Óculos inteligentes com reconhecimento facial detectam casos de febre

Óculos inteligentes com reconhecimento facial detectam casos de febre

Os óculos inteligentes já são realidade. Com foco na segurança, o Dyno Glass combina recursos como Reconhecimento Facial, Leitura de Placas de Veículos (LPR) e Aferição Térmica, para atuar em diferentes cenários. Com a flexibilização de atividades presenciais em diversas regiões do país em meio à pandemia, a tecnologia se destaca por identificar casos de febre.

Com os óculos, é possível aferir a temperatura a uma distância de 2 metros – reduzindo o risco de transmissão através de contato físico próximo. O Dyno Glass identifica até 10 pessoas por segundo e realiza a medição através do Reconhecimento Facial com Sensor de Infravermelho. As informações são projetadas na lente em tempo real e as imagens podem ser compartilhadas.

Diferente das câmeras de videomonitoramento, o Dyno Glass permite a mobilidade do usuário e é ideal para reforçar a segurança em aeroportos, parques, empresas, indústrias e até mesmo em escolas para assegurar que casos febris sejam identificados rapidamente.

Se o foco for a segurança, o reconhecimento facial da solução pode processar até 300 mil dados faciais no modo off-line. No 4G, o Dyno Glass se conecta ao banco de dados para identificar suspeitos ou pessoas com acesso proibido em eventos públicos, praças, estádios, entre outros cenários críticos.

Para estacionamentos de todos os tipos, a função LPR realiza a análise de placas de veículos a partir de vários ângulos e com um tempo de resposta inferior a 0,2 segundos. Assim, a equipe de segurança pode realizar o trabalho de inspeção sem aproximação, evitando o contato direto com os ocupantes do veículo.

O Dyno Glass conta com bateria de até 8 horas e foi projetado com material de liga de Magnésio e Alumínio utilizado na aviação.  O design ergonômico garante o conforto ao longo do dia e a lente externa removível pode ser trocada por uma lente corretiva com grau, para se adaptar ao operador de segurança.

Comments are closed