INPI cria escritórios regionais em centros de pesquisa (Unidades EMBRAPII) de inovação industrial

INPI cria escritórios regionais em centros de pesquisa (Unidades EMBRAPII) de inovação industrial

O Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI) instalou novos centros de Propriedade Industrial, Negócios e Inovação em sete Unidades EMBRAPII, centros de pesquisas credenciados pela Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (EMBRAPII) para inovar com a Indústria. A intenção é permitir o uso mais eficiente do sistema de propriedade intelectual e, consequentemente, a geração de patentes industriais. No último ano, houve crescimento de 25% nos pedidos de Propriedade Intelectual (PI) pelas Unidades EMBRAPII.

A instalação dos polos regionais é resultado do primeiro ano do acordo entre as instituições. Essa e outras iniciativas do acordo serão divulgadas em cerimônia no Ministério da Economia, nesta quinta-feira (26).

O diretor de Planejamento e Relações Institucionais da EMBRAPII, José Luis Gordon, destaca que a proximidade vai gerar maior sinergia entre os pesquisadores em relação às ferramentas de proteção, gestão e exploração financeira das patentes. “A parceria vai proporcionar maior rapidez e agilidade na geração de patentes às empresas. A estratégia contribuiu para que o país aumente o número de volume de PI, algo que o Brasil precisa evoluir: se comparado ao tamanho de sua economia, a quantidade de patentes é desproporcionalmente modesta”, diz.

Segundo Felipe Oliveira, coordenador-geral de Disseminação para Inovação do INPI, o instituto tem apostado na inserção nos principais clusters de inovação. A estratégia consiste em oferecer suporte técnico para o desenvolvimento de negócios e promover uso eficaz de sistema de PI. “O caso da EMBRAPII é emblemático. A gente observa um potencial muito grande para geração de ativos econômicos. Diferentemente de outros ecossistemas, há uma demanda de mercado muita clara na EMBRAPII: os projetos de inovação atendem a necessidades do setor empresarial. São realmente inovações, que se tornarão novos produtos e processos industriais, que trarão benefícios sociais e econômicos ao Brasil”, destaca.

A instalação de centros regionais nas Unidades EMBRAPII é resultado do primeiro ano da parceria entre a Embrapii e o INPI. As contempladas são: Instituto Federal do Ceará (IF CE), em Fortaleza; Senai Cimatec, em Salvador (BA), Instituto Senai de Inovação em Metalurgia e Ligas Especiais, em Belo Horizonte (MG), o Centro de Excelência em Inteligência Artificial da Universidade Federal de Goiás (CEIA/UFG), em Goiânia e o Instituto Federal do Espírito Santo (IF ES), em Vitória.

Outros resultados alcançados com a parceria foi o desenvolvimento do estudo “Clusters de Inovação em Saúde no Brasil”, que colaborou para a contratação de 15 projetos aplicados na área da saúde, totalizando mais de R﹩ 7,2 milhões em investimento em P, D&I. Além disso, também foi implementada a expansão do programa de Telementoria em PI. O curso se inicia no dia 30 de novembro e deve atender 70 profissionais de 32 Unidades EMBRAPII.

Comments are closed