo.

Duas das principais parcerias que a Bayer estabeleceu nos últimos anos foram as aquisições da BlueRock Therapeutics (BlueRock) e da Asklepios Biofarmacêutica Inc. (AskBio) – empresas biofarmacêuticas especializadas em terapia celular e terapia gênica, respectivamente. O campo das Terapias Celular & Gênica representa a próxima onda de inovações no mercado de saúde e a Bayer pretende liderar essa revolução. Trata-se de um novo paradigma para a área, em que as causas das doenças, e não mais seus sintomas, serão diretamente endereçadas – graças a tecnologias que permitem o uso de células e sequências genéticas para prevenir, tratar e até curar doenças até agora consideradas incuráveis, como é o caso da Doença de Parkinson.

Além dos investimentos em parcerias, a Bayer também trabalha com inovação dentro de casa – o que já rendeu terapias inovadoras como Kyleena® (levonorgestrel), um novo DIU hormonal que tem o menor tamanho e menor dose hormonal do mercado, em comparação com os demais dispositivos intrauterinos; e Nubeqa® (darolutamida), um medicamento para tratar pacientes com câncer de próstata resistente à castração. Nubeqa® ajuda no atraso do aparecimento da metástase e tem um ótimo perfil de segurança – isto é, ele apresenta pouquíssimos eventos adversos graves nos pacientes. Isso está muito em linha com os objetivos da Bayer para a área de oncologia: prolongar a vida das pessoas, garantindo, ao mesmo tempo, que tenham qualidade de vida e bem-estar.

“Esses são apenas dois exemplos das inovações que já começamos a trazer para a América Latina. Eles são representativos não apenas porque endereçam áreas estratégicas para nosso negócio, mas também porque já conseguimos introduzi-los em diversos mercados locais – tanto os grandes, como os menores”, explica Adib. “Isso também faz parte de uma nova estratégia da Bayer. Desde o ano passado, a sede da LatAm mudou dos Estados Unidos para o Brasil. Com isso, ganhamos mais relevância, integração e autonomia. Agora, o objetivo é investir para garantir que o máximo de pessoas na região tenham acesso a tratamentos inovadores, independentemente do tamanho do país.”

Nubeqa®, por exemplo, já foi lançado em países grandes, como Brasil, mas também em países menores, como Guatemala, Honduras, República Dominica, Panamá e El Salvador. E, até 2022, deve chegar ao México, Colômbia, Equador, Peru, Nicarágua, Costa Rica, Trinidad&Tobago, Jamaica e Cuba.

Mas, o futuro que a Bayer visualiza não é feito apenas de medicamentos inovadores – ele é permeado por tecnologia. Desde o ano passado, a América Latina criou uma área especificamente para fomentar e desenvolver tecnologias no campo da Saúde Digital. É uma tendência que combina abordagens convencionais da medicina, com tecnologias digitais baseadas em advanced analyticsmachine learning e dados, por exemplo.

Fazem parte dos investimentos da Bayer plataformas como o Universo Médico, um aplicativo que visa ser uma “one-stop-shop” para que médicos acessem conteúdos relevantes e de alta qualidade, que os ajudem profissional e pessoalmente. Lançado no Brasil este ano, o Universo Médico já teve, em dois meses, mais de 2,4 mil downloads e deve chegar em outros países da região a partir de novembro. Já no México, o time local desenvolveu a Tienda Bayer, um e-commerce que tem como principal objetivo aproximar pacientes de seus tratamentos – de uma forma cômoda e simples. Sem precisar sair de casa (o que contribui para a segurança das pessoas durante a pandemia), eles também recebem benefícios como o pagamento em parcelas sem juros, programas de assinatura, programas de relacionamento, descontos escalonados e muito mais.

“Isso tudo é viabilizado por um trabalho interno que estamos fazendo desde o ano passado, para fomentar uma cultura cada vez mais ágil e inovadora dentro da Bayer. Essa vai ser a base que dará sustentação ao nosso plano de crescimento, pautado por fortes investimentos em inovação e tecnologia, além de um portfólio robusto com muitos lançamentos. O mercado de saúde vai passar por uma verdadeira revolução nos próximos anos e a Bayer pretende liderar esse movimento.”, finaliza Jacob.

Comments are closed