7 maneiras de reduzir falhas na construção de um negócio

7 maneiras de reduzir falhas na construção de um negócio

Empreender no Brasil é, naturalmente, andar por um solo escorregadio. Segundo dados do IBGE, mais de 22 mil empresas fecharam as portas em 2017. E, desde o início da pandemia, foram, em média, 716 mil negócios fechados. Um dos grandes desafios dos empreendedores é entender que não basta ter uma ideia inovadora, é preciso criar uma operação sustentável, se planejar e fazer uma boa gestão.

Ivan Marques, MBA em Transformação Digital e Futuro dos Negócios pela PUC-RS e co-founder da Sevensete, Venture Builder que auxilia empreendedores a construírem, executarem e transformarem suas ideias, destaca que todo negócio possui uma vida ativa em curso e precisa ser acompanhado dia após dia. “Infelizmente, no empreendedorismo, nunca vai existir aquela sensação de “missão cumprida”. A cada dia há uma nova missão para as empresas que querem crescer ou até sobreviver ao longo do tempo, por isso, é preciso estar atento ao que acontece no mercado”, reforça Ivan.
De acordo com o especialista, existem 7 maneiras simples para reduzir as falhas na iniciação de uma empresa, entre elas:

1. Ter uma definição clara de qual problema você está resolvendo
A chance de sucesso aumenta significativamente para negócios que descobrem a real “dor” do seu cliente, aquilo que de fato ele quer ou precisa. “Os empreendedores que conhecem o problema que estão resolvendo são muito mais autênticos e ágeis em acompanhar tendências e descobrir novas oportunidades”, afirma Marques.

2. Desenvolver uma solução (escalável) que resolva esse problema
A maioria das ideias inovadoras acaba morrendo quando a solução proposta não resolve o problema. Ela, muitas vezes, pode ser simples, mas isso não garante o sucesso se não tiver demanda. Por isso, o sócio da Venture Builder ressalta que bons empreendedores costumam criar protótipos simplificados para testar a eficácia e as resposta dos clientes para depois ir construindo o que falta.

“Nem sempre um produto muito bom gera um retorno que seja suficiente para manter o crescimento do negócio. Apostar em produtos que possam ser comercializados e distribuídos facilmente, ou seja, que têm poder de escala, pode gerar altos ganhos a curto prazo”, reforça Ivan.

3. Criar um bom planejamento
Entender qual é o problema que está propondo resolver e achar uma solução que de fato resolva esse problema, é apenas o primeiro passo. Mas, nada acontece bem sem um planejamento mínimo. Planejar a execução significa estudar cenários, criar caminhos possíveis, descobrir alternativas para antecipar os prováveis problemas que possam surgir, reduzir as falhas e economizar nos custos desnecessários com os quais nos deparamos em diversos momentos. “Quem nunca pensou “ah, mas se eu tivesse visto isso antes, seria diferente…”, não sabe o valor e a importância de um planejamento”, comenta o executivo.

4. Estruturar a monetização
O modelo de receita costuma ser o coração de todo negócio. A forma como a empresa ganha dinheiro tem um impacto direto em todas as demais linhas. Por isso, gerar altos ganhos, que dependem de altos custos, nem sempre é vantajoso.. O especialista ressalta que é preciso calibrar a margem, diminuir as despesas e gerar receita recorrente de forma simplificada.

5. Entender como o cliente vê seu negócio
Um cliente bem atendido e satisfeito é um cliente fiel. Se ele ainda paga pelo seu produto ou solução, significa que você está no caminho certo. “O cliente é, e sempre será, o maior objetivo de todo empreendimento. Ele pode ser usado como um termômetro constante. Por isso, se em algum momento houver insatisfação, é melhor voltar para o início e reestruturar algo, ou seja, entender qual o problema, qual a solução ideal, etc” explica, Ivan.

6. Pesquisar o tamanho do mercado
Descobrir um problema e criar uma solução nem sempre trarão o sucesso esperado. Quando a oportunidade do mercado é muito limitada, não significa que o negócio é ruim, mas que existem poucas pessoas que precisam ou querem comprar, diminuindo a escalabilidade. Além disso, o setor pode ser imenso, mas se houver muitos concorrentes atuando, voltamos ao cenário limitado. Entender o mercado é essencial para ser bem sucedido.

7. Escolher bem quem faz parte do time
Talvez esse seja um dos maiores desafios de todo negócio: as pessoas. Por mais tecnológica que seja, toda empresa precisa de pessoas. Encontrar um time que tenha aderência com a cultura, possua as habilidades necessárias e que aceitem o desafio proposto às vezes pode ser muito caro, mas faz toda a diferença na trilha do sucesso.Abrir um negócio e empreender não é uma tarefa simples, mas, mesmo com os desafios, não existe receita pronta. É preciso estar atento e se aperfeiçoar todos os dias”, conta o sócio da Sevensete.

Comments are closed