Digisystem reforça infraestrutura de tecnologia investindo em nuvem híbrida da IBM

A Digisystem, companhia brasileira fornecedora de soluções de negócios baseadas em tecnologias avançadas que ajudam as empresas a passarem pela jornada da transformação digital, acaba de migrar os dados da maior parte das áreas da empresa para a nuvem da IBM. O projeto, realizado em maio deste ano, foi concluído em três semanas e proporcionou a Digisystem ganho de performance, criação de ambiente com maiores redundâncias, maior flexibilidade nas versões de sistema operacional e no tamanho dos servidores. Além disso, a migração resultou em uma redução de custos anual de cerca de R$ 600 mil reais, decorrente da eliminação da variação cambial do valor mensal, uma vez que o pagamento passou a ser realizado no Brasil, excluindo a necessidade de recolhimento dos impostos de importação de serviços. A migração impactou aproximadamente 900 usuários da Digisystem e mais de três mil usuários clientes.

De acordo com o Diretor de infraestrutura e Cyber Risk da Digisystem, Wagner Hiendlmayer, questões como melhoria na segurança para infraestrutura no ambiente cloud, custos altos com o concorrente e suporte nacional foram as principais motivações para a migração. “Além do impacto financeiro, tínhamos questões críticas em relação à flexibilidade das soluções de segurança que poderíamos disponibilizar em nuvem”, explica o executivo. Outro fator importante que influenciou a decisão foi a escolha de um ambiente híbrido, com soluções dentro da plataforma cloud e outras servidores baremetal com virtualização, topologia que não era possível na infraestrutura anterior.

Autonomia e segurança

Para Hiendlmayer um dos principais benefícios da nuvem da IBM é a questão da flexibilidade em relação às plataformas que são disponibilizadas aos clientes. “Além da solução em nuvem, é possível que sejam fornecidos componentes computacionais em infraestrutura de virtualização – como PowerVM IBM, VMWare ou Hyper-V – ou ainda a possibilidade de utilização de Power Systems IBM com processadores da linha Power9 em AIX, Linux ou RedHat OpenShift”, esclarece. O especialista pontua ainda que esses benefícios influenciam no negócio das empresas não apenas em questões financeiras com redução de custo, mas também no que tange o suporte para que a equipe interna seja melhor atendida, melhorando consequentemente o foco do negócio.

Hiendlmayer explica que a maneira como o ambiente foi construído possibilitou a criação de redundâncias em todos os ambientes, removendo os pontos únicos de falha, e implementando soluções de segurança da informação no ambiente de virtualização, que não seriam possíveis de serem lançadas em um ambiente cloud convencional. “Esta nova infraestrutura híbrida proporcionou maior controle sobre o ambiente para a Digisystem. Desta forma, ganhamos mais autonomia para implementação dos ambientes”, finaliza. Após a migração, foi possível criar na Digisystem um ambiente de Disaster Recovery (Recuperação de desastre, ou Recuperação de Sistemas) e de alta disponibilidade.

Adicionar aos favoritos o permalink.

Os comentários estão encerrados.