No primeiro ano de pandemia, confiança na Ciência cresce no Brasil, segundo pesquisa da 3M

No primeiro ano de pandemia, confiança na Ciência cresce no Brasil, segundo pesquisa da 3M

Em sua quinta edição, o Índice Anual do Estado da Ciência (State of Science Index – SOSI), pesquisa global realizada pela 3M, revela que a confiança dos brasileiros na ciência e nos cientistas obteve um aumento significativo (de 87% na pesquisa pré-pandemia para 91%) durante o primeiro ano de pandemia no país.

O levantamento realizado pela Ipsos em 17 países, incluindo o Brasil, tem como tema principal a “Esperança” e aborda quatro pilares-chaves, que foram explorados durante a aplicação da pesquisa. Entre esses pilares estão a Imagem da ciência, Equidade nas áreas de STEM (sigla em inglês para Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática), Sustentabilidade e Responsabilidade Compartilhada. A pesquisa foi realizada de fevereiro a março de 2021 com 1.000 pessoas em cada país.

A pesquisa revela que 92% dos brasileiros (vs 88% da média global) concordam que as vacinas são essenciais para a ciência lidar com os desafios na saúde pública. À medida que as atenções se voltam para elas, os brasileiros contam também com a ciência para ajudar a restaurar suas vidas. Entre as principais atividades que os brasileiros estão esperando realizar ao fim da pandemia são:

• Abraçar as pessoas com segurança: 64%

• Deixar de usar máscaras: 61%

• Ir para eventos culturais: 46%

• Viajar com os amigos e familiares: 43%

No Brasil, as pessoas acreditam que, além da saúde, a ciência pode resolver outras questões como sustentabilidade e lacunas de equidade em STEM. Algumas delas são:

• 93% reconhecem os cientistas como críticos para o nosso bem-estar futuro diante da pandemia (vs. 91% globalmente)

• 65% concordam que os jovens estão mais engajados do que nunca em ciências e questões relacionadas ao assunto (vs. 69% globalmente)

• 78% acreditam que durante a pandemia, cientistas e profissionais médicos estão inspirando uma nova geração a seguir uma carreira baseada na ciência no futuro (vs. 62% globalmente)

• Os pais (85%) e as gerações mais jovens (82% entre os 18-34 anos) são ainda mais propensos a acreditar nisso.

“Na pesquisa deste ano, a esperança foi o principal sentimento pela ciência que identificamos. Os brasileiros estão acreditando no protagonismo da área no país e contando com os cientistas para ajudar a restaurar nossas vidas e recuperar nossa rotina. Nós da 3M, como empresa de ciência e inovação, temos um importante papel de incentivar e apoiar ao tema por meio de iniciativas e programas que fomentamos” diz Paulo Gandolfi, diretor de Inovação, Pesquisa & Desenvolvimento da 3M para a América Latina.

Os brasileiros continuam atentos ao impacto que a ciência tem no mundo

Em sua grande maioria, os brasileiros entrevistados concordam que o mundo precisa de mais pessoas em carreiras relacionadas à STEM. Três a cada cinco brasileiros se sentem mais inspirados a seguir carreiras na área.

A confiança na ciência cresceu significativamente no Brasil após um ano de convivência com uma pandemia – e podemos assumir um paralelo entre a esperança e o aumento da confiança.

• 91% dos brasileiros confiam na ciência hoje – um aumento significativo de 4 pontos percentuais desde a Pesquisa Pré-Pandemia de 2020

• E aqueles que confiam na ciência e nos cientistas estão no mais alto percentual desde o início da SOSI, em 2018.

A alta confiança na ciência em todos os níveis podem estar influenciando os comportamentos dos brasileiros durante a pandemia, em comparação com o restante do mundo:

• Usar máscara em ambientes públicos: 89% (vs. 83% globalmente)

• Lavar as mãos frequentemente: 84% (vs. 78% globalmente)

• Evitar aglomerações: 83% (vs. 79% globalmente)

A pandemia renovou o foco em STEM no Brasil – especialmente entre as gerações mais jovens

• Quase todos os brasileiros concordam que o mundo precisa de mais pessoas buscando carreiras relacionadas às STEM (92% vs. 90% globalmente)

• Devido à pandemia, três em cada cinco estão mais inspirados a seguir uma carreira STEM (56% contra 60% globalmente) – o que salta para 63% entre os Millennials

• 78% acreditam que, durante a pandemia, cientistas e profissionais médicos estão inspirando uma nova geração a seguir uma carreira baseada na ciência no futuro (vs. 62% globalmente)

Além do mais, o protagonismo feminino foi um destaque entre os respondentes brasileiros: 87% acreditam que as mulheres precisam ser mais encorajadas a seguir carreiras relacionadas a ciência, 81% reconhecem que grupos sub-representados muitas vezes não recebem acesso igualitário à educação STEM e, ainda, homens e mulheres concordam que mais precisa ser feito para lidar com as desigualdades de STEM que as mulheres enfrentam.

A pandemia tornou muitos brasileiros mais conscientes no ponto de vista ambiental

Além do aumento das medidas protetivas, os brasileiros estão mais sustentáveis. As principais preocupações relacionadas ao meio ambiente a serem solucionadas pelos cientistas são a COVID-19, o descarte de plásticos nos oceanos e o acesso a energias sustentáveis e renováveis.

• A maioria dos brasileiros sente que a pandemia os tornou mais conscientes do ponto de vista ambiental (82% contra 77% globalmente)

• Eles acreditam que as pessoas devem seguir a ciência para ajudar a tornar o mundo mais sustentável (92% vs. 89% globalmente)

• Há um senso de urgência em torno das mudanças climáticas: uma grande maioria concorda que melhores soluções para mitigar as mudanças climáticas precisam ser postas em prática imediatamente (91%)

Para saber mais sobre a pesquisa, acesse www.3M.com/scienceindex.

Comments are closed