Digibee capta R﹩ 13,5 mi em venture debt

Digibee capta R﹩ 13,5 mi em venture debt

Criada em 2017 com o objetivo de auxiliar grandes empresas na integração de sistemas digitais internos, a Digibee anuncia nova captação para impulsionar o grande momento de crescimento da empresa, que tem atraído um número expressivo de novos clientes. O valor total da captação é de R﹩ 13,5 milhões em modelo Venture Debt, aportado pelo Brasil Venture Debt . A modalidade foi escolhida por permitir à startup captar recursos relevantes sem implicar em diluição acionária dos atuais empreendedores e investidores.

Por meio da Digibee HIP, plataforma de integração de sistemas (Hybrid Integration Platform), a startup oferece a possibilidade de integrar diferentes sistemas (on premises e em cloud) utilizados dentro de uma companhia, aprimorando o tempo e processo de adaptação de novas ferramentas. Todo e qualquer processo pode ser realizado em uma velocidade até 10 vezes mais ágil e eficiente que as abordagens tradicionais. Tal modelo de negócios tem atraído grandes nomes que utilizam a solução oferecida pela Digibee, como Accenture, Bauducco, Carrefour, DASA, Porto Seguro, Cielo, Santander e B3.

A startup, que está em constante expansão, registrou crescimentos em diferentes aspectos nos últimos 12 meses. Atendendo empresas de diversas áreas, como indústria, varejo, financeiro, healthcare, TI e serviços, a startup viu seu número de clientes aumentar 57% entre julho de 2020 e junho de 2021. O quadro de colaboradores também aumentou, passando de 57 para 110 funcionários, resultando num crescimento de 93%. Naturalmente, a Digibee registrou um aumento de 246% no faturamento do último ano, passando de R﹩ 860 mil para mais de R﹩ 2 milhões de receita mensal recorrente.

Com tal crescimento, esta captação é vista pelo CFO da Digibee, Rafael Nardelli como um movimento natural. “Esta operação de Venture Debt faz parte da nossa estratégia de funding para estarmos robustos na nossa trajetória de consolidação do mercado brasileiro e de expansão global, além de nos posicionar muito bem para a próxima rodada de investimento nos EUA”, sinaliza.

Com boa reputação no mercado, a startup conta com grandes investidores, como Paulo Veras, cofundador e ex-presidente executivo da 99. “Comprei o sonho da Digibee logo na partida, entendendo a revolução que proporciona aos clientes e o tamanho da ambição. A Digibee vai se transformar numa referência global, acelerando a transformação e competitividade de seus clientes enterprise neste cenário de disrupção que só vai se intensificar nos próximos anos”, prevê.

Investimento em Venture Debt

O Venture Debt é um produto de dívida customizado para empresas inovadoras. “É uma forma de atender as necessidades das empresas e startups por meio de um produto com juros, garantias e prazos adequados à realidade financeira e operacional de cada negócio, tendo como foco a geração de valor de longo prazo. Com esse investimento, a Digibee ganhará fôlego para consolidar seus bons resultados, aumentar seu valuation e fazer uma captação maior no futuro”, conta Gabriela Gonçalves, Managing Partner do Brasil Venture Debt, fundo responsável por este aporte, que conta com fundo de R﹩ 140 milhões dedicado exclusivamente a operações de Venture Debt, e possui investidores como BNDES, XP Investimentos, BDMG e Bossa Nova.

O modelo de aporte é utilizado para complementar os investimentos de equity, promovidos por fundos de Venture Capital, ele tem o benefício de mitigar a diluição ao longo do das diversas etapas de fundraising, além de possuir processos ágeis de due diligence e de permitir que as startups alonguem suas runways, realizando captações em estágio com maior de maturidade, com um valuation maior.

Apesar de novidade no Brasil, o Venture Debt já é consolidado nos Estados Unidos como uma das principais opções de financiamento para startups. Em 2019, representou aproximadamente 20% do mercado estadunidense de Venture Capital, e estima-se que foi utilizado em 40% das rodadas de investimento levantadas por startups nesse país nos últimos 6 anos.

Comments are closed