Rumo lança edital para projetos de inovação voltados à segurança ferroviária

Engajada em ações que contribuam para fortalecer a segurança na convivência entre a população e as ferrovias, a Rumo lança nesta segunda-feira (dia 18) as inscrições para o Fuse – Edital Rumo de Aceleração. Pioneiro no setor, o programa busca desenvolver alternativas e soluções inovadoras com foco na redução de abalroamentos (colisão envolvendo trens e veículos automotivos) e atropelamentos. Startups, empreendedores e estudantes têm até 26 de junho para inscrever gratuitamente seus projetos.

Após as etapas de qualificação, serão selecionadas quatro ideias para assinatura de um contrato de até R﹩ 200.000 em investimentos no desenvolvimento do protótipo. Trata-se de um programa de aceleração equity free, ou seja, sem cobrança de participação societária ou assinatura de contrato de exclusividade entre a Rumo e as equipes selecionadas.

“Estamos levando para a sociedade uma discussão sobre um trânsito mais seguro, questão primordial que impacta todas as ferrovias do país”, diz Roberto Rubio Potzmann, diretor de Tecnologia da Rumo. “Fizemos investimentos de grande magnitude em questões que envolvem a segurança na ferrovia. O edital é mais uma iniciativa focada em soluções para que a incidência de atropelamentos e abalroamentos seja reduzida”.

Desafio global

A segurança nos cruzamentos entre a linha férrea e as vias urbanas (chamados de “passagens em nível”) é debatida de forma recorrente por ferrovias no mundo todo. Em seus cerca de 14 mil quilômetros de trilhos, a concessionária registra ocorrências relacionadas ao desrespeito das leis de trânsito e sinalizações ou à desatenção de motoristas e pedestres nas travessias, além de práticas irregulares como pegar carona no trem ou pular vagões.

“A ideia do programa de aceleração é avaliar quais medidas efetivas podem ser adotadas para solucionar essas problemáticas”, destaca Rubio. “Estamos vivenciando uma era de constantes transformações tecnológicas na Indústria 4.0, e a ferrovia não parou no tempo. Hoje, aplicamos uma tecnologia robusta para ter uma operação ferroviária eficiente e segura. Queremos que ela seja cada vez mais”.

Imersão, desenvolvimento e aceleração

Finalizado a fase de inscrição no Fuse, serão selecionadas 20 propostas, sendo metade para redução de atropelamentos e as outras 10 para abalroamentos. Na etapa seguinte, de imersão, os participantes e suas respectivas equipes terão acesso a dados técnicos e poderão contar com mentorias para aprofundar os estudos e o desenvolvimento de seus projetos.

Na última fase, de aceleração, os quatro finalistas têm à disposição a estrutura da Hards, aceleradora brasileira de software/hardware instalada no Sapiens Parque, em Florianópolis (SC). Em parceria com o Instituto da Indústria, pertencente à Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc), e a Produza (especializada em montagem de placas eletrônicas), os participantes poderão utilizar de forma gratuita o laboratório da Hards, que conta com uma infraestrutura completa para prototipar, testar e fabricar lotes pilotos.

O edital e descrição de todas etapas do Fuse – Edital Rumo de Aceleração, estão disponíveis no site http://www.projetofuse.com.br.

Adicionar aos favoritos o permalink.

Os comentários estão encerrados.