Geração Z recorre mais a sites e apps como fontes de informação sobre produtos financeiros

Geração Z recorre mais a sites e apps como fontes de informação sobre produtos financeiros

A geração Z (jovens com até 24 anos) é a que mais usa portais de notícias e sites especializados como fontes para saber mais sobre investimentos. Enquanto 28,7% dessa faixa etária recorre a esses canais como fonte de informação, o percentual cai para 22,4% entre os millennials (pessoas entre 25 e 40 anos). A queda é ainda mais expressiva – para 11,3% – entre o público da geração X (41 a 56 anos); e ainda mais entre os boomers (57 a 75 anos) – apenas 9,4% deles buscam informações em sites e portais.

A forma como as diferentes gerações procuram saber mais sobre produtos financeiros antes de investir está na pesquisa Raio X do Investidor Brasileiro 2020, realizada pela ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais) em parceria com o Datafolha, que ouviu 3,4 mil pessoas da população economicamente ativa das classes A, B e C em todas as regiões do país.

Assim como os sites, os aplicativos também são mais utilizados como fonte de informação para as gerações mais novas: 12,2% dos entrevistados da geração Z acessam apps em busca de conteúdos sobre investimentos, contra 8,4% dos millennials, 2,5% da geração X e 2,1% dos boomers.

Nativos digitais, os jovens da geração Z são os que reúnem menos pessoas que buscam informações presenciais para tomar a melhor decisão sobre que produto financeiro investir entre todas as gerações: 28%. O percentual cresce à medida que os entrevistados ficam mais velhos: 33,8% dos integrantes da geração millennial, 50% da geração X e 52,8% dos boomers ainda recorrem ao bom e velho cafezinho com o gerente para falar sobre risco, retorno e produtos financeiros.

“O atendimento presencial sempre foi bastante citado em todas as edições da pesquisa. À medida que a geração Z chega ao mercado de trabalho e ao universo dos investimentos é natural que os canais digitais ganhem espaço, afinal trata-se de jovens mais acostumados ao mundo digital desde a infância”, diz Marcelo Billi, superintendente de Comunicação, Certificação e Educação de Investidores da ANBIMA.

Um ponto em comum que une as gerações é a busca de informações sobre investimentos com amigos e parentes. Essas são as fontes de conteúdo buscadas por 16,6% do público Z; 15,2% da geração X; 14,9% dos millenials; e 13,8% dos boomers.

Do total de entrevistados pelo Datafolha, 18,5% fazem parte da geração Z, o que representa aproximadamente 19,1 milhões de brasileiros. Os millennials respondem por 35,2% dos participantes, ou 36,5 milhões de pessoas – o maior público do levantamento. A geração X, por sua vez, representa 24,8% dos ouvidos (o equivalente a 25,7 milhões da população brasileira), enquanto os boomers somam 20,6% da amostra – ou 21,4 milhões de brasileiros.

Sobre o Raio X do Investidor Brasileiro

Esta é a quarta edição da pesquisa Raio X do Investidor, realizada pela ANBIMA em parceria com Datafolha. As entrevistas aconteceram entre 17 de novembro e 17 de dezembro de 2020, com 3.408 pessoas economicamente ativas, que vivem de renda ou são aposentadas, de 16 anos ou mais, pertencentes às classes A, B e C, nas cinco regiões do País. A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos, dentro do nível de confiança de 95%.

Comments are closed