Desenvolvedores mudam perfil para enfrentar a concorrência no mercado de trabalho

Os desenvolvedores estão em ascensão no mercado, com a demanda pelos serviços do profissional aumentando a cada ano, seja para começar novos projetos ou ampliar outros serviços. Devido a esse ‘boom’, o próprio meio tem pressionado os “devs”, como são chamados, a passar por uma transformação profissional.

Muitos ainda optam por “codar’ de maneira freelancer, sem um vínculo empregatício com determinada empresa. De casa ou em um atendimento ‘in loco’ é possível oferecer todas as soluções para o negócio do cliente. No entanto, atualmente, não basta “codar” e enfrentar a mudança exige aperfeiçoar o próprio perfil.

“Quando falamos do perfil do dev que trabalha mais sozinho, aquele ‘faz-tudo’, inicialmente, ele se via apenas como programador, mas o mercado está exigindo uma mudança, pois, atualmente, ele também é um microempresário, por isso, tem que cuidar do relacionamento com cliente”, explica Letícia Araújo da Silveira, responsável pelo Marketing de Relacionamento com Parceiros de Locaweb Pro.

O processo, que até então era natural, de sempre ter cliente buscando serviço já não ocorre mais como antes. “Hoje há mais facilidade para colocar um site na internet, então, a demanda natural que existia diminuiu, tem ainda o avanço das redes sociais e os diversos canais que as pessoas podem trabalhar o negócio. Soma-se ainda o cenário de crise, com orçamentos reduzidos”, disse Araújo.

Com o crescimento de pequenos e médios negócios e a ampliação dos investimentos no online, o profissional de programação é uma ótima opção para o mercado. Porém, o cliente, que tem o perfil mais leigo, busca resultados específicos e precisa entender como o dev pode ajudá-lo com isso.

A necessidade acaba despertando essa ‘veia’ dos negócios para quem estava acostumado apenas a ‘codar’. Para permanecer ativo, tem que conciliar as atividades para cuidar dos negócios, gerenciar a carteira de clientes, fazer cobranças, etc. Tudo isso se tornou um desafio para os profissionais que precisam se tornar proativos. “Os devs já entenderam, não quer dizer que estão confortáveis ou gostem, mas viram que é necessário e estão cada vez mais buscando ajuda”, afirma Araújo.

A Locaweb Pro, unidade de negócios da Locaweb dedicada às agências e desenvolvedores, percebeu essa dificuldade que muitos enfrentam no dia a dia e, por isso, oferece toda estrutura para o desenvolvimento da rotina. “Ter a parceria de grandes empresas endossa o trabalho do desenvolvedor e acaba sendo um diferencial no mercado, já que há uma grande estrutura por trás”, explica Letícia Araújo da Silveira. Como qualquer outro empreendedor, o dev precisa ter técnicas de negociação, saber vender, conhecer o público e entender do negócio. Conforme ele cresce, é possível designar esse serviço para terceiros.

Assim, o desenvolvedor pode ficar mais tranquilo para continuar fazendo o que sabe de melhor. Mas, isso não exclui a necessidade de ficar atento ao redor, acompanhando as tendências de e-commerce, participando das comunidades de desenvolvedores e, principalmente, falando a língua do cliente. Quanto mais próximo desse mundo, maiores são as chances de sucesso nesse mercado em transformação.

Adicionar aos favoritos o permalink.

Os comentários estão encerrados.