Investimento em Venture Capital acelera a captação de novos negócios

Investimento em Venture Capital acelera a captação de novos negócios

Invisto e ACATE têm fundo de R$100 milhões que pode ajudar a estimular o mercado

Apesar do recente aumento da Selic, a taxa básica de juros continua baixa, e o aumento no volume de aportes em startups, mesmo durante a pandemia, fez do Venture Capital o melhor investimento de 2020. De acordo com Associação Brasileira de Private Equity e Venture Capital (ABVCAP) e a consultoria KPMG, pela primeira vez os investimentos em venture capital superaram o volume gerado pelo private equity. Por exemplo, na Invisto, maior círculo de venture capital do sul do Brasil e localizada em Florianópolis, das oito empresas inovadoras que tem em seu portfólio, em conjunto, registraram um faturamento de R$82,6 milhões, o que representa um crescimento de 51% se comparado com 2019. 

Esta tendência pode trazer um grande impacto para o mercado de tecnologia nos próximos anos. “Há muita liquidez no mercado e a opção pelo Venture Capital está em destaque para os investidores”, conta Marina Leite, head de Relações com Investidores da Invisto. O círculo de investimento em conjunto com a ACATE tem um fundo de R$100 milhões para startups B2B. Marina ainda conta que a procura pelo fundo cresceu bastante nos últimos meses. Em média, oito startups são analisadas por semana em áreas muito boas como educação, logística, healthtechs e ESG.  

Para a ACATE, participar de um fundo de investimento que busca startups focadas no mercado corporativo, com receita mensal entre R$100mil e R$150mil e que de preferência seja da região sul do país é uma estratégia que fortalece as empresas de tecnologia em expansão que não encontrariam no mercado outra forma de investimento que atenda esta faixa de faturamento.

Esta ação fortalece as empresas e o ecossistema local, o que contribuiu para fazer de Florianópolis a segunda melhor cidade do Brasil para se empreender em tecnologia e inovação, ficando atrás apenas de São Paulo, segundo dados do Índice de Cidades Empreendedoras da Endeavor em parceria com a Escola Nacional de Administração Pública (Enap). Atualmente, a tecnologia é a principal atividade econômica da capital de Santa Catarina.

Ainda em 2021, duas startups devem receber aportes do fundo Invisto com ACATE e a expectativa é que outras façam parte deste grupo, pois já estão em processo avançado de avaliação. 

Comments are closed