IDC Brasil: mercado de impressoras registra queda de 4,8% no terceiro trimestre de 2020

IDC Brasil: mercado de impressoras registra queda de 4,8% no terceiro trimestre de 2020

No terceiro trimestre de 2020 foram comercializadas 562.823 impressoras, uma queda de 4,8% na comparação com o mesmo período do ano passado, segundo o estudo IDC Brazil Quarterly Hardcopy Tracker Q32020, da IDC, líder em inteligência de mercado, serviços de consultoria e conferências com as indústrias de Tecnologia da Informação e Telecomunicações. No período, as vendas dos modelos com cartucho ou tanque de tinta cresceram 5,7%, com 472.946 unidades, enquanto os modelos à laser tiveram baixa de 38%, com 88.216.

“O resultado é reflexo do home office, que diminuiu a necessidade de impressão nas empresas, enquanto em casa, o consumidor comprou impressoras para continuar trabalhando ou estudando”, afirma Rodrigo Okayama Pereira, analista de mercado da IDC Brasil. A pandemia também provocou a falta de produtos, o que, somado às incertezas sobre o futuro em relação à crise sanitária e econômica, postergou os planos de renovação de contratos corporativos nesses meses, comuns no calendário do mercado de impressão.

Na comparação com o mesmo período do ano passado, o varejo registrou alta de 2,3% com a venda de 369.115 unidades, enquanto o corporativo reduziu as compras em 15,8%, com 193.708 impressoras.

De acordo com o analista da IDC, se não fosse a pandemia o segmento de equipamentos à laser teria resultado positivo por conta dos projetos nas empresas.

O preço médio no terceiro trimestre de 2020 foi de US$ 185 para as impressoras de tinta, alta de 7,8%, e US$ 526 para os modelos a laser, baixa de 20,2% em relação ao mesmo período do ano passado.

A IDC espera que o quarto trimestre seja melhor do que o terceiro, com alta de 22,2% na comparação entre os dois períodos. A previsão é que as vendas dos modelos à tinta cresçam 12% e puxem o mercado para cima e, na comparação com o mesmo período do ano passado, o mercado registre alta de 5,4%. “As empresas devem retomar aos poucos seus projetos e encomendar novos equipamentos. Oportunidade para o segmento à laser“, afirma Rodrigo. Educação, assim como para PCs e tablets, deve demandar mais deste setor.

Comments are closed