Lições e aprendizados da estruturação da inovação aberta

Lições e aprendizados da estruturação da inovação aberta

Muitas empresas, instituições científicas e tecnológicas (ICTs) possuem cases de inovação aberta que, além da relação com startups, impulsionam a colaboração entre elas e, ainda, interconectam empreendedores, investidores e profissionais de tecnologia para fortalecer a economia do país. Esse é o caso do Programa de Inovação Aberta da Petrobras, que expande as fronteiras e envolve todo o sistema nacional de inovação.

Isso porque, a Petrobras acredita que o conhecimento deve ser transformado em inovação para gerar valor ao negócio. Para isso, as ICTs são responsáveis pelas pesquisas básicas e aplicadas e pelo desenvolvimento experimental, as startups pelo desenvolvimento do protótipo e aumento de escala, e as empresas pela inserção no mercado, expansão comercial e consolidação.

De acordo com Alex Dal Pont, gerente de inovação em ecossistemas empreendedores da Petrobras e diretor da Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras (ANPEI), inovar com startups é mandatório para as indústrias, já que elas envolvem velocidade, disrupção, escalabilidade, processos ‘lean’, cultura empreendedora e, principalmente, a preferência dos profissionais mais talentosos do mercado. “A indústria, por sua vez, abrange conhecimento técnico, domínio de negócio, capital e infraestrutura, marca e escala, e acesso à cadeia de valor”, diz o executivo.

O termo “inovação aberta” é compreendido apenas como a relação e os negócios entre indústrias e startups. No entanto, a definição envolve a utilização de diferentes ideias e caminhos internos e externos por parte das empresas para chegar ao mercado e ao desenvolvimento tecnológico. Desta forma, o processo pressupõe a interação não apenas com startups e empreendedores de diferentes setores, mas também com centros de pesquisas, universidades e órgãos públicos e governamentais.

Vale frisar que o Programa de Engajamento com Startups da Petrobras expande as fronteiras de inovação aberta, pois envolve desenvolvimento tecnológico, incorporação ágil, integração com o ecossistema e corporate venture capital. O gerente de inovação, que também apresentou o “Petrobras Conexões para Inovação Módulo Startups”, ressaltou a busca pela maximização da geração de valor, a indústria de óleo e gás como alavanca da inovação, o estímulo à entrada de novas empresas inovadoras no setor, e a importância da sinergia entre os atores do ecossistema.

Comments are closed