Cogna Educação cria plataforma de gestão acadêmica com nuvem da Microsoft

Cogna Educação cria plataforma de gestão acadêmica com nuvem da Microsoft

A Cogna Educação, companhia brasileira de educação, que inclui as instituições Kroton, Platos, Saber e Somos Educação, desenvolveu o Backbone Educacional, um novo modelo operacional da companhia, elaborado com base nos serviços de Azure, plataforma de computação em nuvem da Microsoft, que unifica toda a plataforma acadêmica do grupo, proporcionando maior visibilidade de projetos, além de facilitar a sua gestão.

De acordo com Luis Roberto Macedo Coimbra, diretor de Arquitetura de Sistemas da Cogna Educação, para desenvolver o novo modelo, todo o sistema de gestão acadêmica e financeira precisou ser repensado para se criar uma estrutura de micro serviços. Com essa missão traçada, o grupo buscou o apoio da Microsoft para elaborar um plano que permitisse destravar e unificar essas funcionalidades. “Os serviços da Azure foram um grande possibilitador para utilizarmos toda essa arquitetura em algumas ideias, fomentando ainda mais nosso objetivo de transformar a Cogna nessa empresa de plataformas educacionais, tanto no ensino superior quanto no ensino básico”, explica Coimbra. 

Com a mudança, um dos primeiros resultados foi a habilitação dos autosserviços para os alunos. Antes da migração para a nuvem da Microsoft, o índice de serviços acadêmicos e administrativos disponíveis on-line era de 3%, e hoje mais da metade deles estão neste formato. “O Backbone é o core de todo o contexto que tange processos acadêmicos. Na visão de plataforma, vai ter conexão com todos os processos, desde a captação do aluno, retenção, administrativo, financeiro e a parte de formação; são todas as esferas do meio de educação em um único lugar”, diz Djayson Roberto Eger, gerente sênior do time de Arquitetura da Cogna. 

O projeto inclui, entre outros serviços, a implementação do Azure Cognitive Search, serviço de pesquisa de nuvem executado com IA para desenvolvimento de aplicativos Web e móveis, que disponibiliza APIs e ferramentas para a criação de uma experiência de pesquisa focada na necessidade dos usuários.

Comunicação e colaboração no ensino remoto

Além dos serviços de Azure, a Kroton, instituição B2C de Ensino Superior que faz parte do grupo Cogna, implementou no ano passado a plataforma de colaboração e comunicação, Microsoft Teams, para aulas remotas de 350 mil alunos em apenas 24 horas. Os estudantes da modalidade presencial tiveram que se somar aos 470 mil alunos que já faziam cursos on-line na instituição, na modalidade EaD (Ensino a Distância) por conta do isolamento social. Desde o início, o nosso objetivo da empresa foi garantir que os alunos não tivessem nenhuma interrupção no semestre letivo. Uma experiência diferente, mas com os mesmos conteúdos e a mesma carga horária. 

De acordo com Luis Coimbra, a solução contou com o Microsoft 365, tendo o Microsoft Teams como peça-chave de toda essa mudança. Porém, para oferecer uma solução mais completa, com o acesso a uma conta Microsoft que elevasse o potencial educativo da iniciativa, o Azure foi o suporte encontrado para esse processo. “Quando começamos a iniciativa, percebemos o nível de complexidade que estávamos enfrentando, e que precisaríamos de todo o suporte da Azure nessa transição”, acrescenta.

Em 2020, foram ministradas semanalmente mais de 25 mil aulas ao vivo pelo Microsoft Teams para as turmas de graduação presencial, além de mais de 55 mil atividades avaliativas realizadas pelos alunos. “Esse processo humanizou a sala de aula, tornando-a menos expositiva e mais interativa. É uma extensão da sala de aula, que transcende suas limitações. O aluno pode apresentar alguma solução, algum software, e isso pode ajudar a sala a desenvolver um projeto. Com a plataforma, essa troca de informação é mais natural e pela própria plataforma eles conseguem usar e trocar informação”, finaliza Luis Roberto Macedo Coimbra, diretor de Arquitetura de Sistema da Kroton. 

Comments are closed