Covid-19: logística e segurança são cruciais para distribuição de vacinas

Covid-19: logística e segurança são cruciais para distribuição de vacinas

Mais de 4 bilhões de doses de vacinas contra a covid-19 foram administradas globalmente até o final de julho, e menos de 30% da população mundial recebeu, pelo menos, uma dose da vacina. Apenas 14,4% está totalmente vacinada, segundo levantamento do Our World in Data.

Para garantir que as vacinas e todos os suprimentos médicos necessários sejam distribuídos corretamente, a Maersk, empresa líder global em logística integrada de contêineres e membro do Grupo A.P. Moller, está desempenhando um papel importante em todo o mundo.

A empresa apoia a iniciativa Global Vaccine Logistics Distribution, com priorização em soluções para distribuição internacional de vacinas e suprimentos relacionados em nome da Covax Facility, uma iniciativa mundial que visa o acesso equitativo às vacinas contra a Covid-19 dirigidas por Gavi, Vaccine Alliance, Coalition for Epidemic Preparedness Innovations (CEPI) e a Organização Mundial da Saúde (OMS).

De acordo com Hristo Petkov, chefe global de Pharma & Healthcare Vertical da Maersk, a distribuição de vacinas Covid-19 está ganhando velocidade em todo o mundo. Enquanto a Maersk no setor de logística está apoiando a implementação, é essencial observar algumas limitações, como a pressão sobre o transporte aéreo e o transporte marítimo logístico. O transporte terrestre vem desempenhando um papel importante, conforme esperado desde o início do planejamento da distribuição da vacina.

Ao mesmo tempo, os colaboradores apoiam a iniciativa Global Vaccine Logistics Distribution para covid-19, visando a distribuição internacional e nacional de vacinas e suprimentos relacionados à Covax Facility.

Além disso, é necessário garantir o fornecimento de itens de prevenção e controle de infecções (IPC) e equipamentos de proteção individual (EPI), bem como suprimentos de laboratório e diagnóstico, oxigênio, equipamentos médicos e medicamentos. A partir disso, a Maersk desempenha um papel vital no transporte de EPIs em todo o mundo.

Como a pandemia ainda está evoluindo em algumas regiões do mundo, cepas novas e mais contagiosas pioraram a situação consideravelmente, levando a bloqueios prolongados e ampliados. “Sabemos que as cadeias de frio farmacêuticas são altamente complexas e precisam mitigar o risco a todo custo para manter a integridade dos produtos. Os clientes querem controle, flexibilidade e transparência. Eles exigem a capacidade de mudar o modo de transporte em caso de desvios ou interrupções, para garantir a distribuição segura e oportuna de seus produtos”, diz Petkov.

“Mesmo que a capacidade global de frete tenha aumentado e atualmente seja superior aos níveis de 2020, a capacidade geral de frete aéreo continua a ser impactada e está abaixo dos níveis registrados para o mesmo período em 2020, confirmando o impacto contínuo no frete aéreo. As taxas aumentaram em qualquer lugar entre o dobro e o quíntuplo. Algumas rotas foram gravemente atingidas e, embora algumas companhias aéreas estejam começando a retomar os serviços parciais, a capacidade ainda é limitada”, explica.

Segundo ele, mais da metade de todas as vacinas serão produzidas ao nível regional. Consequentemente, haverá uma grande demanda por transporte terrestre. Há um volume extremamente alto de caminhões com temperatura controlada transportando as vacinas Covid-19, geralmente fornecidos por especialistas locais ou organizados ao nível governamental, com alto uso de caixas com temperatura controlada.

Existem restrições em cada etapa da cadeia de abastecimento, e uma das etapas mais cruciais diz respeito à escassez de contêineres marítimos. Além disso, existem desafios para a dinâmica e atrasos portuários devido à falta de pessoal, inspeções alfandegárias, déficit de navios adicionais, taxas crescentes e restrições de distribuição interna — fatores que adicionam complexidade ao transporte marítimo.

Os problemas existentes da cadeia de suprimentos estão relacionados a um problema impactado por muitas variáveis, resultando em uma queda na confiabilidade dos cronogramas globais. Essa situação não afeta a distribuição de vacinas contra a covid-19 diretamente, mas cria desafios para a distribuição de suprimentos médicos.

Ameaças de cibersegurança

Existem riscos crescentes em relação à segurança da cadeia de suprimentos e ameaças à segurança cibernética contra empresas envolvidas na produção e distribuição da vacina contra a covid-19. As cadeias de suprimentos farmacêuticas já estão entre as mais regulamentadas, seguras e protegidas de qualquer setor. Um registro de temperatura ausente pode resultar na quarentena da carga.

“Garantir o transporte, armazenamento e entrega seguros de cada remessa de produtos farmacêuticos é fundamental para garantir a integridade do produto e a segurança do paciente. É importante evitar qualquer interrupção no processo de entrega e proteger a integridade das vacinas em seu caminho para os pacientes”, afirma Petkov.

“Nós, da Maersk, levamos todas essas questões a sério em nossos esforços para garantir que todos os suprimentos da Covid-19 cheguem com segurança às unidades de saúde, médicos e pacientes em todo o mundo”, conclui.

Comments are closed