Voltz, líder em motocicletas elétricas, recebe aporte de R$ 100 milhões da Creditas e do Grupo Ultra

Voltz, líder em motocicletas elétricas, recebe aporte de R$ 100 milhões da Creditas e do Grupo Ultra

A Voltz, empresa de tecnologia que atua no ecossistema de mobilidade elétrica, anuncia o recebimento de um aporte de R﹩ 100 milhões. A rodada de investimento foi liderada pela Creditas e contou também com a participação do UVC Investimentos, fundo de Venture Capital do Grupo Ultra, companhia multinegócios responsável por empresas como Ipiranga, Ultragaz e Extrafarma, entre outras.

“Com o aporte, podemos executar planos essenciais para alavancar o crescimento da Voltz, como melhorar nossa cadeia de suprimentos com o início da produção em larga escala no Brasil, inauguração de lojas-conceito em diversas localizações estratégicas, lançamentos de novos modelos e projetos de conectividade que redefinirá a mobilidade duas rodas”, conta Renato Villar, fundador da empresa

O investimento de 100 milhões tem grande participação da Creditas, com R﹩ 95 milhões. “O papel do crédito na venda de veículos, principalmente motocicletas, é importante no Brasil, e, por isso, iremos atuar também nessa demanda junto com a Voltz”, explica Sergio Furio, fundador e CEO da Creditas.

O investimento do UVC, de 5 milhões, é uma aposta em startup promissora, com um produto que gera menor impacto no meio ambiente. O investimento possibilita parcerias também com os negócios do grupo, como showrooms pop-up e estações de troca de bateria nos postos Ipiranga.

Desde que trouxe ao mercado o modelo EV1, primeira scooter elétrica concebida no país, em novembro de 2019, a Voltz vem se consolidando como referência nacional em seu segmento. A empresa já vendeu mais de 4.000 veículos no Brasil, entre diferentes modelos da scooter EV1 e a moto EVS. Para 2021, o objetivo da companhia é multiplicar cinco vezes sua receita operacional.

Inspirada na americana Tesla, a Voltz entende que a mobilidade elétrica é a próxima grande revolução no transporte. “O futuro da mobilidade está em transportes mais inteligentes, conectados e, obviamente, seguindo a tendência mundial, que não produzem poluentes. O consumidor de hoje exige a experiência completa, e a Voltz está empenhada em entregar. Acreditamos que a empresa está abrindo o caminho para o futuro das duas rodas no Brasil” prevê Sergio Furio, fundador e CEO da Creditas. “O investimento na Voltz é nossa maior aposta até o momento e confirma nossa tese que a inovação em serviços financeiros precisa estar intimamente ligada com a inovação tecnológica e a migração de motores de combustão para elétricos. O Renato é um empreendedor fora de série e o parceiro perfeito para reinventar o mercado de duas rodas”

Um exemplo das inovações da Voltz é o sistema de rastreamento em tempo real dos seus veículos, que consegue identificar roubos ou até mesmo se o piloto se envolveu em algum acidente e precisa de atendimento. “Por serem amigáveis ao meio-ambiente, cada vez mais os elétricos têm sido procurados. Além disso, queremos nos diferenciar no mercado de duas rodas a partir da incorporação de tecnologias inteligentes nos nossos produtos”, comenta Villar.

E os planos da Voltz para ganhar mercado não param por aí. Além do seu público cativo, que utiliza o transporte para uso pessoal, a empresa observou no crescimento do delivery uma oportunidade para ampliar seus negócios e planeja entrar no segmento por meio de uma versão de trabalho do seu modelo EVS WORK, que deve chegar ao mercado até setembro. O modelo é preparado para o uso profissional e oferece a autonomia necessária para que os trabalhadores consigam realizar suas entregas.

Produção de veículos

Com o aporte, a Voltz vai direcionar recursos para a instalação de uma fábrica no Polo Industrial de Manaus (PIM). “A operação em Manaus deve começar neste ano e concentrará toda a produção e montagem das motos elétricas. A Voltz planeja realizar um investimento inicial de mais de R﹩ 10 milhões e a capacidade anual de partida de produção da fábrica será de aproximadamente 15 mil veículos/mês. Esperamos que 500 empregos serão gerados com a iniciativa.” diz Sergio Furio, CEO da Creditas.

“A instalação da fábrica reafirma nosso objetivo de criar uma empresa com produção completamente brasileira e vai trazer mais agilidade para a logística. Por lá, vamos fabricar uma série de peças, como pedais, retrovisores, pastilhas, discos de freios, entre outros”, comenta Villar.

Modelo de negócio e produtos

Atualmente, a Voltz conta com lojas conceito em Recife, cidade em que foi fundada, e em São Paulo e mais de 30 showrooms distribuídos pelo país. Nestes locais, os clientes podem testar seus produtos e conhecer sobre os veículos elétricos.

As vendas da Voltz são feitas exclusivamente por canais digitais, em que o consumidor seleciona o produto que deseja, com as configurações que precisa e efetua o pagamento. Depois, basta esperar que o produto seja entregue na porta de sua casa. A operação é inédita para uma empresa nacional de duas rodas.

Todos os veículos podem ser equipados com até duas baterias para aumentar a autonomia. Em seu “cardápio”, a Voltz conta com a scooter EV1, nos modelos básico e Sport, que possui mais autonomia e velocidade, e a moto inteligente EVS, projetada para aguentar o trânsito intenso e grandes distâncias.

“A EVS pode ser totalmente controlada por aplicativo de celular, além de possuir um smart controller programado para enviar dados para a nuvem da Voltz. O veículo é a nossa grande aposta para a mobilidade do futuro. Queremos transformar o mercado de duas rodas a partir de inovações tecnológicas em nossos produtos”, diz Villar.

Em sua configuração mais potente, a scooter EV1 alcança 180 km de autonomia e 75km/h de velocidade máxima. Já a EVS chega até 120 km/h em seu pico de velocidade e também possui 180 km de autonomia. As baterias dos veículos da Voltz são portáteis e podem ser carregadas em qualquer tomada. A carga completa de uma bateria costuma levar até 5 horas.

Comments are closed