Microsoft debate uso de Inteligência Artificial e nuvem para finanças no CIAB Febraban 2021

Microsoft debate uso de Inteligência Artificial e nuvem para finanças no CIAB Febraban 2021

Dentre os dias 22 e 25 de junho acontecerá a edição de 2021 do CIAB Febraban, maior evento de tecnologia para o setor financeiro da América Latina. Durante o primeiro dia de conferência, que será em formato virtual, a Microsoft participará do painel “Inteligência Artificial (IA): a revolução dentro da revolução e o impacto no setor financeiro” que começa a partir das 16h com a presença da Tânia Cosentino, presidente da Microsoft no Brasil. O painel conta também com os executivos Marino Aguiar, CIO do Santander Brasil, Marcelo Braga, vice-presidente de vendas da IBM Brasil e Fábio Cozman, diretor do Centro de Inteligência Artificial na USP, para abordar o tema e comentar também sobre futuro da tecnologia de IA e o que deve nortear as empresas do setor a curto e médio prazo.

A Microsoft é uma das empresas que tem presença recorrente no evento e, neste ano, vai abordar as principais tendências do mercado de finanças, a fim de incentivar a inovação por meio da adoção de nuvem e da Inteligência Artificial (IA). Recentemente, como parte deste compromisso, a empresa lançou suas nuvens de Indústria, entre elas a Nuvem Microsoft de Serviços Financeiros, com modelos que aceleram a inovação em áreas como experiência e engajamento do cliente, vendas e serviço remotos, empréstimos digitais, gestão de riscos, cibersegurança, entre outros.

“É uma resposta ágil da Microsoft aos cenários prioritários de indústria que atendem dores de negócios e necessidades dos clientes, como maior uso de canais digitais devido a restrições físicas e revisão dos modelos de agências, pagamentos digitais sem fricção em tempo real, Inteligência Artificial para prover aconselhamento financeiro personalizado, contact centers cognitivos e modelos de digital onboarding para contratar serviços financeiros. Esse modelo cria uma mudança cultural na forma de co-inovar com o ecossistema, especialmente com as APIs abertas do Open Finance, pois parte de templates, protótipos e algoritmos pré-moldados, mas permite de forma flexível a colaboração para customizar serviços financeiros inteligentes na nuvem Microsoft Azure,” diz Fabio Mittelstaedt, head da Indústria de Serviços Financeiros na Microsoft Brasil e América Latina.

Desenhada junto aos nossos clientes e parceiros, a nuvem para serviços financeiros conta com as plataformas Microsoft Azure, Dynamics 365 e Microsoft 365, bem como os recursos de Inteligência Artificial – tecnologia que deverá impulsionar ainda mais o Open Finance, evolução do Open Banking que deve impactar em inovação não apenas nos bancos, mas em todas as instituições do ecossistema do sistema financeiro. “Na Microsoft acreditamos que o Open Finance será um elemento chave para a transformação da Indústria Financeira em um modelo mais centrado no cliente. A abertura dos dados do cliente com gestão de consentimento aderentes à LGPD, permitirá uma visão 360º do ciclo de vida financeiro de cada indivíduo, pequena e média empresa ou corporação, viabilizando a extração de insights para criar o que chamamos de jornadas digitais hiper-personalizadas. E as APIs abertas do Open Finance trazem um universo de possibilidades de novos modelos de negócios entre grandes Bancos, Segurados, Fintechs ou InSurtechs, desde agregação de serviços, white label apps para criar modelos de representantes de vendas digitais de financiamento de veículos, por exemplo, e estratégias de monetização de dados, como insights como serviços para orientar tomada de empréstimos e até facilitar com IA a gestão de fluxos de caixa dos varejistas altamente impactados pela pandemia. A nuvem Microsoft Azure e a Inteligência Artificial com alto poder computacional são os viabilizadores dessa revolução”, comenta Mittelstaedt.

No Brasil, a IA vem tendo um papel fundamental nos modelos de anti-fraude para esta indústria com destaque para o sistema de pagamentos PIX, implementado pelo Banco Central no final de 2020, que já superou em número de transações os modelos de TED, DOC, cheque e boleto somados, de acordo com o estudo “PIX: o novo meio de pagamento brasileiro”, divulgado pelo Banco Central em maio deste ano. Ao todo, o PIX já foi responsável por movimentar mais de R$ 1,109 trilhão desde dezembro. Com o crescimento vertiginoso de transações do PIX, a Microsoft desenvolveu um modelo de antifraude com IA em tempo real, identificando padrões de risco de fraude em milissegundos, além de realizar um piloto de antifraude com computação quântica para o PIX junto ao BACEN e a Quantum Brazil.

Além disso, a Microsoft tem um portifólio enorme de casos de uso de Inteligência Artificial para a Indústria Financeira que vão desde modelos de ofertas personalizadas de acordo com o momento de vida, até robôs conselheiros para aprender a investir no mercado de ações, identidade digital distribuída e algoritmos de tesouraria digital que predizem o impacto da variação cambial no forecast de grandes empresas.

“Temos um mercado de oportunidades muito amplo no Brasil em termos de crescimento em bancos digitais, novos modelos de Neobank, Super Apps e sistemas bancários alavancados pela chegada e breve amadurecimento do Open Finance, que vai ampliar a co-inovação com o ecossistema, trazendo serviços mais inteligentes e flexíveis que beneficiarão a população brasileira com serviços mais automatizados e personalizados. A tecnologia e a inovação utilizadas com propósito vão garantir um crescimento futuro sustentável para a Indústria Financeira, com toda a escalabilidade, resiliência e segurança da nuvem Microsoft Azure, alavancada por uma robusta estratégia de dados, analítico avançado, IA e ML para alcançar níveis superiores de experiência e satisfação do cliente”, finaliza Mittelstaedt.

Confira todas as informações sobre o evento no site do CIAB Febraban, bem como a programação completa dos quatro dias de conferência.

Comments are closed