inovabra habitat completa três anos e anuncia novas parcerias

inovabra habitat completa três anos e anuncia novas parcerias

Com o propósito de promover a inovação e gerar novos negócios, o inovabra habitat completa seu terceiro ano buscando ampliar seu espectro de atuação, com um alinhamento mais forte a práticas ambientais, sociais e de governança corporativa (do inglês, ESG) e realizando novas parcerias. Além de concluir 2020 com um crescimento de quase 30% na participação em eventos, fechar cerca de 160 negócios e conquistar 32 novas empresas no modelo conectado, nos últimos três anos o ambiente de coinovação do Bradesco realizou mais de 1.200 atividades de coinovação, cerca de 2.500 eventos, com mais de 163 mil participantes, fechou cerca de 500 contratos e teve 10 startups investidas pelo inovabra ventures.

Como parte da estratégia de ampliar sua oferta de soluções, o ambiente anuncia novas parcerias. Uma delas é a Artemisia, que apoia negócios de impacto social de todo o Brasil que tragam qualidade de vida às pessoas em situação de vulnerabilidade socioeconômica e respeitem os limites ambientais. O Hospital de Amor, de Barretos, lançou seu próprio hub, o “Harena Inovação”, com foco em soluções para a área de saúde pública, e também é um dos novos parceiros. A Hotmilk, hub de inovação da PUC-PR, traz a aproximação com o ecossistema paranaense e o mundo acadêmico nessa região. E o Nexus, hub de inovação do Parque Tecnologico de São José dos Campos, é um centro com atuação forte em indústria 4.0 e soluções com base na tecnologia de IOT.

Os quatro hubs se juntam à Acate, de Florianópolis, e Porto Digital, de Recife, que já eram parceiros do inovabra habitat, criando uma rede colaborativa que conecta cerca de 3.000 startups e 150 empresas. Os membros do habitat passam a ter acesso a um ecossistema mais amplo de demandas e soluções em diversas tecnologias e setores de atuação. Adicionalmente, as empresas associadas aos parceiros poderão participar das atividades de coinovação e das conexões e desafios de negócios promovidos entre os habitantes.

Inovação sustentável

Em 2021, além da ampliação das parcerias, o inovabra habitat pretende continuar atraindo novos membros, entre eles startups que possam contribuir com inovação sustentável, e expandir o portfólio de habitantes que já atuam dessa forma. É o caso da Agrosmart, que usa ciência de dados para apoiar a decisão de toda a cadeia para uma agricultura mais produtiva, sustentável e resiliente ao clima. A startup é uma das investidas do inovabra ventures, do Bradesco.

Outro exemplo é a Jobecam, primeira plataforma global de entrevista às cegas por vídeo, criada para eliminar os vieses inconscientes nas contratações. O Bradesco tem feito testes com a startup para incluir a solução nos seus processos.

“Acreditamos no trabalho colaborativo e na inovação como ferramentas para impulsionar o desenvolvimento da sociedade de forma sustentável e eficiente. Por isso, estamos sempre abertos a novas startups, empresas e parceiros que queiram contribuir com a nossa missão”, ressalta a diretora executiva do Bradesco, Walkiria Marchetti.

Criando conexões

Inaugurado em 2018, o inovabra habitat tem como premissa apoiar as estratégias de inovação aberta e acelerar as jornadas de transformação digital e cultural das empresas habitantes e do próprio Bradesco. Por isso, ao longo destes anos, tem estimulado o seu ecossistema com novas tecnologias, inovações e capital contabilizando 193 startups e 75 grandes empresas residentes, e mais de 2.000 startups junto à sua plataforma digital.

“O inovabra habitat tem sido um ótimo parceiro em nossa estratégia de inovação. Proveu acesso a startups capacitadas que nos forneceram soluções que contribuíram para a aceleração de nossa digitalização e para o reconhecimento do Brasil como uma alternativa de inovação para o grupo Air Liquide. Hoje temos soluções digitais replicadas em todo Brasil e PoCs sendo desenvolvidas com apoio de nosso centro de pesquisas em Paris”, comenta Renato Schroter, gerente de inovação e transformação digital da Air Liquide.

Para a gerente de inovação da Myralis Pharma, Ana Paula Vasques, “ser uma corporação dentro do inovabra habitat está sendo um dos passos mais importantes para a nossa transformação digital, pois com os eventos e a dinâmica dos desafios, a empresa se tornou mais receptiva à inovação aberta, entendendo que a colaboração é uma forma saudável de crescimento”.

Mesmo durante a pandemia, o ambiente continuou expandindo seus negócios e atraindo novos membros. O inovabra habitat oficializou a ampliação do seu modelo de atuação para o digital, denominado habitat conectado. Com isso, 32 novas empresas, entre startups e corporações, se conectaram ao ecossistema recentemente, sendo três startups internacionais, vindas de Londres, Japão e Suécia. Desenvolveu também um book com 70 soluções de startups do ecossistema inovabra para o cenário de pandemia, trazendo temas como saúde e bem-estar, recursos humanos, educação, logística, transformação digital, gestão, financeiro e auxílio comunitário, que fomentaram conexões e negócios no ano passado.

Para o CEO da Digitalk, Estanislau Mello de Quevedo, a startup não seria a mesma sem o inovabra habitat. “Tínhamos seis meses de vida e o habitat menos de um ano quando entramos para o ecossistema e, de lá para cá, ganhamos maturidade, crescemos diariamente como startup e como negócio por meio das mentorias e acesso aos clientes do Bradesco, que hoje representam 15% do nosso portfólio”, afirma.

Em 2020, mais de 65 mil pessoas participaram dos eventos digitas e foram fechados cerca de 160 negócios. Por exemplo, a startup Antennas e a MarketUP foram contratadas pela TecBan para realizar pesquisa de mercado focada em estudos de comportamento dos donos dos estabelecimentos comerciais e da cadeia de valor do varejo.

A Semantix, que é uma das investidas do inovabra ventures, também teve um ano positivo, com um crescimento de vendas acima de três dígitos. A companhia antecipou o lançamento de novos produtos, como o Quios e o Live Commerce, adquiriu duas empresas, abriu uma nova filial nos Estados Unidos e entregou um EBITDA acima do planejado.

Outro destaque entre as startups do habitat e também uma investida pelo inovabra ventures é a D1, plataforma que acelera o processo de transformação digital de grandes empresas por meio da orquestração de canais de comunicação e entrega de jornadas omnichannel. Em março desse ano, a startup anunciou união com a Zenvia, de atendimento ao cliente, apontada como candidata a unicórnio em 2021. Com a junção, as empresas somam faturamento de cerca de R﹩ 500 milhões e compartilham uma base de aproximadamente 10 mil clientes, que vão do varejo ao setor financeiro e de seguros.

Também se destacaram no ano de pandemia as conexões realizadas entre habitantes e Bradesco, no qual mais de 160 startups foram apresentadas às diversas áreas de negócio do banco resultando em 17 provas de conceito concluídas e quatro startups contratadas. Comparado ao ano anterior o número de atividades e POCs com o Banco mais do que dobrou. A parceria com a startup InBot, por exemplo, contribuiu para a implementação de um assistente virtual com Inteligência Artificial para o canal Facebook/Messenger do Banco.

Para Walkiria, o ambiente se tornou ainda mais essencial para as novas relações corporativas e abre um leque de oportunidades para as startups e empresas de todo o Brasil trocarem aprendizados. “As conexões digitais intensificadas nos últimos meses permitiram o diálogo aberto e colaborativo entre os diferentes atores na busca de soluções para novos processos, produtos, serviços e programas, o que reforça nossa contribuição ao ecossistema empreendedor como um todo”, finaliza.

Comments are closed