Economia circular já é uma tendência na cadeia de rótulos e adesivos

A população global está crescendo de forma acelerada e, de acordo com estudos, chegaremos a 10 bilhões de pessoas em todo o mundo, em 2050. Isso significa um aumento no consumo, mais produção nas indústrias e, consequentemente, a exploração de recursos naturais e escassez de matéria-prima, além de maior descarte de lixo. Por isso, é tão necessário pensar agora em soluções que permitam otimizar os processos, para conciliar o aumento da produtividade com a diminuição dos impactos ambientais, utilizando esses recursos de forma mais eficiente.

Essa tem sido uma grande preocupação das indústrias, que passaram a desenvolver métodos para a Economia Circular, com a reciclagem de materiais que são utilizados como matéria-prima para novos produtos, resultando em redução, recuperação e reutilização de insumos. Isso significa que nada se perde, tudo se transforma, permitindo um equilíbrio perfeito e reduzindo o descarte.

Em empresas como a Avery Dennison isso já está em andamento. A companhia desenvolveu em sua unidade nacional o Programa Circular. Por meio desse projeto, por exemplo, a empresa transforma seus resíduos de liner papel em polpa celulósica, que é usada como matéria-prima para a produção de papel-toalha utilizado em sua planta no Brasil.

No contexto da indústria de autoadesivos, grande parcela dos materiais para rótulos e etiquetas contribui para o fluxo de resíduos. “Depois que saem das fábricas, globalmente, mais de 1 milhão de toneladas de material autoadesivo é descartado. O planeta não pode pagar por isso e nós também não”, enfatiza Alexandre Botelho, diretor de Compras da Avery Dennison. O executivo explica que, nas operações internas, cerca de 88% dos resíduos gerados são destinados para reciclagem e não vão para aterro sanitário. “O desafio é encontrar parceiros interessados em viabilizar os descartes gerados pelos nossos clientes na conversão dos rótulos (esqueletos) e pelos consumidores finais, no momento da rotulagem final (liner papel e PET).”

Elo da cadeia


Botelho revela, ainda, que uma das prioridades globais da companhia é ajudar a reduzir os resíduos em toda a cadeia. “A reciclagem de liners e esqueletos tem sido um desafio para a indústria de rotulagem. O que está faltando não é a vontade, mas sim a conexão entre os diversos integrantes da cadeia, para triagem, transporte e busca por medidas. Estamos em contato com recicladores, fabricantes de papel e plástico nas cinco regiões do mundo em que operamos, para encontrar soluções para os resíduos de liner Glassine, PET e esqueleto filme para transformação em novos produtos.”

Atualmente, a Avery Dennison e os participantes do programa direcionam aproximadamente 10% de resíduos para reciclagem e a meta para 2020 é chegar a 13%. “Nosso papel é tentar engajar todos os elos da cadeia, incluindo fornecedores, recicladores, convertedores e brand owners. Desde o início do projeto, em 2019, já tivemos muitos avanços, mas ainda há muito a ser feito”, destaca Botelho.

Soluções que agregam valor


Buscar por processos e produtos sustentáveis não significa abrir mão do valor à marca. Hoje, com os diversos recursos tecnológicos e materiais disponíveis, as empresas podem encantar as pessoas com embalagens atraentes e que transmitem sua identidade, se destacando em meio aos concorrentes e apresentando soluções que reduzem o impacto ambiental.


Os rótulos e adesivos se sobressaem por sua grande versatilidade e pelas inúmeras possibilidades de acabamentos e recursos gráficos que oferecem aos brand owners. Além de serem fortes aliados das marcas para criar embalagens que se destaquem nas prateleiras, são altamente eficientes no processo de rotulagem e viabilizam ganhos significativos nas linhas de produção.

A especificação correta, garantindo a adoção do material adequado para cada tipo de embalagem e evitando o desperdício de recursos, e a escolha dos insumos para produção dos rótulos são algumas iniciativas para se chegar a um menor impacto ambiental. Nesse sentido, a Avery Dennison trabalha em duas frentes: na busca por suprimentos oriundos de fontes responsáveis, como biopolímeros, materiais biodegradáveis e compostáveis, e papéis com certificação de manejo florestal; e na análise da cadeia de soluções sustentáveis, como a reciclagem, procurando incorporar resíduos recuperados em suas estruturas e oferecendo itens em seu portfólio, que possibilitam ou melhoram a reciclagem das embalagens, depois do seu descarte.

Setembro sustentável


Para a Avery Dennison, a sustentabilidade está inserida em todas as áreas. Desde a compra responsável até o portfólio de produtos, passando por processos internos, como a redução da emissão de gases de efeito estufa, e ações que incentivam a cadeia como um todo. “Acreditamos que é essencial disseminar a importância de práticas sustentáveis por todas as áreas da empresa, para que todos possam contribuir em conjunto”, afirma Botelho.

Uma das iniciativas da companhia é o “Setembro Sustentável”, mês dedicado às atividades relacionadas à conscientização sobre o tema, para incentivar o engajamento de colaboradores e parceiros, dentro e fora da empresa.

Reconhecimento global


A Avery Dennison é reconhecida mundialmente pelo desenvolvimento de ações em sustentabilidade. Em 2018, foi destaque na lista inaugural das 100 empresas mais sustentáveis da Barron’s e, em 2019, recebeu o prêmio Innovations in Sustainability (Inovação em Sustentabilidade) pelo “Programa de Aquisição Sustentável”, em parceria com a EcoVadis, que avalia, monitora e incentiva a melhoria das práticas sociais e ambientais dos fornecedores da empresa em todo o mundo. Esse mesmo programa recebeu o prêmio de Sustentabilidade 2018, durante a cerimônia do “Label Industry Global Awards”, realizada na LabelExpo 2018, a mais importante feira da indústria de materiais para rótulos e embalagens, que acontece nos Estados Unidos. Em 2020, a empresa subiu da posição 71 para a posição número 20, no ranking Barron’s.

Marcado , .Adicionar aos favoritos o permalink.

Os comentários estão encerrados.