Geração Z foi a que mais economizou na pandemia

Geração Z foi a que mais economizou na pandemia

A geração Z, que reúne os jovens na faixa etária até 24 anos, foi a que, numericamente, mais economizou em 2020, ano marcado pelas medidas de isolamento social e a crise econômica decorrentes da pandemia do novo coronavírus. No total, 50% desse público conseguiu segurar os gastos, quase 13 pontos percentuais acima dos millennials (25 a 40 anos), aproximadamente 16 pontos de vantagem sobre a geração X (41 a 56 anos) e o dobro dos boomers (57 a 75 anos).

Os resultados fazem parte da quarta edição da pesquisa Raio X do Investidor Brasileiro, realizada pela ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais) em parceria com o Datafolha, que ouviu 3,4 mil pessoas da população economicamente ativa, das classes A, B e C em todas as regiões do país.

Os “Zs” se destacam frente a todas as outras gerações quando o assunto é economia durante a pandemia: enquanto 50% desse público economizou em 2020, o percentual chegou a 36,7% entre os millenials; 34,1% na geração X; e 25,2% entre os boomers. Os mais jovens também superaram a média de 36% dos que economizaram em 2020, quando considerada todas as faixas etárias do levantamento.

“Muitos integrantes da geração Z ainda moram com os pais ou voltaram para a casa dos pais na pandemia. É também uma geração nativa digital mais acostumada com a vida online, com um perfil de gastos menor do que as outras gerações mesmo antes da pandemia”, analisa Marcelo Billi, superintendente de Comunicação, Certificação e Educação de Investidores da ANBIMA.

Quando perguntados sobre como conseguiram economizar, a diminuição de gastos, principalmente deixando de sair, frequentar bares e restaurantes e usar o carro, se destacou entre os entrevistados da geração Z: 27,7% dos integrantes desse grupo diminuíram os gastos na pandemia, um desempenho melhor do que os millennials (20,3%); a geração X (19,8%); e os boomers (13,2%).

Outro motivo foi a diminuição de compras desnecessárias: 17% dos jovens da geração Z adiaram a compra de algo que não era urgente, contra 7,8% dos millenials; 7,3% da geração X; e 5,5% dos boomers.

No quesito controle de despesas, todas as gerações empataram, com exceção dos boomers: 8,1% da geração Z disse ter revisto essas linhas do orçamento; frente a 7,9% da geração Z; 7,5% dos millenials; e apenas 4% dos boomers.

Dos 3.408 entrevistados pelo Datafolha, 18,5% fazem parte da geração Z, o que representa aproximadamente 19,1 milhões de brasileiros. Os millennials respondem por 35,2% dos participantes, ou 36,5 milhões de pessoas – individualmente, o maior público do levantamento. A geração X, por sua vez, representa 24,8% dos ouvidos (o equivalente a 25,7 milhões da população brasileira), enquanto os boomers somam 20,6% da amostra – ou 21,4 milhões de brasileiros.

Comments are closed