Novo hub quer colocar o Brasil na liderança da inovação em turismo

Vislumbrando o potencial brasileiro para se tornar um dos líderes mundiais em inovação em turismo, o Wakalua,  primeiro hub global de inovação para o turismo, passou a apostar no país para levar seus programas de inovação tanto para iniciativas públicas quanto privadas. O primeiro passo foi identificar e mapear projetos de inovação ligados ao turismo no Brasil, a partir de um diagnóstico realizado até março de 2020. Na época, foram identificadas 101 startups brasileiras voltadas para o turismo, com 2.950 pessoas trabalhando nesses negócios e US$278 milhões investidos. 

Criado em 2018 e com sede em Madri, na Espanha, o Wakalua foi criado pela Globalia, um dos maiores grupos de turismo da Espanha e América Latina, com um faturamento de € 5 bilhões ao ano. A iniciativa é feita em parceria com a  Organização Mundial do Turismo (OMT), agência especializada das Nações Unidas dedicada ao setor. 

“Essa ideia nasce da necessidade de criar um plano de inovação global, que transforme não só o grupo Globalia, mas que dê apoio para a transformação digital do segmento. A partir da junção de grandes grupos, governos e atores da indústria, vamos encontrar as melhores soluções em tecnologia, provocando um equilíbrio de forças entre as grandes corporações tecnológicas e negócios locais. O nosso objetivo é democratizar o acesso de negócios menores e tradicionais para a transformação do setor”, destaca Lisandro Menu-Marque, diretor-geral do Wakalua.

Brasil como potência digital de turismo

Segundo dados do Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC), o turismo é responsável por 1 a cada 10 empregos em todo o mundo, com altas taxas de crescimento nas últimas décadas. Contudo, é um dos setores mais impactados pela pandemia e precisa se recuperar sobre novas bases, com empregos de maior valor agregado, beneficiando-se do avanço da tecnologia.

A partir da democratização e do fomento à tecnologia que hoje já é desenvolvida pelos players nacionais, o Wakalua pretende auxiliar o Brasil a se converter numa potência digital de turismo. Apesar de ser um destino conhecido internacionalmente, o Brasil ainda registra uma baixa penetração de turismo estrangeiro: estima-se que em 2019 aproximadamente 6,9 milhões de turistas estrangeiros visitaram o país, de acordo com dados da OMT. A digitalização do produto brasileiro vai permitir a concorrência com a oferta mundial, traçando novos patamares de desenvolvimento. 


Em paralelo, o Wakalua está realizando o 1º Desafio Brasileiro de Inovação em Turismo, em parceria com o Ministério do Turismo e ao OMT. Foram recebidas 790 inscrições de 25 unidades da federação. Os 10 melhores projetos brasileiros seguem para as semifinais da terceira edição da UNWTO Tourism Startup Competition, desafio global promovido pela OMT em parceria com o Wakalua. Mais de 5 mil projetos de todo o mundo foram acolhidos nas duas edições anteriores da competição internacional.  

Adicionar aos favoritos o permalink.

Os comentários estão encerrados.