Como o relacionamento entre empresa e ex-colaboradores pode auxiliar na atração e retenção de talentos

Como o relacionamento entre empresa e ex-colaboradores pode auxiliar na atração e retenção de talentos

Por Priscila Domingos, gerente de aquisição de talentos na GFT Brasil

Reter os melhores talentos não é uma tarefa fácil na área da tecnologia. Isso porque temos um setor que está em constante crescimento, com muitas oportunidades disponíveis. Um levantamento realizado pelo Banco Nacional de Empregos (BNE) mostra que as vagas na área de tecnologia cresceram mais de 46% em 2021. Estamos falando de centenas de empresas interessadas em contratar talentos com propostas tentadoras, compostas por diversos benefícios e planos de carreira.

E com tantas oportunidades disponíveis, é normal termos um cenário de rotatividade. Sendo assim, é preciso naturalizar que o profissional de tecnologia busque novos desafios e projetos. Não temos controle sobre isso. Mas o que podemos fazer, enquanto empresa e recursos humanos, é desenvolver uma relação de confiança e transparência com cada um dos colaboradores e ex-colaboradores.

O bom relacionamento é primordial, ainda mais com quem é uma peça fundamental na construção da história e sucesso da empresa. Na GFT Brasil, valorizamos não somente quem é colaborador, mas também quem já foi. A partir destes valores criamos e oficializamos a comunidade GFT Alumni, que mantém conexão com todos aqueles que já fizeram parte de nossa história.

Além da oportunidade de troca de experiências com outros ex-colaboradores, quem faz parte das comunidades alumni das empresas, geralmente têm a possibilidade de conhecer novidades em primeira mão, participar de cursos e eventos. E também pode ter a chance de voltar para a empresa por meio de vagas oferecidas especialmente para quem faz parte do programa.

A recontratação de talentos está repleta de benefícios, ainda mais dentro de um cenário em que a rotatividade se faz presente. Afinal, cada um que passou pela empresa é parte importante da história de crescimento da companhia e deve ser valorizado. Além disso, estamos falando de alguém que já conhece a cultura, processos internos e possui algum tipo de vínculo com os colegas de trabalho, o que facilita a integração.

Deixar as portas abertas para um ex-colaborador, é vantajoso para ambos os lados. Por isso, tantas comunidades de Alumni seguem surgindo em todo o mundo. A saída de um colaborador não precisa e nem deve resultar num ponto final, as possibilidades são infinitas quando se resulta num “até logo”.

Comments are closed