Selo Suíço de Eficiência de Data Center é criado para descarbonizar a infraestrutura digital em todo o país

Na Reunião Anual do Fórum Econômico Mundial, uma aliança formada por representantes do setor acadêmico e da indústria anunciou o lançamento do primeiro Selo Suíço de Eficiência de Data Center, que tem o objetivo inicial de descarbonizar data centers na Suíça e reduzir significativamente seu consumo total de energia. A aliança, criada pela industry association digitalswitzerland e pela Hewlett Packard Enterprise (HPE), empresa global de soluções de TI para o mercado corporativo, fundou a Associação Suíça de Eficiência de Data Center (Swiss Datacenter Efficiency Association – SDEA), que será a responsável pelo processo de avaliação e concessão do selo. Outros membros fundadores da aliança são a École Polytechnique Fédérale de Lausanne (EPFL), a Green IT Switzerland, HPE, a Lucerne University of Applied Sciences and Arts (HSLU), a Swiss Data Center Association (Vigiswiss) e a Swiss Telecommunications Association (ASUT). A iniciativa é apoiada pelo Swiss Federal Office of Energy por meio do programa SwissEnergy.

Dez usuários piloto, incluindo algumas das marcas mais renomadas do mundo, implementaram tecnologias e procedimentos com eficiência energética para garantir a conformidade com os critérios do Selo Suíço de Eficiência de Data Center, o que gerou economia de energia de até 70%, com cinco desses usuários piloto empregando 100% de fontes de energia neutras em carbono. O cantão de Genebra planeja incluir alguns dos principais requisitos do selo em sua próxima lei de eficiência energética como base para a construção de novos data centers. O objetivo é impulsionar a adoção em toda a Suíça, mas o selo também será apresentado à Comissão Europeia e às Nações Unidas em um esforço conjunto para alavancar o modelo suíço para todo o mundo.

“As fontes de energia neutras em carbono e as tecnologias digitais já são uma realidade, mas somente através de metodologias apropriadas, e contando com o compromisso da indústria e com a aplicação de políticas e regulamentações, que uma ampla adoção pode ser impulsionada”, disse Benoit Revaz, do Swiss Federal Office of Energy. “Projetos como o Selo Suíço de Eficiência de Data Center podem ajudar a diminuir o impacto negativo gerado por uma das espinhas dorsais digitais da nossa sociedade. Incentivamos e apoiamos organizações e nações em todo o mundo a empreender esforços semelhantes”.

Atualmente, os data centers em todo o mundo representam 1% do consumo global de eletricidade1, mas esse número é muito maior em países que são conhecidos globalmente como “bons anfitriões” para hospedagem de dados. É o caso da Suíça, onde o uso de energia dos data centers foi estimado em 2,8% do consumo total de eletricidade do país em 20152. Considerando o crescimento exponencial de volumes e tráfego de dados previsto para os próximos anos3, são necessárias metodologias para medir e gerenciar a eficiência do data center de forma a reduzir significativamente as emissões de carbono e o consumo de energia.

“As metodologias de hoje estão analisando aspectos isolados relativos à eficiência e à sustentabilidade dos data centers, nenhum dos quais captura a pegada geral de energia e carbono”, ressalta Christopher Wellise, diretor de Sustentabilidade da HPE. “O Selo Suíço de Eficiência de Data Center, por outro lado, adota uma abordagem holística ao considerar todas as fontes de consumo e de suprimento de energia, bem como a reutilização da energia consumida. Por isso, fornece os elos que faltam para permitir que os operadores de data center, associações industriais e governos mensurem e controlem o impacto climático real das suas infraestruturas digitais”.

O Selo Suíço de Eficiência de Data Center é concedido pela excelência em eficiência energética e sustentabilidade ambiental das infraestruturas de data center e suas infraestruturas de TI. Isso inclui três componentes principais. Os critérios de reconhecimento da infraestrutura do data center se aplicam a todo o fluxo de energia, da entrada à saída, incluindo recursos de reciclagem da energia de saída (como o uso de descarga térmica para aquecer outros edifícios). Os critérios de reconhecimento da infraestrutura de TI se aplicam à tecnologia com eficiência energética e ao uso efetivo da TI. Dependendo da conformidade com os critérios de eficiência, os data centers podem receber o Selo nas categorias ouro, prata ou bronze. No caso de conformidade com os critérios de sustentabilidade ambiental, que se aplicam à pegada de carbono, um selo “a mais” é adicionado ao nível concedido.

A SDEA atualizará continuamente os critérios do Selo Suíço de Eficiência de Data Center para refletir o alto ritmo de mudança e inovação no setor de tecnologias da informação e comunicação (TIC). Uma área específica de foco é o rápido aumento de infraestruturas de TIC em execução fora dos data centers, necessárias para processar grandes quantidades de dados em tempo real em locais como fábricas, veículos ou locais públicos – geralmente chamadas de ‘borda’. Segundo o Gartner, cerca de 10% dos dados gerados pelas empresas foram criados e processados fora de um data center ou nuvem centralizada tradicional em 2018. Até 2025, o Gartner prevê que esse número chegará a 75%4. Portanto, daqui para frente, o Selo Suíço de Eficiência de Data Center também considerará as infraestruturas de TIC na borda para continuar a fornecer uma avaliação e controle holísticos da energia e da pegada de carbono das infraestruturas digitais das sociedades em todo o mundo.

“Estamos testemunhando uma mudança de paradigma na TI, na qual as tecnologias convencionais de silício – que, historicamente, resultaram em duplicação da densidade e eficiência dos chips a cada dois anos, durante cinco décadas – atingiram seus limites físicos”, complementa Babak Falsafi, professor da School of Computer and Communication Sciences e diretor fundador do EcoCloud, um consórcio industrial/acadêmico da EPFL. “Como resultado, o crescimento sustentado do desempenho de TI só pode advir da construção de mais infraestruturas, incluindo data centers com maior proximidade das fontes de dados na borda. Portanto, esse selo surge para ajudar a orientar os hosts em direção à TI sustentável em termos de energia”.

Referências:

[1] Swiss Federal Council, DETEC, Swiss Federal Office of Energy, Data Centers: Energy Savings are Possible (2015)

2 Estimated to be 33 zettabytes in 2018, IDC forecasts the Global Datasphere to grow to 175 zettabytes by 2025, see IDC White Paper: ‘Data Age 2025, The Digitization of the World From Edge to Core’ sponsored by Seagate (2018)

3 Koronen, C., Åhman, M. & Nilsson, L.J. Energy Efficiency (2019)

4 Gartner, What Edge Computing Means for Infrastructure and Operations Leaders (2018)

Adicionar aos favoritos o permalink.

Os comentários estão encerrados.