Banco digital will bank recebe aporte de R$ 50 milhões de XP Private Equity e Atmos Capital

Banco digital will bank recebe aporte de R$ 50 milhões de XP Private Equity e Atmos Capital

O will bank, um dos maiores bancos digitais do país, recebeu um aporte minoritário de capital de R﹩250 milhões de um grupo de investidores liderado pelo fundo de Private Equity da XP e pela gestora Atmos Capital.

O will bank foi fundado em 2017 pela família Piana, empreendedores do setor financeiro do Espírito Santo, e por Felipe Felix. Inicialmente, lançado com a marca Meu Pag!, o will rapidamente conquistou uma posição relevante de mercado, tendo emitido mais de 1,7 milhão de cartões desde sua criação, com mais da metade dos seus clientes na região Nordeste, onde é um dos líderes de mercado. Além de cartões de crédito e débito sem anuidade, a companhia também fornece serviços de conta digital remunerada e de conta corrente, como transferências bancárias, pagamentos e saques.

O aporte pelos investidores será um reforço na base de capital do will, suportando o crescimento acelerado da companhia e o desenvolvimento de novas linhas de produto nos próximos anos, além de contribuir com a governança corporativa do banco digital. Co-fundador e CEO da companhia, Felipe Felix, complementa que o will possui um grande diferencial tecnológico e foi a primeira startup a oferecer conta digital integrada com cartão de crédito no Brasil, no início de 2017. “Com grande parte dos funcionários nas áreas de tecnologia e dados, temos muita agilidade e flexibilidade para desenvolver novos produtos e melhorias, evoluindo a vida financeira dos nossos clientes de algo sem graça e burocrático para uma experiência prazerosa, positiva e completa”. Complementa ainda que “estamos muito felizes em firmar uma parceria com uma base de investidores de alto nível, que nos permitirá continuar crescendo de forma acelerada e sustentável para transformar a vida de milhões de brasileiros”.

De acordo com Chu Kong, head do fundo de Private Equity da XP, “o investimento no will é uma grande oportunidade de ingressar no mercado de alto crescimento dos bancos digitais, que tem democratizado o acesso ao sistema financeiro. O will se destaca por contar com um forte e experiente time de gestão, com profundo conhecimento do seu público alvo”.

O will bank é um raro exemplo de fintech brasileira que apresenta alto crescimento e rentabilidade, tendo reportado mais de R﹩500 milhões em receita em 2020, o dobro do registrado em 2019, além de lucro líquido positivo nos últimos anos. Erik Lassner, da gestora Atmos Capital, adiciona que “a rentabilidade da companhia está relacionada principalmente ao alto índice de crescimento orgânico de clientes, devido à qualidade do produto e ao posicionamento da marca, focado em um público historicamente mal servido pelo sistema financeiro tradicional”. A companhia estima que uma grande parcela dos clientes will não tinham cartão de crédito quando teve seu crédito aprovado.

Esta transação é resultado de uma parceria inovadora entre o XP Private Equity e a Atmos Capital, uma gestora de ativos líquidos que realizou seu primeiro investimento em uma empresa de capital fechado.

O Banco Credit Suisse atuou como assessor financeiro exclusivo do will bank nesta transação, cujos advogados foram os escritórios Pinheiro Neto, pelo lado da companhia, e Mattos Filho, pelos investidores.

Comments are closed