A análise preditiva é a bola de cristal do RH?

Por Ivana Mozetic, VP de Marketing da LEVEE

Se formos pegar por definição básica, a análise preditiva é a união de diversas tecnologias, como machine learning e inteligência artificial com coleta de dados e estatísticas, com o objetivo de fazer previsões. Inevitavelmente essa possibilidade está impactando diretamente a área de Recursos Humanos na forma de gerir pessoas e no desenvolvimento de carreira dos colaboradores.

Afinal, esse conceito se tornou a bola de cristal das empresas? Eu digo que a comparação é válida, uma vez que conseguimos enxergar de forma ampla o ciclo de vida do funcionário desde a sua contratação até a saída, tendo a possibilidade de observar os motivos da troca de emprego daquele profissional. Além disso, permite que o RH se antecipe a futuros riscos, perceba oportunidades e faça um planejamento adequado a longo prazo.

Ao usar os computadores para processar e identificar comportamentos padrões, podemos adiantar ações para melhoria do sistema. E essas previsões de carreiras tendem a crescer, pois trazem um benefício não só ao colaborador, mas para as empresas que contratam melhores talentos, aumentando a motivação e adaptação dos funcionários e evitando o turnover.
Precisamos aceitar que a era dos dados é a nova realidade que vivemos. O Índice de Transformação Digital, da Dell Technologies, está aí para provar. De acordo com o estudo, 70% das empresas brasileiras contam com planejamento e até investimento para digitalizar o negócio.

Sabendo disso, é preciso ter em mente que o RH não pode ficar de fora dessa transformação. Isso porque uma empresa não consegue ser competitiva e se posicionar no mercado sem uma equipe estável e que consiga dar continuidade aos processos daquela companhia. Um estudo feito pela Harvard Business Review revelou que 80% do turnover nas empresas acontece devido à contratação de profissionais inadequados. E pode acreditar: o mercado não aceita mais isso, motivo pelo qual a tecnologia está atuando para melhorar este panorama.

E vale ressaltar aqui que a implementação do processo de análise preditiva nas empresas não é algo que acontece do dia para a noite. Para dar início, a empresa precisa coletar dados dos funcionários, como distância pro trabalho, idade, escolaridade, entre outros. Em seguida, a compilação pode ser feita no excel, para facilitar a análise.

Com os dados mais claros para visualização, a equipe de RH poderá enxergar de forma mais objetiva os números. Estes dados poderão responder perguntas como: qual a taxa de rotatividade deste ano? Houve mais queda que do ano anterior? Com essas respostas na mão, o gestor tem maiores chances de resolver dificuldades pelas quais a empresa pode passar.

Por isso é tão importante que as companhias em primeiro lugar entendam o papel estratégico do RH no negócio e comecem a planejar a digitalização da área. Diante de tudo isso, você consegue enxergar em qual nível está a sua organização?

Adicionar aos favoritos o permalink.

Os comentários estão encerrados.