Serviço Geológico e Universidade de Brasília assinarão acordo para ampliar projetos de PD﹠I

Serviço Geológico e Universidade de Brasília assinarão acordo para ampliar projetos de PD﹠I

O Serviço Geológico do Brasil (SGB/CPRM) segue com a sua missão de gerar e disseminar conhecimento geocientífico no país e avançará em um novo projeto. Representantes da instituição vão assinar nesta quinta-feira, dia 05 de agosto, um acordo de cooperação técnica-científica com a Universidade de Brasília (UnB) para o uso compartilhado de laboratórios e desenvolvimento conjunto de projetos de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I) nas áreas de energia, água, geologia marinha, sustentabilidade, entre outros. A assinatura do acordo acontecerá durante a solenidade on-line com início às 14h30 de amanhã, com transmissão ao vivo por meio do canal TV CPRM no YouTube.

A cooperação entre as duas instituições visa desenvolver um robusto portfólio de projetos de P,D&I em várias áreas das geociências que devem preferencialmente ser financiados pelo setor produtivo. Os temas que serão pesquisados por meio do acordo são relevantes para a sociedade, a exemplo do aquecimento global, energia limpa e bioeconomia marinha. O acordo também deverá propiciar o desenvolvimento de uma maior quantidade e qualidade de projetos de P,D&I na área de óleo e gás, assunto em que a UnB já é referência nacional. Os projetos executivos relacionados à infraestrutura laboratorial do Centro de Referência em Geociências (CGA) do SGB/CPRM, Litoteca do Pré-sal, do Museu de Ciências da Terra (MCTer) e laboratórios associados estão em pleno desenvolvimento. Neste sentido, o acordo potencializará os benefícios que estes projetos têm com a Petrobras na medida que o compartilhamento de equipamentos permitirá ao país ter um dos mais completos laboratórios de isotopia e geocronologia da América Latina.

Segundo ressalta o diretor-presidente do SGB/CPRM, Esteves Colnago, o grande impulso para este trabalho é a integração entre o governo e a área acadêmica, que poderão fornecer subsídios e ampliar a disponibilização de informações ao setor mineral que permitam o desenvolvimento socioeconômico a partir das áreas que serão objeto de estudo dos pesquisadores. Neste sentido, Colnago também destaca que a participação do SGB/CPRM no acordo se fortalece em virtude de ser, desde 2017, uma instituição científica, tecnológica e de inovação pública (ICT), contribuindo com a pesquisa e ampliando o conhecimento sobre as geociências no país.

“A integração entre o governo e as áreas acadêmica e mercadológica do setor mineral é fundamental para que possamos avançar em projetos importantes para o Brasil, seguindo o nosso objetivo de contribuir com o desenvolvimento a partir da pesquisa científica. Este acordo será grandioso, visto que une instituições que são referência e têm corpo técnico de alta competência. Acreditamos nesta parceria e os resultados deverão ser promissores considerando as áreas que serão estudadas por nossos pesquisadores”, afirma Colnago.

O diretor de Infraestrutura Geocientífica do SGB/CPRM, Paulo Romano, também signatário do acordo, ressalta a abrangência e o perfil estruturante da cooperação. “Isso nos permite vislumbrar um futuro promissor desse trabalho integrado que fortalecerá o já elevado padrão científico e de respeitabilidade das duas instituições. O mecanismo mobilizará competências e recursos internos das duas instituições, da academia e do mercado, contribuindo para o desenvolvimento sustentável”, diz o gestor.

Chefe do CGA e responsável técnico do SGB/CPRM pelo acordo com a UnB, o geólogo Noevaldo Teixeira reitera que o acordo constitui um marco no relacionamento entre uma ICT, academia e os setores produtivos relacionados à mineração e energia.

“Não podemos esperar apenas os orçamentos provenientes do Tesouro para podermos desenvolver nossas pesquisas científicas. Precisamos interagir com redes de conhecimento, compartilhar laboratórios, modernizar o gerenciamento dos mesmos e principalmente desenvolver projetos que tenham impacto econômico e social”, destaca Teixeira.

A solenidade de assinatura do acordo contará com a participação do presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Evaldo Vilela, que ministrará uma palestra sobre “Interação: Universidade e Serviço Geológico do Brasil e o futuro das pesquisas”.

Comments are closed