Um novo jeito de pensar a carreira de Pesquisa e Desenvolvimento

Inovação, pesquisa e criatividade sempre foram consideradas qualidades centrais no desenvolvimento de produtos e soluções na Embraco, empresa global que promove qualidade de vida por meio de soluções inovadoras de refrigeração. Nas últimas décadas, temas essenciais como conservação adequada de alimentos e bebidas, armazenamento de vacinas, entre outros, foram beneficiados por projetos de diferentes áreas da indústria que trouxeram ideias disruptivas à linha de produção. À frente disso está um time global de mais de 500 pesquisadores que se dedica em busca de melhorias contínuas com foco em eficiência energética, alto desempenho e qualidade em compressores, unidades condensadoras e outras soluções desenhadas e fabricadas pela empresa.

Foi pensando em tais profissionais que a companhia adotou o esquema de carreira W. O modelo incentiva e beneficia colaboradores que desejam crescer profissionalmente por meio de um plano de metas, o qual é amparado por ações de desenvolvimento como mentoria, feedbacks e competências pré-definidas. Como a grafia da letra “W” sugere, esse modelo prevê três caminhos a serem trilhados: administrativo, técnico ou liderança de projetos. “A Embraco acredita que tão importante quanto saber onde se quer chegar, é possuir as competências, ferramentas e processos certos para usar ao longo do caminho, que integrados suportam o desenvolvimento do profissional”, explica Sabrina Luko, gerente de Talent Management da Embraco.

Alexandre Schroeder, pesquisador 1 do Laboratório de Acústica da Embraco, tem formação técnica em eletrônica. Ele entrou no processo de transição ainda na carreira Y e, após o upgrade, alcançou a posição de analista. Três anos depois, pelo plano de carreira, migrou para a carreira W e conseguiu uma oportunidade de pesquisador. Alexandre já trabalhou em importantes projetos que desenvolveram tecnologias inovadoras e foram implantados em outras plantas da Embraco. “Tinha a meta de me tornar pesquisador. Para isso, estudei e acumulei conhecimentos baseados nas demandas do dia a dia e na experiência de meus gestores. A carreira W permite que você interaja diretamente com o seu líder, trazendo ideias e muita inspiração”, afirma.

Para Laerte Campestrini, especialista de desenvolvimento 3, o programa Carreira W é muito interessante, pois permite migrar de área de acordo com os conhecimentos adquiridos e com foco nas metas estabelecidas. Ele entrou na Embraco como suporte técnico e trilhou este caminho. Hoje já submeteu projetos a serem patenteados. “Mesmo áreas de gestão administrativa podem nos receber, desde que estejamos abertos a nos capacitar para os cargos”, afirma Laerte Campestrini.

Outro reconhecimento promovido recentemente pela área de Pesquisa e Desenvolvimento foi a comemoração do Dia do Inventor. Durante a ação, 111 profissionais que se tornaram referência na companhia foram premiados com um pin que os diferencia em categorias conforme a quantidade de soluções criadas. Profissionais com 1 a 10 soluções desenvolvidas foram reconhecidos como “Rookie” (Novato); de 11 a 20 como “Pro” (Pro); os que apresentaram entre 21 e 30 soluções foram “Extreme” (Extremo); já aqueles que sugeriram mais de 30 soluções foram reconhecidos como “Legend” (Lendário). Atualmente, a Embraco possui dois profissionais nessa última categoria: Dietmar Lilie, com 129 patentes, e Rinaldo Puff, com 33.

Além disso, desde 2016, o time realiza um evento semestral de entrega de troféus para as principais patentes, seguido do ritual em que os inventores colam uma placa com seu nome e o título da solução na Patent Hall, localizada no setor de Pesquisa e Desenvolvimento da companhia.

Adicionar aos favoritos o permalink.

Os comentários estão encerrados.