A era da autonomia: como a forma de trabalhar mudará ainda mais em 2021

A era da autonomia: como a forma de trabalhar mudará ainda mais em 2021

Por Robson Campos, diretor de Produtos RH da TOTVS

Não é preciso repetir que o ano de 2020 trouxe mudanças profundas ao nosso comportamento e fez com que reinventássemos a forma como trabalhamos. Com tudo que vivemos, dificilmente iremos classificar o que virá a seguir como “totalmente atípico”. Ainda que ninguém saiba exatamente o que devemos esperar do próximo ano, alguns caminhos já estão sendo trilhados, baseados nos cenários que 2020 nos apresentou.

Uma das grandes evoluções para 2021 é a relação de confiança entre líder e colaborador, que foi totalmente revista e deixou de ser item essencial desde que a presença física no trabalho reduziu consideravelmente sua importância. E, por sorte, vimos que na maioria dos casos a confiança realmente cresceu, com inúmeros relatos de aumento de engajamento no trabalho remoto. Levando isso em consideração, acredito fortemente que estamos entrando numa nova era do trabalho que mudará para sempre a rotina de todos: a era da autonomia.

A entrada dessa nova era só é possível porque existem soluções tecnológicas que permitem uma autonomia em uma infinidade de processos, que não são apenas presentes na gestão das atividades diárias de cada trabalhador, mas em todo o processo que envolve a cadeia profissional. Por isso, listo abaixo as cinco principais formas às quais a tecnologia vai contribuir para o aumento da autonomia em 2021:

1) Participações em processos seletivos automatizados e mais inteligentes: autonomia também é a palavra mais adequada quando pensamos na tendência das aplicabilidades da tecnologia para a captação de talentos. Com uso de Inteligência Artificial, por exemplo, é possível que o recrutador identifique uma variedade de combinações que mostrem qual é o profissional adequado para cada posição da empresa. Processos seletivos mais inteligentes também são um ganho para o profissional que, por sua vez, pode usar a tecnologia para encontrar (e ser encontrado, claro) para a vaga que melhor lhe atenda, de acordo com suas competências e até mesmo fit com a cultura da organização.

2) Admissão digital: se deslocar até a empresa apenas para levar documentos dos processos de admissão é algo que, depois de 2020, ficará para trás. Já existem soluções que permitem que os colaboradores recém-contratados tenham autonomia para enviar suas documentações para a empresa de forma totalmente digital. Com uso de OCR (Reconhecimento Ótico de Caracteres), as informações dos documentos são digitalizadas e enviadas diretamente para o departamento de RH, evitando a digitação manual dos dados nos sistemas e a locomoção do novo colaborador até a empresa. É algo simples e que será indispensável a partir do próximo ano.

3) Autogestão do trabalho remoto: a realidade do trabalho remoto imposta abruptamente durante o período de isolamento social nos trouxe a necessidade da criação de uma nova rotina repleta de adaptações tecnológicas para garantir o funcionamento das empresas. Em 2021, a tendência é de uma evolução para modelos de trabalho mais flexíveis. Com isso, veremos cada vez mais os departamentos de RH implantando soluções como ponto eletrônico por reconhecimento facial e geolocalização, por exemplo. Além disso, já estamos vivenciando controles de produtividade e da área de folha de pagamento sendo feitos completamente de forma remota. A tendência é termos processos cada vez menos burocráticos e, por consequência, mais ágeis.

4) Avaliações de desempenho e gestão de metas: avaliar o desempenho de um colaborador de forma remota pode ser um desafio. Contudo, as empresas podem contar com soluções de tecnologia para avaliar o resultado individual de cada colaborador . Com isso, é possível avaliar a aderência aos comportamentos e competências desejados pela empresa e compará-los à entrega dos resultados de cada colaborador. Estas soluções também possibilitam identificar facilmente os talentos da empresa e aqueles profissionais que precisam de mais apoio para se desenvolver, além de ajudar a traçar planos de desenvolvimento individuais, que trabalham o autoconhecimento e ajudam o indivíduo a encontrar o seu propósito e bem estar.

5) Soluções de autodesenvolvimento profissional: investir em si mesmo nunca foi tão importante. Para os colaboradores que estão trabalhando remotamente ou de forma híbrida (parte presencial e parte a distância) isso se tornou essencial. Passamos a contar com mais treinamentos de pessoal sendo realizados de forma online. Mas a minha previsão é que, para o futuro próximo, ganhando tração em 2021, tão importante quanto a capacidade técnica (hard skills) será a sua capacidade de relacionamento humano, conhecido como soft skills ou human skills, como as mais recentes tendências preferem chamar. Hoje, já existem ferramentas que as empresas podem oferecer aos seus colaboradores para que eles desenvolvam esse tipo de habilidades de maneira autônoma, oferecendo um acervo que inclui curadoria de conteúdos que ajudam a direcionar as pessoas no mapeamento de como ela é percebida na empresa, assim como definir as formas como ela deseja ser reconhecida dentro da organização.

O ano de 2021 ainda é algo imprevisível, mas aprendemos lições em 2020 que vieram para ficar. Não podemos mais ser pegos de surpresa. Portanto, a hora é de se preparar para o que está por vir e ter em mente que a autonomia é algo a ser priorizado pelas companhias. É preciso sim ser otimista, mas estar tecnologicamente preparado é a chave para progredir.

Comments are closed