Como fica o trabalho remoto com a retomada das contratações?

A pandemia da Covid-19 teve um enorme impacto em nossas vidas profissionais e novos dados do LinkedIn, a maior rede profissional do mundo, mostram que o novo padrão de trabalho remoto pode ter vindo para ficar, num momento em que a curva de contratações no Brasil dá sinais de estabilidade.

O LinkedIn constatou que a busca por trabalho remoto aumentou 60% em todo o mundo desde março. No Brasil, as visualizações das vagas de trabalho remotas são 1,67 vezes maiores em comparação ao período anterior ao isolamento. O levantamento também mostra que as empresas deveriam repensar suas formas de trabalho, como manter a indicação das formas de cumprimento da jornada de trabalho (o famoso horário comercial, das 9h às 18h), já que as vagas na para o trabalho remoto, com flexibilidade de horário, são 4,92 vezes maiores – um aumento de 392% desde meados de março deste ano.

Essa mudança no perfil de busca por trabalho vem acompanhada de um momento de estabilidade na taxa de contratação registrada pela Plataforma. O LinkedIn analisa esse movimento globalmente. No Brasil, a análise mostra o desempenho das contratações entre 12 de fevereiro e 17 de junho deste ano. Globalmente, as contratações apresentam estabilidade e até mesmo recuperação em alguns países, como China e Cingapura, nas últimas 6 semanas em comparação às quedas registradas entre março e abril. A análise mostra que países como Austrália, Estados Unidos, Reino Unido e Brasil as taxas de contratação estão estáveis e mostram otimismo desde o início de junho.

O Brasil pode ver sinais positivos no mercado de trabalho já que algumas empresas estão se preparando para uma volta gradual de seus negócios. Essa tendência pode ser também motivada pelo relaxamento das medidas de isolamento do comércio e da quarentena, mas que só poderá ser confirmada ao longo das próximas semanas, uma vez que ainda há uma grande variação nas determinações de abertura impostas por diferentes Estados. Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que o desemprego saltou de 11,2% até janeiro deste ano para 12,2% no primeiro trimestre de 2020 tendo como um dos motivadores a pandemia, uma vez que a saída para a procura por trabalho diminuiu em atendimento ao isolamento social.

Taxa de contratação do LinkedIn – picos e quedas geralmente são causados por feriados nos países. No Brasil, historicamente o feriado de Carnaval afeta as análises. Entre o final de fevereiro 3 início de março deste ano, houve um pico de contratações para posições em diversas indústrias, como o varejo, serviços, entretenimento e audiovisual. O feriado do Dia do Trabalho também afetou a China do final de abril ao início de maio e o feriado da Páscoa afetou muitos países em meados de abril.

Apesar da variação na taxa de contratação ao longo da quarentena, a busca por recolocação profissional na Plataforma continuou sendo registrada com uma crescente mudança no perfil de pesquisa, sendo que as vagas remotas ganharam mais atenção. As 10 principais vagas para trabalhos remotos mais procuradas no Brasil:

• Representante de Suporte ao Cliente (Call Center)
• Gerente de Contas
• Engenheiro
• Analista de Negócios
• Engenheiro de software sênior
• Desenvolvedor de aplicativos
• Executivo de Vendas
• Desenvolvedor
• Engenheiro de software Java
• Arquiteto

“Estamos em um ponto de inflexão no qual as pessoas estão começando a perceber que desejam a flexibilidade de um cargo remoto para trabalhar da maneira que melhor lhes convier – seja evitando trânsito ou um transporte público lotado, ou ser capaz de passar mais tempo com a família. Os empregadores também estão começando a pensar sobre, já que a produtividade do home office foi comprovada, e há cada vez mais cargos remotos disponíveis para candidatura no LinkedIn. Embora seja improvável que signifique o fim do escritório, não tenho dúvida de que a noção de trabalho verdadeiramente flexível está aqui para ficar”, destaca Milton Beck, diretor geral do LinkedIn para América Latina.

Metodologia da análise dos dados

Em relação ao trabalho remoto, fizemos análises por meio do uso de palavras-chave (por exemplo: trabalho remoto e trabalho em casa) em diferentes idiomas buscamos entender como o comportamento dos candidatos na busca por emprego está mudando. Para a maioria das vagas de trabalhos remotos, o LinkedIn examinou todos os trabalhos remotos que receberam candidaturas e os classificou pelo crescimento de todos os demais postos de trabalhos abertos em 2020, antes e depois de 1º de março de 2020.

Quanto à taxa de contratação, nós analisamos a porcentagem de usuários do LinkedIn que adicionaram um novo empregador ao seu perfil no mesmo mês em que começaram no novo trabalho em relação ao total de usuários do LinkedIn naquele país. A análise leva em consideração possíveis atrasos nos usuários que atualizaram seus perfis e cria índices dessazonalizados. Nessa análise, utilizamos dados de 12 de fevereiro de 2020 até 17 de junho de 2020.
Adicionar aos favoritos o permalink.

Os comentários estão encerrados.