Foodtech catarinense OiMenu anuncia aquisição da Styme

Foodtech catarinense OiMenu anuncia aquisição da Styme

A OiMenu, startup de cardápios digitais, anuncia a aquisição da Styme, uma de suas concorrentes no ramo de digitalização de cardápios em restaurantes, que oferece gerenciamento de fila e reserva de mesas. O aplicativo conta com mais de 200 mil usuários ativos nas principais capitais do País e o movimento reforça a estratégia nacional da OiMenu, que está presente em 20 estados do Brasil, para expansão de novas frentes de negócios. O primeiro passo neste sentido aconteceu em 2020, quando a spin-off Deliway foi lançada para realizar o trabalho de delivery dos restaurantes. A estimativa com a série de aquisições que acontecerão nos próximos dois anos é ultrapassar os R$ 100 milhões em faturamento até 2026. O plano é encabeçado pela holding americana FEBA Capital, que vem acelerando a OiMenu desde 2018.

A startup de cardápios digitais, que tem sede em Santa Catarina e pretende chegar aos 26 estados do Brasil até o final de 2021, registrou um crescimento de mais de 200% em relação ao mesmo período do ano passado e, só neste ano, realizou mais de cinco milhões de pedidos por meio do seu serviço, movimentando mais de R$ 110 milhões em seus tablets durante os primeiros meses do ano. Segundo Isaac Paes, CEO e fundador da OiMenu, a incorporação da infraestrutura da Styme garantirá ainda mais integração e soluções aos usuários do serviço. 

Com essa centralização em uma única plataforma, os mais de 500 restaurantes atendidos pela OiMenu terão acesso a uma série de otimizações no gerenciamento das atividades e, como consequência, a melhoria será sentida também pelos clientes, que terão a experiência de um autoatendimento ainda mais robusto, seguro e descomplicado. “Estamos muito animados com essa nova fase da Styme. Agora, junto com todo expertise da OiMenu, vamos acelerar ainda mais as entregas de soluções diferenciadas para mais de 500 clientes. A nossa missão é ajudar na digitalização dos restaurantes, potencializando os resultados dos seus negócios, e oferecendo soluções mais aderentes ao momento atual, que exige cuidados com as questões sanitárias”, explica o cofundador da Styme, Frederico Tonietto.

Isaac explica que a incorporação da Styme é o primeiro passo dentro de um ambicioso plano de aquisições que visa, nos próximos dois anos, o investimento de R$ 50 milhões em novas incorporações. “A compra faz parte de um pacote de aquisições, investidas pela FEBA Capital, com foco no mercado de food service e empresas de tecnologia. O pacote será liderado pelo time da OiMenu e tem como objetivo a integração de novos players aos nossos serviços”. 

Para Isaac, a aquisição não poderia ser mais estratégica. Além de absorver importantes investidores, como Camila Farani (sócia fundadora da G2 Capital e referência na indústria de Venture Capital no Brasil) e o ator e empresário, Caio Castro, a OiMenu passa a contar com os fundadores da Styme como novos membros do time. Frederico Tonietto assume o cargo de Diretor de Novos Negócios e Luiz Fernando Ribeiro chega como novo Diretor de Operações. “Frederico e Luiz, que são empreendedores que admiro pela grande capacidade de execução, participaram recentemente do programa Shark Tank e saíram de lá com um investimento de peso. A Styme possui uma parceria fantástica com a Linx, que nos dará acesso às suas mais de 60 franquias, além de outras centenas de restaurantes incluídos na base de clientes, entre eles uma das maiores redes de fast food do Brasil”, afirma Isaac.

Este pesado investimento no mercado food service do Brasil acompanha uma tendência mundial e busca democratizar no País as diversas formas de pagamento por meio de tablets e aplicativos. Atualmente, este é um gap no setor de autoatendimento nacional e poucas empresas vêm investindo em soluções acessíveis – resultando em um serviço caro, nada intuitivo e que não disponibiliza ferramentas mais recentes, como Pix e integrações com fintechs. “Nosso objetivo é espalhar o maior número possível de tablets em restaurantes e possibilitar o pagamento da conta pelo aparelho ou celular. Na China, país que tem liderado os avanços neste setor, todas as compras já são feitas por meio de carteiras digitais. Queremos incentivar essa revolução no mercado brasileiro já que a tecnologia está sendo muito beneficiada com o lançamento do Pix e, em breve, do Pix Crédito”, finaliza Isaac.

Comments are closed