ABFintechs defende modernização do mercado financeiro

A modernização do mercado financeiro é caminho sem volta, segundo a ABFintechs (Associação Brasileira de Fintechs) . Na era em que códigos e algoritmos substituem atividades e ocupações, despontam no mercado as fintechs – startups de tecnologia do setor financeiro – como Nubank, Creditas e Guiabolso. Juntas, as fintechs revolucionam o mercado ao modernizar as operações e oferecer às pessoas maior transparência e facilidades para lidar com o dinheiro.

A Associação representa os interesses das mais de 300 fintechs brasileiras associadas junto aos órgãos de regulamentação e proporciona impacto social positivo por meio do crescimento do empreendedorismo e do acesso à inovação. Além disso, gera negócios entre os associados, solidificando a modernização do mercado financeiro.

A ABFintechs defende o empoderamento do indivíduo e apoia ferramentas que propiciem o acesso a melhores produtos e serviços financeiros. A Associação acredita, por exemplo, que manter uma conta corrente pode ser mais fácil e barato, investir pode ser mais rentável e fazer transações, comprar e quitar dívidas também pode ser mais prático.

História e membros

Fundada em outubro de 2016, a ABFintechs conta com gestão horizontal, exercida igualmente por cinco diretores que são empreendedores de fintechs e conhecem os principais obstáculos ao desenvolver inovações em serviços financeiros no Brasil. São eles: Bernardo Pascowitch do Yubb, Diego Perez da StartMeUp, Ingrid Barth da Linker, Mathias Fischer da Meu Câmbio e Paulo Deitos da Cap Table.

Além disso, a Associação conta com mantenedores e conselheiros. Entre os conselheiros estão: Dorival Dourado, ex-presidente da Boa Vista SCPC que conhece a cena do crédito no mercado financeiro; Guilherme Horn, fundador das corretoras Órama e Ágora, ex-Accenture e atualmente conselheiro do Banco do Brasil; José Luiz Rodrigues, especialista em regulação financeira do Brasil e com grande experiência junto ao Banco Central e CVM (Comissão de Valores Mobiliários);Pedro Englert, ex-sócio da XP Investimentos e atualmente CEO da StartSe e sócio de 5 fintechs; Rodrigo Menezes, sócio fundador do Derraik & Menezes Advogados, um dos principais escritórios de assessoria para startups do Brasil; Romero Rodrigues, referência de empreendedorismo no Brasil, fundador do Buscapé e sócio investidor da Redpoint e Ventures; e Monica Saccarelli, ex-Rico Investimentos e atualmente sócia da Diin.

A regulamentação dos diversos segmentos em que atuam as fintechs é vista pela Associação como a possibilidade de garantir a continuidade dos negócios e da inovação, algo que facilitará a integração com o sistema financeiro e empresas tradicionais. Em sua atuação junto aos órgãos governamentais e reguladores, a ABFintechs ressalta que o surgimento de novas ferramentas – mais eficientes, transparentes e colaborativas – é resultado dos avanços tecnológicos e culturais dos últimos anos, além de tendência inevitável para o futuro.

Adicionar aos favoritos o permalink.

Os comentários estão encerrados.