Capital Lab Ventures co-investe com fundos globais Accion Venture Lab e K50 Ventures em fintech de crédito pioneira em embedded lending em rodada de R$20 milhões

Capital Lab Ventures co-investe com fundos globais Accion Venture Lab e K50 Ventures em fintech de crédito pioneira em embedded lending em rodada de R$20 milhões

Capital Lab Ventures, plataforma de Venture Capital baseada em Londres e em Latam focada em investimento cross-border em startups de deep-tech globais, concluiu a rodada de R$ 20 milhões de investimento na Dinie. A Dinie é uma fintech pioneira em embedded lending via API no Brasil cuja captação foi liderada por Accion Venture Lab e K50 Ventures, em co-investimento com a Capital Lab Ventures, Flourish Ventures e Domo Invest, entre outros. Além do investimento seed, a empresa também informa que concluiu sua própria estrutura de securitização garantindo mais US$ 20 milhões em capacidade de financiamento de dívida em parceria com a Empírica Investimentos, uma investidora local de crédito estruturado, com uma carteira sob gestão de c. US$ 1 bilhão. O investimento será usado para acelerar a infraestrutura de crédito, expor suas APIs junto às maiores plataformas de comércio eletrônico do Brasil e atender mais de 15.000 PMEs com produtos”embutidos” como Conta de Crédito (limite rotativo em conta) e Dinie Pay (Buy Now Pay Later para pagamento parcelado entre empresas).

Ao incorporar sua infraestrutura e serviços em plataformas existentes que as PMEs já usam, Dinie é capaz de alcançar grandes grupos de clientes potenciais de PMEs. Dinie, então, aproveita os dados das plataformas para aprovar e subscrever rapidamente o crédito rotativo e monitorar o fluxo de caixa e os comportamentos de reembolso para ajustar as linhas de crédito e aprovar novos saques sem papelada adicional. O Limite em Conta digital da Dinie permite ainda que as MPMEs financiem seu capital de giro e paguem suas despesas diárias de negócios.

Nascida em Berlim e lançada em São Paulo em 2019, Dinie já fez parceria com as maiores plataformas digitais do Brasil, como iFood by MovilePay, Elo7 e uruguaio unicórnio de pagamentos dLocal. Em menos de 18 meses de atividade, a Dinie concedeu mais de 1.500 empréstimos, tendo crescido 20 vezes em 2020, o que a levou a ser selecionada pelo programa de aceleração Scale Up Fintech da Endeavor no Brasil. Com a rodada atual, a Endeavor também se torna uma investidora da Companhia pelo fundo Scale up Venture.

“Acreditamos que a Dinie está perfeitamente posicionada para executar localmente o modelo de negócios de embedded finance que já vemos bastante consolidado na Europa. Players como o gigante sueca Klarna vem revolucionando o mercado de credito para o varejo ao se utilizar de dados para concessão de crédito atrelado ao ciclo de compra do consumidor final de maneira assertiva e mais barata. Com um modelo de negócio baseado em APIs, a Dinie tem um grande potencial para se destacar nos próximos meses de recuperação da pandemia do coronavírus”, afirma Vanessa Viana, managing partner na Capital Lab Ventures.

“Além do negócio em si, estamos contentes por investir em female founders como Suzy e Andrea. Acreditamos que conduzir um processo de análise de investimentos livre de vieses nos permite contribuir para um ecossistema empreendedor baseado em valores como diversidade e equidade de gênero”, complementa Victoria Scotoni, associate na Capital Lab Ventures.

O investimento na Dinie corrobora com a nova fase de expansão da Capital Lab Ventures e nosso foco em investimentos em ativos globalmente competitivos a partir de Londres, sejam eles empresas latino-americanas, do Reino Unido, Europa e Israel. Além de capital, a Capital Lab Ventures adiciona importante valor a Dinie com sua comprovada experiência no setor de fintechs de crédito e avaliação de negócios baseados em plataformas digitais e análises de dados e a metodologia Venture Lab, que traz capacidades de construção da empresa para impulsionar o crescimento das startups. Com escritório em Londres desde 2019, a Capital Lab Ventures lançou recentemente a captação de seu primeiro fundo de venture capital, aberto a investidores institucionais e profissionais e family offices, e que tem como foco investimentos em empresas de deep tech.

Comments are closed