Itaú Unibanco e Instituto Unibanco anunciam vencedores do hackathon Batalha de Dados Social

Itaú Unibanco e Instituto Unibanco anunciam vencedores do hackathon Batalha de Dados Social

Itaú Unibanco e Instituto Unibanco anunciam os vencedores da Batalha de Dados Social –  hackathon focado na aplicação de soluções de tecnologia para ajudar gestores públicos e profissionais da educação no enfrentamento aos principais desafios da área. A iniciativa é fruto da parceria entre o Instituto Unibanco e a diretoria de Engenharia de Dados do Itaú, que disponibilizou a plataforma de tratamento de dados desenvolvida como parte do programa Todos pela Saúde para a área da educação, que também vem sofrendo os efeitos decorrentes da pandemia. 

“No Itaú, estamos construindo uma cultura em que o trabalho com data analytics não é visto como algo restrito a apenas números e padrões, ele é feito por profissionais que reconhecem que possuem ferramentas capazes de resolver dores e demandas reais das pessoas”, comenta Moisés Nascimento, Chief Data Officer do Itaú Unibanco. “O que fizemos nesta Batalha de Dados Social foi compartilhar um pouco dessa nossa cultura – presente em todas as hackathons que organizamos – com outras pessoas que também respiram tecnologia no dia a dia e têm vontade de pensar em alternativas que ajudem a solucionar os problemas sociais do País”, completa.

Para selecionar os vencedores, foi realizada uma maratona que contou com 90 participantes entre desenvolvedores, UX designers, engenheiro de dados e construtores de modelo. Durante a competição, os envolvidos deveriam buscar soluções para dois desafios elaborados em parceria com as Secretarias Estaduais de Educação do Ceará e de Goiás, parceiras do Instituto Unibanco no programa Jovem de Futuro. São eles: como reduzir a taxa de abandono e evasão escolar dos alunos do Ensino Médio regular, dada a maior utilização do ensino à distância; e como aprimorar o acompanhamento das competências e habilidades dos alunos de escolas estaduais a fim de reduzir uma potencial defasagem de aprendizagem em português e matemática com base na série histórica das avaliações externas.

No dia 2 de junho, houve a escolha dos cases vencedores. Em Goiás, o primeiro lugar ficou com Hacka Go Ensino, que trouxe como solução uma plataforma gamificada capaz de analisar dados de educação e recomendar conteúdos com o objetivo de auxiliar o aluno. O Hacka Edu, um aplicativo que conecta alunos e educadores voluntários para tirar dúvidas, foi premiado em segundo lugar. Já o vencedor do Ceará foi o Hacka Fan, que desenvolveu uma ferramenta de acompanhamento e nivelação que possibilita que professores e gestores da educação visualizem e combinem dados dos estudantes de Ensino Fundamental e Médio a partir de um dashboard intuitivo. O segundo lugar ficou para o Hacka Ana, que criou uma assistente de navegação de aprendizagem capaz de fazer uma transformação digital pedagógica, conectando o sistema educacional cearense.    

“Os resultados desse hackathon evidenciam como uma jornada estruturada no uso de dados tem alto potencial de contribuir de forma objetiva para enfrentar os grandes desafios educacionais e direcionar a tomada de decisão do gestor público”, reforça Ricardo Henriques, superintendente-executivo do Instituto Unibanco.

Os times vencedores foram premiados com acesso completo à plataforma de cursos ALURA pelo período de seis meses, bolsa integral para cursos Shift na FIAP e também com o cartão de crédito Itaucard Click com 10 mil pontos no IUPP, nova plataforma de compras e programa de pontos do Itaú Unibanco, além de vouchers para compras online no valor individual de R$ 3.500. Para os segundos colocados, foram oferecidos três meses de acesso completo à ALURA, três meses de acesso aos Nano Courses da FIAP e vouchers de R$ 1.500.

A QADS, Plataforma de Analytics e Decision Science da Qintess, e a Amazon Web Services também são parcerias da iniciativa, com a disponibilização de programas de desenvolvimento e das máquinas virtuais.

Esta é a segunda edição aberta da Batalha de Dados, hackathonque reúne periodicamente, há quatro anos, times de tecnologia do banco em torno de algum desafio interno. Com o tempo, o objetivo principal deixou de ser a resolução de um problema tecnológico puro, e o foco passou a estar nas demandas dos clientes e nas respectivas soluções de tecnologia que podem atendê-las. 

Capital humano aliado à tecnologia para auxiliar a gestão pública  

Lançado em abril do ano passado, com aporte inicial de R$ 1 bilhão, o Todos Pela Saúde é uma inciativa do Itaú para combater o coronavírus e seus efeitos sobre a sociedade brasileira. A contribuição do banco foi além do aporte financeiro e mobilizou o time de tecnologia para a criação de uma solução com banco de dados único, com informações organizadas e consolidadas. “O nosso desafio em ciência de dados foi enorme: criamos uma nova infraestrutura em cloud, testamos um novo escopo de modelagem epidemiológica e trabalhamos com situações novas, como o contexto de open source e a colaboração com profissionais de saúde. Ainda assim, criamos uma solução em tempo recorde que teve boa performance de predição para controle de EPIs e leitos hospitalares, entre outros ganhos, muito acima das demais iniciativas existentes”,conta Moisés.

Comments are closed