Inteligência artificial tem potencial inexplorado para transformar o mercado, diz KPMG

A maioria dos especialistas da indústria de tecnologia (57%), transporte (69%), assistência médica (52%) e varejo (64%) consideram que a Inteligência Artificial (IA) é ainda mais euforia do que realidade no momento, com serviços financeiros (42%) sendo a exceção. Além disso, embora a confiança na preparação dos funcionários para a adoção da IA ​​seja mais elevada entre os líderes C-Level (79%), ela é muito menor entre os gerentes (38%). Estas são algumas das conclusões da pesquisa “Vivendo em um mundo de IA” (Living in an AI world, em inglês), conduzida pela KPMG com 751 executivos norte-americanos atuantes em empresas de diferentes setores com conhecimentos relacionados à IA.

“A pesquisa nos ajuda a entender melhor aspectos problemáticos, riscos emergentes e desafios das empresas. A inteligência artificial vem causando impactos relevantes no mercado. Na próxima década, espera-se que ela transforme ainda mais os negócios e proporcione benefícios tangíveis para empresas, funcionários e consumidores”, afirma Frank Meylan, sócio-líder de AI, Cognitive & Customer Experience da KPMG no Brasil.

A pesquisa revelou ainda que a IA é uma promessa real, com oferta de benefícios substanciais para clientes e usuários finais, o que inclui benefícios futuros potencialmente transformacionais. Para atender às expectativas crescentes, no entanto, as empresas precisam ser mais agressivas no suporte à IA.

Outra conclusão é que o setor de tecnologia está liderando esse processo, com mais da metade (63%) dos entrevistados relatando que a adoção da IA está entre moderada e totalmente funcional em suas organizações.

No setor de serviços financeiros, a ampla maioria (85%) confia na capacidade da IA ​​ajudar a resolver desafios relevantes, como detectar fraudes. Para os próximos cinco anos, 64% dos especialistas deste setor acreditam que os consumidores não dependerão mais dos bancos tradicionais para acessar dinheiro.

No varejo, 56% dos entrevistados acreditam que, nos próximos dois anos, a IA causará o maior impacto na inteligência do cliente e 80% dizem que a IA já está aliviando problemas de atendimento ao cliente.

Se consideradas as respostas dos entrevistados que atuam no setor de saúde, a ampla maioria (90%) acredita que a tecnologia de IA melhorará a experiência do paciente e terá o maior impacto no diagnóstico (47%), gerenciamento de registros eletrônicos de saúde (41%) e tarefas robóticas (40%).

No transporte, 82% dos profissionais do setor acreditam que o governo deve estar envolvido na regulamentação da IA ​​em certa medida e 77% acreditam que a AI é uma ameaça direta à segurança e à privacidade dos dados do consumidor.

A pesquisa da KPMG está disponível na íntegra no link – http://advisory.kpmg.us/content/dam/advisory/en/pdfs/2020/living-in-ai-world.pdf

Adicionar aos favoritos o permalink.

Os comentários estão encerrados.