Estudo mostra tendências de longo prazo dos consumidores até 2030 e o impacto da pandemia

Estudo mostra tendências de longo prazo dos consumidores até 2030 e o impacto da pandemia

A dentsu acaba de lançar o estudo ‘The Age of Inclusive Intelligence’ (“A Era da Inteligência Inclusiva”), que traça as tendências de consumo a longo prazo que irão moldar a próxima década. A pesquisa mostra como a pandemia acelerou muitas das tendências de longo prazo encaradas pelas marcas, com base em entrevistas em profundidade com futuristas, acadêmicos, autores e especialistas de renome mundial, juntamente com múltiplas pesquisas de consumo proprietárias. Acesse aqui.

Saúde e bem-estar é um tema chave em todo o relatório, com muitos consumidores relatando o desejo de utilizar a tecnologia para se manterem saudáveis no futuro. Mais da metade dos consumidores dos EUA relatam que inseririam um microchip em seu cérebro a fim de prolongar sua expectativa de vida. Além disso, enquanto os formuladores de políticas avaliam as consequências psicológicas da pandemia, um terço dos consumidores diz que até 2030 se submeteriam a uma cirurgia não essencial para melhorar sua saúde mental.

Sobre a mudança climática, 77% dos consumidores britânicos dizem que a COVID-19 os tornou mais conscientes dos danos causados ao meio ambiente pelas viagens globais. A longo prazo, isto está fomentando um maior ativismo do consumidor com decisões de compra cada vez mais baseadas em questões sociais. Dois terços dos consumidores do Reino Unido dizem que até 2030 não comprarão bens que sabem ter um impacto negativo sobre o meio ambiente.

Da mesma forma, com mais pessoas ficando em casa durante o lockdown, a crescente popularidade do eSports e dos jogos on-line se acelerou. Como a conscientização global sobre eSports deve atingir dois bilhões até 2021, a maneira como encaramos o esporte em geral continuará a evoluir, com os esportes e atividades do “mundo real” sendo forçados a inovar para acompanhar o ritmo.

Além disso, como os varejistas on-line crescem em tamanho e escopo – alimentados pelo crescimento do comércio eletrônico durante a pandemia – muitas marcas se verão lutando pela visibilidade. A pesquisa revela que quase metade (46%) dos consumidores chineses já ficariam felizes em utilizar apenas uma única empresa para todas as suas necessidades de estilo de vida.

Cada uma das tendências destacadas no relatório traz implicações específicas para as marcas. Mas em quase todas está o conceito de “inteligência inclusiva” – a capacidade de incorporar novas visões, valores e comportamentos em sua proposta de valor contra um pano de fundo de desigualdade e complexidade ética cada vez maiores.

Sobre o lançamento do relatório, Wendy Clark, Global CEO, dentsu international disse: “O que é muito claro do ano passado e as descobertas da dentsu consumer vision 2030 é que os líderes empresariais devem se preparar para um cenário de consumo muito diferente. Um que está evoluindo continuamente por meio da inovação em tecnologia, saúde e bem-estar, ativismo e mudança climática. As marcas líderes usarão essas informações e inteligência inclusiva para construir experiências e relacionamentos centrados no ser humano para atender a essas expectativas dos consumidores.”

“Temos acompanhado por nossas pesquisas periódicas como Digital Society Index, CMO Survey, e agora com a dentsu consumer vision 2030, que o consumidor evidencia, em sua cada vez mais estreita e indissolúvel relação com a tecnologia, o que a sociedade e negócios estão se tornando. Com isso nos organizamos para apoiar nossos parceiros a antecipar e acompanhar as mudanças, que exigem transformação na comunicação e em negócios, visando resultados positivos que se estendam para além da sustentabilidade desses segmentos, mas de toda a sociedade e planeta”, complementa Eduardo Bicudo, CEO dentsu International Brasil .

Comments are closed