SAP e Social Lab anunciam a startup brasileira Safe Drinking Water For All (SDW) como vencedora da edição 2020 da Social Innomarathon

SAP e Social Lab anunciam a startup brasileira Safe Drinking Water For All (SDW) como vencedora da edição 2020 da Social Innomarathon

A startup brasileira Safe Drinking Water For All (SDW), que tem como objetivo promover a democratização do acesso à água potável e ao saneamento básico em comunidades carentes por meio de soluções inovadoras, foi a vencedora da quinta edição da Social Innomarathon, competição regional organizada pela SAP em parceria com o Social Lab para promover o empreendedorismo com impacto social na América Latina, por meio de modelos de negócios B2B sustentáveis nos quais a tecnologia tem papel de destaque. O anúncio foi feito nesta quinta-feira (21) em webinar realizado pela companhia para discutir o impacto da tecnologia nas pautas ESG (ambiental, social e governança, na sigla em inglês).

Paulo Mendes, Chief Financial Officer (CFO) da SAP, ressalta a importância de uma discussão mais ampla sobre as pautas ESG no atual cenário de negócios. “As mudanças sociais que estamos vivendo trazem novos paradigmas. A área financeira, por exemplo, olha para os números mas também para as melhores práticas sociais, ambientais e de governança”, comentou. “A SAP acredita no potencial da tecnologia para alavancar o impacto de iniciativas como a da Safe Drinking Water For All. Ficamos orgulhosos de saber que fazemos parte da história e contribuímos para acelerar um negócio de impacto social que pode impactar a vida de tantas famílias”, completou.

Com moderação de Sonia Favaretto, SGD Pioneer pelo Pacto Global da ONU e especialista em Sustentabilidade, o webinar também discutiu a sustentabilidade sob o ponto de vista de viagens corporativas. De acordo com pesquisa realizada pela Oxford Economics a pedido de SAP Concur, 80% de quem viaja a negócios estaria mais disposto a trabalhar para uma empresa que integra a sustentabilidade em sua política corporativa. “A tecnologia é uma grande aliada das empresas que estão atualizando seus protocolos internos para atender as demandas verificadas nos últimos meses e se preparar para um novo cenário social e ambientalmente responsável”, comenta Valéria Soska, vice-presidente do SAP Concur na América Latina.

Social Innomarathon

A Social Innomarathon recebeu, nesta edição, 400 inscrições de mais de 19 países da região. Oito finalistas foram selecionados para participar de um programa de capacitação de seis semanas para fortalecer seus projetos. A SDW foi escolhida pelo júri da SAP e do Social Lab pelo grande potencial de impacto social, em consonância com alguns dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, em particular, Objetivo 6, “Água limpa e saneamento”. A startup, reconhecida pela ONU, desenvolveu o Aqualuz, um dispositivo para tornar a água potável acessível de tanques usando radiação solar baseada na tecnologia SODIS (“desinfecção solar de água”). A solução possui diferenciais como facilidade de uso, manutenção prática e vida útil estimada em 20 anos.

“Durante a Social Innomarathon, mais de 200 pessoas foram beneficiadas com nosso projeto, adicionamos um novo Estado à lista e geramos contatos internacionais para expandir internacionalmente. Ficamos felizes com a orientação e o reconhecimento que recebemos”, afirma Anna Luísa Beserra Santos, fundadora e CEO da SDW. A startup alcança mais de 400 famílias em três estados do Brasil.

Como vencedora da Social Innomarathon, a SDW vai receber um prêmio de US$ 5 mil para investir no empreendimento, três meses de suporte personalizado do Social Lab e um ano de suporte virtual liderado por Matheus Souza, head de inovação do SAP Labs. Outro benefício é o acesso ao ecossistema de clientes e parceiros da SAP que podem contribuir para acelerar o projeto quando houver sincronia, por exemplo, entre os objetivos de ESG das empresas e a SDW.

A final com as equipes vencedoras de cada país foi realizada virtualmente. Os outros finalistas deste ano foram Caecuslab (Argentina), 7Waves (Brasil), Tu Consejería (Guatemala), ArDown (México), Lavadero Arcoiris 21 (Uruguai), KitSmile (Colômbia) e Banco del Estudiante (Peru).

Nas edições anteriores, os projetos vencedores foram:

·         EJR (2016,Brasil): projeto de robótica educacional que continha uma metodologia para ensinar crianças e adolescente a programar e influencia-los a contruir suas carreiras nas áreas de STEAM

·         Bikelite (2017, Chile): Uma solução para ciclistas que utiliza a tecnologia GPS para criar rotas seguras que evitam o risco de acidentes e situações como furto ou ruas danificadas.

·         Ecolones (2018, Costa Rica): Uma rede de pessoas que reciclam e trocam lixo por cripto-moeda para uso em lojas.

·         Nilus (2019, Argentina): Uma plataforma que conecta empresas de alimentos com cozinhas sociais para prevenir o desperdício de alimentos.

Comments are closed